Receita de massa podre ou brisée sem glúten

Vamos ensinar como preparar, de forma rápida e fácil, uma massa podre sem glúten para fazer tortas tanto doces quanto salgadas.
Receita de massa podre ou brisée sem glúten

Última atualização: 21 fevereiro, 2022

A massa podre sem glúten é uma receita que pode ser usada como base para o preparo tanto de sobremesas quanto de pratos salgados. De textura dura e quebradiça, é uma excelente opção para as pessoas com doença celíaca que precisam eliminar esta proteína da dieta.

A receita que você encontrará a seguir é muito simples de preparar e não são necessários muitos ingredientes nem muito tempo para conseguir um resultado de chupar os dedos.

Primeiramente, você deve saber que os celíacos precisam ter muito cuidado tanto com o consumo do glúten em si quanto com a contaminação cruzada. Qualquer vestígio do nutriente pode desencadear uma reação autoimune com sintomas graves. No entanto, aqueles com sensibilidade à proteína não precisam ser tão rígidos quanto a esta restrição.

Ingredientes da massa podre sem glúten

Para preparar uma deliciosa massa podre sem glúten, você precisará dos seguintes ingredientes:

  • 220 gramas de farinha sem glúten.
  • 90 gramas de manteiga.
  • 60 gramas de açúcar.
  • 1 ovo e uma gema de ovo a mais.
  • 1 pitada de sal.
Receita de massa podre ou brisée sem glúten
É muito simples fazer uma massa podre sem glúten em casa.

Modo de preparo

  1. Em uma tigela, misture a farinha sem glúten com o açúcar e o sal. É necessário misturar bem para que todos esses ingredientes fiquem perfeitamente integrados.
  2. Corte a manteiga em cubos e adicione ao recipiente anterior.
  3. Quebre o ovo e separe outra gema. Acrescente os dois elementos à tigela e trabalhe a massa com uma espátula de madeira.  Porém, é importante evitar amassar demais. O objetivo é chegar a um resultado uniforme e bem misturado, mas sem exagerar.
  4. Quando conseguir formar uma bola, embrulhe a massa em filme plástico e deixe descansar durante uma hora na geladeira.
  5. Após este tempo, cubra a bancada com uma fina camada de farinha e então abra a massa com as mãos e com a ajuda de um rolo.
  6. Forre uma assadeira redonda com papel manteiga e coloque a massa por cima do papel.
  7. Retire o excesso com a ajuda de um rolo, passando-o sobre a parte superior das bordas.
  8. Além disso, fure a superfície da massa com um garfo e cubra com papel manteiga.
  9. Coloque algo com peso em cima da massa. Um pouco de leguminosas secas será o suficiente. Isso garantirá que a massa não vá inflar.
  10. Por fim, leve a massa ao forno durante 10 minutos a 180 graus, até dourar.


Massa podre salgada sem glúten

A opção que acabamos de mostrar serve para preparar uma massa podre sem glúten com o objetivo de utilizá-la no preparo de pratos doces, como as tortinhas de frutas.

No entanto, também existe a opção de modificar os ingredientes para obter uma massa salgada com a qual podem ser preparadas diferentes opções, como, por exemplo, as tortas de legumes. Esse tipo de prato é benéfico para a saúde, pois fornece uma grande quantidade de antioxidantes.

É preciso lembrar que a inclusão de vegetais na dieta regular tem sido associada à redução da mortalidade por todas as causas, conforme consta em uma pesquisa publicada no International Journal of Epidemiology. Por esse motivo, é fundamental garantir a presença desses alimentos na dieta.

Para obter uma excelente massa podre salgada sem glúten, você só precisará dos seguintes ingredientes:

  • 220 gramas de farinha sem glúten.
  • 10 gramas de sal.
  • 6 gramas de açúcar.
  • 90 gramas de manteiga.
  • 1 ovo e uma gema de ovo a mais.

O processo é exatamente o mesmo do caso anterior, apenas as proporções dos ingredientes incluídos é que mudam. Desta forma, se você conseguir preparar sem problemas uma massa podre doce sem glúten, também não terá problemas com a versão salgada.



Tortas clássicas de frutas vermelhas
É mínima a diferença entre uma massa podre doce sem glúten e uma salgada.

Quem deve optar por uma dieta sem glúten?

Não são apenas as pessoas com doença celíaca que podem se beneficiar de uma dieta sem glúten. Hoje em dia, há cada vez mais pessoas que desenvolveram uma sensibilidade não celíaca à proteína e, portanto, incluir glúten em grandes quantidades na dieta pode ser contraproducente. Nestes casos, o mais aconselhável é a supressão desta proteína para facilitar os processos digestivos.

Também há certas evidências de que alguns pacientes com doenças inflamatórias intestinais podem apresentar uma diminuição dos sintomas por meio da redução de certos nutrientes da dieta, entre os quais está o glúten.

Porém, não ocorre dessa forma em todos os casos. Assim, será necessário testar a resposta individual, mas esta pode ser uma boa opção. Entretanto, a administração da proteína não deve ser restringida por causa de um pretexto qualquer ou no caso das pessoas sem patologias.

Nesse caso, se houver desconforto digestivo, pode ser melhor primeiramente optar por um probiótico. Esses compostos são capazes de reduzir problemas como constipação e diarreia, de acordo com um estudo publicado no Journal of Microbiology and Biotechnology.

Faça a massa podre sem glúten

Conforme você viu, fazer uma massa podre sem glúten, tanto doce quanto salgada, é muito simples. Em pouco tempo, você vai obter uma excelente base para o preparo de uma infinidade de pratos diferentes. Além disso, a receita também é adequada para todos aqueles com sensibilidade à proteína ou com doença celíaca.

Por outro lado, lembre-se de que não é apropriado abusar das farinhas na dieta. Afinal, esses ingredientes têm um impacto significativo nos níveis de glicose no sangue, o que pode afetar o funcionamento do organismo a médio prazo. Não há problema se elas aparecerem de vez em quando, mas elas não devem ser a principal fonte de carboidratos na dieta.

Pode interessar a você...
A torta de maçã mais fácil do mundo
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
A torta de maçã mais fácil do mundo

A torta de maçã é uma receita que a princípio pode parecer complicada de fazer, mas tudo dependerá da sua predisposição e de alguns truques que pod...



  • Aune, D., Giovannucci, E., Boffetta, P., Fadnes, L. T., Keum, N., Norat, T., Greenwood, D. C., Riboli, E., Vatten, L. J., & Tonstad, S. (2017). Fruit and vegetable intake and the risk of cardiovascular disease, total cancer and all-cause mortality-a systematic review and dose-response meta-analysis of prospective studies. International journal of epidemiology46(3), 1029–1056. https://doi.org/10.1093/ije/dyw319
  • Weaver, K. N., & Herfarth, H. (2021). Gluten-Free Diet in IBD: Time for a Recommendation?. Molecular nutrition & food research65(5), e1901274. https://doi.org/10.1002/mnfr.201901274
  • Kim, S. K., Guevarra, R. B., Kim, Y. T., Kwon, J., Kim, H., Cho, J. H., Kim, H. B., & Lee, J. H. (2019). Role of Probiotics in Human Gut Microbiome-Associated Diseases. Journal of microbiology and biotechnology29(9), 1335–1340. https://doi.org/10.4014/jmb.1906.06064