A importância do entusiasmo na vida

Cuidar do entusiasmo também exige que sejamos capazes de valorizar o momento presente. A partir dele, vamos nos projetar para um futuro com objetivos.
A importância do entusiasmo na vida

Última atualização: 21 Novembro, 2021

Ana está cansada e reclama por dentro. Ela se pergunta “Por que estou fazendo isso, quando isso vai acabar? Por que odeio tanto fazer exercícios?”. Em um quarto a 5 quarteirões de distância, um despertador toca e Glória, embora também esteja cansada, se sente bem. Um novo dia de treino chegou, uma oportunidade de aumentar a sua resistência em mais 1 minuto. Qual é a diferença entre elas? A peça-chave é o entusiasmo.

O que é o entusiasmo?

O entusiasmo se refere a um estado de espírito positivo que é mais do que se sentir bem; é orientado para o “fazer”. O entusiasmo nos permite sentir mais energia, ter aquela vontade de tentar e fazer coisas novas, de melhorar e progredir, de alcançar objetivos e depois traçar novos. Em outras palavras, permite que continuemos nos movendo.

Daniel Goleman, conhecido pela sua teoria da inteligência emocional, menciona que o entusiasmo é um componente fundamental dela, entendido como a capacidade de identificar e expressar nossas emoções de forma adequada em relação a nós mesmos e ao mundo.

Por que o entusiasmo é importante?

Os benefícios de permanecer entusiasmado são muitos e diversos. Eles vão muito além de fazer o tempo passar mais rápido ou se divertir fazendo uma determinada atividade.

Vejamos alguns benefícios de viver com entusiasmo:

  • É essencial para se manter motivado.
  • É um bom aliado para promover a perseverança e a disciplina.
  • Permite-nos estabelecer objetivos e lutar por eles. Incentiva a competição saudável para nos aprimorarmos de forma consistente.
  • O entusiasmo é uma qualidade fundamental para quem ocupa cargos de liderança ou deve coordenar equipes de trabalho. É contagiante e torna mais fácil para as pessoas se interessarem pelos mesmos objetivos.
  • Permite-nos dar sentido ao que fazemos.

A falta de entusiasmo limita as possibilidades de aprendizagem e criatividade, pois nada nos interessa e nada importa. Assim, somos envolvidos por um ciclo de monotonia e apatia que, com o tempo, impacta o nosso humor.

Entusiasmo ao acordar
Para atingir os nossos objetivos, precisamos de entusiasmo, fazendo planos com um estado de espírito que nos motiva.

Como manter esse estado?

Entusiasmo não significa que não desanimaremos ao longo do caminho ou que não teremos dúvidas diante das dificuldades. Não nos impede de ter decepções ou contratempos.

Mas significa que superá-los é muito mais fácil em comparação com outras situações em que fazemos as coisas por inércia ou rotina. A partir daí, entende-se por que o entusiasmo também vem da inteligência emocional: não significa que tudo ficará bem o tempo todo; significa enfrentar obstáculos e desafios com nossos próprios recursos.

Portanto, algumas dicas para mantê-lo animado são as seguintes:

  • Preste atenção às suas próprias emoções. Tente identificar o que você sente ao fazer certas atividades. Assim, você pode saber se está feliz, querendo continuar, se isso te aborrece ou desagrada. Para sentir entusiasmo, é necessário que possamos nos conectar com aquelas emoções, sentimentos e pensamentos que são mais agradáveis e nos proporcionam bem-estar.
  • Em relação ao ponto anterior, também é necessário nos perguntarmos por que estamos desmotivados ou desanimados. Dar a si mesmo a oportunidade de ouvir diferentes respostas e ser capaz de tomar uma decisão sobre isso é fundamental. Por que você começou? O que fez com que você perdesse o entusiasmo?
  • Deixe de lado os pensamentos negativos. Muitas vezes somos apanhados pelas nossas desculpas e medos. É importante exercitar o pensamento positivo, tentar encontrar alternativas e soluções quando surgirem dificuldades. Assim, poderemos manter o entusiasmo e não ficar no arrependimento de não poder avançar.
  • É importante definir metas realistas, que possam ser dimensionadas ao longo do tempo, que estejam em equilíbrio para nos motivar a crescer, mas que não sejam tão altas a ponto de nos frustrar.
  • O entusiasmo também anda de mãos dadas com o descanso e o autocuidado. Ninguém pode ser otimista se dorme mal, se não se alimenta bem ou se não tem hábitos saudáveis.
  • Você também precisa aprender a lidar com a frustração. Esteja ciente de que nem sempre conseguimos alcançar os resultados que desejamos, mas que é muito mais importante curtir o processo.
Mulher entusiasmada ao ar livre
Se algo nos deixa entusiasmados, dedicar nossa energia a isso não será difícil.

O entusiasmo não nasce, se faz

Muitas pessoas acreditam que tanto a motivação quanto o entusiasmo virão por si mesmos, que é algo que aparece sozinho. No entanto, isso é um equívoco.

Ambos os estados o encontram enquanto você está em movimento, com um espírito curioso ativado, com fome de saber e fazer. Certamente, nessa busca haverá coisas que te interessam mais do que outras, mas em algumas delas você poderá sentir a diferença.

Então, você tem que começar a trabalhar. Se existe uma receita que funciona muito bem para o entusiasmo, é o ato de experimentar coisas novas.

Por fim, cuidar do entusiasmo também exige que sejamos capazes de valorizar o momento presente, nos conectarmos a ele sem estarmos tão atentos ao futuro. Muitas vezes estamos sobrecarregados com grandes demandas e responsabilidades, com objetivos de tão longo prazo, que perdemos o que o entusiasmo do aqui e agora nos oferece.

Pode interessar a você...
Não procure histórias com final feliz: seja feliz sem tanta história
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Não procure histórias com final feliz: seja feliz sem tanta história

Quase naturalmente, procuramos histórias com final feliz. No entanto, também é possível alcançar o bem-estar sem expectativas tão altas.



  • Flores Jiménez, C., Fernández Arata, M., Juárez García, A., Merino Soto, C., & Guimet Castro, M. (2015). Entusiasmo por el trabajo (engagement): un estudio de validez en profesionales de la docencia en Lima, Perú. Liberabit21(2), 195-206.
  • Goleman, Daniel. El cerebro y la inteligencia emocional: nuevos descubrimientos. B de Books, 2015.
  • Orellana, B. J. S., & Portalanza, C. A. (2014). Influencia del liderazgo sobre el clima organizacional. Suma de negocios5(11), 117-125.
  • Llanga Vargas, E. F., Murillo Pardo, J. J., Panchi Moreno, K. P., Paucar Paucar, M. M., & Quintanilla Orna, D. T. (2019). La motivación como factor en el aprendizaje. Atlante Cuadernos de Educación y Desarrollo, (junio).