Remédios naturais que podem ajudar a tratar a depressão

· 9 de dezembro de 2013
Não se esqueça de que o exercício é muito importante para aliviar estados depressivos. Além de nos sentirmos melhor fisicamente, geramos endorfinas que nos ajudam a combater a tristeza.

A depressão é um transtorno de humor onde nos sentimos deprimidos, infelizes e com sentimentos de culpa, por isso se sente grande dificuldade para aproveitar a vida cotidiana.

É preciso consultar um especialista e tratar este problema sob um tratamento específico e detalhado para cada um. Entretanto, há também a nosso alcance alimentos que agem como antidepressivos naturais,  já que nutrem  e regulam o nosso sistema nervoso, o que nos permite fortalecer o processo de uma maneira ou de outra.

Finalmente, hoje aproveitaremos para compartilhar informações sobre alguns alimentos e dicas que vão ajudar no tratamento da depressão.

Antidepressivos naturais

    • O magnésio, encontrado em nozes, vegetais verdes folhosos, abacate.
    • Triptofano, presente no cacau.
    • Os ácidos graxos ômega 3 de linhaça e sardinhas.
    • A vitamina B 12 que é encontrada em sardinhas, ovos e derivados lácteos.
    • O ácido fólico presente nas frutas e verduras de folha verde.
Chocolate ajuda combater depressão
Comer chocolate aumenta os níveis de serotonina, substância ausente em períodos depressivos.

Alguns destes nutrientes podemos tomá-los como um complemento, conforme opinião de um especialista.

Além disso, outros alimentos recomendados incluem aveia, grão de bico, mexericas, castanhas, agrião, sementes de abóbora e girassol. Os chás de Hypericum, gengibre, alecrim, alcaçuz ou orégano são muito benéficos.

E o que devemos evitar?

      • Carne em excesso.
      • Gorduras saturadas.
      • Adoçante e corantes artificiais.
      • Açúcar branco.
      • Doces.
      • Bebidas artificiais e com álcool.
      • Café.
      • Chá preto.

Ainda assim, a nível externo podemos desfrutar dos benefícios antidepressivos e sensoriais dos seguintes óleos essenciais:

      • Orégano.
      • Lavanda.
      • Camomila.
      • Bergamota.
      • Gerânio.
      • Jasmim.
      • Limão.
      • Madeira de sândalo.
      • Mexerica.
      • Erva-cidreira.
      • Laranja.
      • Neroli.
      • Petitgrain.
      • Toranja.
      • Sálvia clara.
      • Verbena de limão.
      • Ylang-ylang.

Nesse caso, podemos cheirá-los e ser orientados por nossa intuição. Logo após ter escolhido, podemos usar um difusor aromático ou misturado com o nosso creme hidratante, aplicando em nossas roupas ou como preferirmos.

Recomendamos também a leitura: Praticar ioga pode ajudar a controlar a hipertensão

Tratar as emoções

De acordo com alguns terapeutas, na maioria dos casos de depressão se deve procurar a origem do problema, como muitas vezes há um conflito.

Talvez a pessoa esteja fazendo algo que não quer fazer, você pode ter um acúmulo de raiva ou tristeza contida. Para tratar dessas questões emocionais se recomenda homeopatia e Florais de Bach, porque não tem contra-indicações ou efeitos colaterais, e pode ser tomado em qualquer idade.

Recomendamos também a leitura: Gorduras ou carboidratos? Descubra a chave do sucesso

Outras dicas práticas para combater a depressão

Os distúrbios psíquicos são cada vez mais comuns nas pessoas mais jovens. Um fator que pode ter influenciado nisso é a falta de contato com a natureza. Afinal, a cor verde é um equilíbrio natural e os banhos de sol são essenciais, especialmente quando não estamos bem.

Algumas pessoas sentem intuitivamente essa necessidade, mas realmente todos necessitamos. Se você mora em uma cidade, pelo menos nos fins de semana deve tentar procurar os ambientes naturais.

Alimentos que ajudam a combater a depressão
Reserve um momento do seu dia para limpar a mente e relaxar. Sair e caminhar por áreas verdes é uma boa ideia.

Outro fator que influencia é a respiração. Hoje em dia respiramos apenas o suficiente para sobreviver, mas cada célula do nosso corpo precisa de oxigênio, caso o contrário a submetemos  a uma situação estressante.

Com o intuito de aprender a respirar corretamente, podemos fazer algum tipo de terapia (yoga, tai-chi, antigimnasia, Feldenkrais…)

Outra forma de melhorar a respiração é gerando endorfinas, hormônios da felicidade. Portanto, é preciso praticar exercícios regularmente.

Muitas pessoas acreditam que o exercício é necessário apenas para obter um peso correto, mas os seres humanos sempre fizeram exercício antes para sobreviver, e agora parece ser só uma questão estética. Mas o que realmente importa é pratica-los.

Imagens oferecidas por John Loo y Poytr.

BAHLS, Saint-Clair. Depressão: uma breve revisão dos fundamentos biológicos e cognitivos. Interação em Psicologia, v. 3, n. 1, 1999. VISMARI, Luciana et al. Depressão, antidepressivos e sistema imune: um novo olhar sobre um velho problema. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 35, n. 5, p. 196-204, 2008. CHEIK, Nadia C. et al. Efeitos do exercício físico e da atividade física na depressão e ansiedade em indivíduos idosos. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 11, n. 3, p. 45-52, 2008.