Temos que ser flexíveis para poder praticar ioga?

21 Fevereiro, 2019
Ainda que a flexibilidade na ioga seja importante para realizar algumas posturas, também podemos aproveitar os benefícios desta prática se não formos muito elásticos.

Sem dúvida alguma, algumas pessoas se perguntam se é necessário ser flexível para poder praticar ioga. Devido às posturas e à complexidade de muitas delas, tem-se a crença errada de que, se nos falta elasticidade, a ioga não é para nós. No entanto, esta prática é muito mais do que isso.

Ser flexível para poder praticar ioga não é indispensável

Certamente, não é uma condição indispensável ser flexível para poder praticar ioga. Na verdade, esta prática ajuda a adquirir uma maior flexibilidade. Se você é uma pessoa com uma baixa elasticidade, com o tempo perceberá como melhorará neste aspecto.

No entanto, devemos prestar atenção no estilo de ioga que queremos praticar. Se optamos por um tipo que não foque tanto nos movimentos, e sim na meditação, a flexibilidade aqui não será nenhum problema. Alguns destes estilos de ioga são:

  • Ashtanga: pratica-se sentada na postura da lótus e com a coluna reta.
  • Kundalini: centra-se em despertar os chakras com visualizações e meditação.
  • Kriya: uma variante do kundalini, inclui mudras e controle da respiração.
  • Ioga do som: centra-se em repetições de mantras para induzir o estado meditativo.
  • Vyniasa: sequência de movimentos fluida que nos prepara para meditar.
Mulher flexível

Então, como podemos ver, em todos estes estilos não é necessário ser flexível. Na verdade, são tipos de ioga bastante imóveis que não contêm muitos movimentos e que não se costumam fazer posturas impossíveis.

Assim, estes tipos de ioga são ideais para pessoas que buscam alcançar um estado meditativo ou que, devido a determinadas limitações físicas, não podem realizar nem as posturas mais básicas.

Não deixe de ler: 5 coisas imprescindíveis em uma aula de ioga

A elasticidade se desenvolve progressivamente

Primeiramente, ser flexível para poder praticar ioga não é algo que deveria nos preocupar, caso optamos por um estilo onde são realizadas posturas que vão aumentando em dificuldade. O motivo está no fato de que esta prática nos ajuda a desenvolver a elasticidade progressivamente.

Por isso é importante que, se nunca tivermos praticado a ioga e nossa flexibilidade é reduzida, é melhor assistir uma aula de ioga para principiantes. Desta forma, o corpo irá se acostumando às diferentes posturas e irá trabalhando essa elasticidade tão limitada.

No entanto, é importante não tentar forçar muito o corpo inclusive em uma postura básica. A razão é que podemos nos machucar. Se não respeitarmos os limites de nosso corpo e quisermos ir rápido, terminaremos nos lesionando.

A ioga e o equilíbrio

Definitivamente, acreditar que na ioga somente importa a flexibilidade é um erro. Uma pessoa com uma elasticidade invejável pode não se dar bem ao realizar algumas posturas. Além dessa habilidade, necessitamos de equilíbrio.

Mulher flexível praticando ioga

A postura da árvore, por exemplo, mais do que flexibilidade requer equilíbrio. O mesmo ocorre com posturas tão conhecidas como a da bailarina ou da cadeira. Estas são posturas bastante simples. Quando já tivermos adquirido experiência, talvez, tenderemos a enfrentar posturas como a ponte ou a bananeira.

Recomendamos que leia também: Ioga em casa: confira as dicas mais importantes

A ioga e a paz mental

Além do equilíbrio e a flexibilidade, o que se busca na ioga é também a paz mental. Esse bem-estar tão necessário e buscado em uma sociedade onde se sofre mais e mais de um grande estresse.

A meditação é uma parte importante da ioga, mas a concentração para poder manter o equilíbrio também nos transporta para o momento presente. Um instante no qual não há espaço para a ansiedade nem para as preocupações. Somente para o agora.

A importância da respiração

A respiração é o último elemento importante dentro desta prática. Em muitas das posturas nas quais deveremos colocar nossa elasticidade a prova, a respiração pode nos ajudar.

Assim, existem várias formas de respirar. Algumas nos permitirão relaxar, outras nos ajudarão a conseguir uma torção muito mais profunda. Esta é outra parte da ioga muito necessária.

Então, alguma vez você se preocupou por não ser flexível para poder praticar ioga? Quais benefícios obteve com o tempo? Esperamos que a falta de elasticidade não seja um inconveniente para que você possa iniciar nesta prática tão positiva.

  • Dick, A. M., Niles, B. L., Street, A. E., Dimartino, D. M., & Mitchell, K. S. (2014). Examining mechanisms of change in a yoga intervention for women: THE influence of mindfulness, psychological flexibility, and emotion regulation on PTSD symptoms. Journal of Clinical Psychology. https://doi.org/10.1002/jclp.22104
  • Cowen, V. S., & Adams, T. B. (2005). Physical and perceptual benefits of yoga asana practice: Results of a pilot study. Journal of Bodywork and Movement Therapies. https://doi.org/10.1016/j.jbmt.2004.08.001
  • Park, C. L., Riley, K. E., Bedesin, E., & Stewart, V. M. (2016). Why practice yoga? Practitioners’ motivations for adopting and maintaining yoga practice. Journal of Health Psychology. https://doi.org/10.1177/1359105314541314
  • Field, T. (2016). Yoga research review. Complementary Therapies in Clinical Practice. https://doi.org/10.1016/j.ctcp.2016.06.005
  • Sengupta, P. (2012). Health Impacts of Yoga and Pranayama: A State-of-the-Art Review. International Journal of Preventive Medicine.