Sistema reprodutor feminino: Como é formado? Como funciona?

O sistema reprodutor feminino é composto de partes externas e internas que juntamente com hormônios constitui a essência de ser mulher; desfrutar das relações sexuais e dar vida são parte de sua função.
Sistema reprodutor feminino: Como é formado? Como funciona?

Última atualização: 20 Maio, 2021

O sistema reprodutor feminino é em si um assunto fascinante de anatomia e fisiologia. Não só por razões sexuais ou reprodutivas, mas por suas características, localização, vantagens e desvantagens. Também pelas alterações que pode sofrer e muito mais.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre o que é o sistema reprodutor feminino e como ele funciona, a seguir forneceremos algumas informações que serão do seu interesse e o ajudarão a satisfazer sua curiosidade. Pronto para anotar? Vá em frente!

O sistema reprodutor feminino é composto pelos órgãos genitais femininos e inclui a vagina, o útero, as tubas uterinas e os ovários. Cada um deles tem várias funções.

Como funciona o sistema reprodutor feminino?

Como indica a literatura científica, ao contrário do sistema reprodutor masculino, o sistema reprodutor feminino está localizado na pelve. Alguns órgãos são mais visíveis, enquanto outros ficam ocultos.

Partes externas do sistema reprodutor feminino

A vulva, o monte púbico, e os lábios vaginais, por causa de sua forma semelhante aos lábios da boca, são os órgãos reprodutores femininos que estão à vista.

1. Vulva

A parte externa do órgão reprodutor feminino é chamada de vulva, que significa coberta. A vulva cobre a entrada da vagina e os outros órgãos reprodutores internos.

2. Monte púbico e lábios vaginais

Acima da abertura vaginal há uma área carnosa chamada monte púbico, ou de Vênus. Ali, dois pares de dobras de pele chamados lábios se localizam. 

À medida que a menina se torna mulher, o monte púbico e os lábios ficam cobertos de pelos pubianos. Entre os lábios existem duas aberturas: a uretra – o tubo que leva a urina da bexiga para o exterior – e aquela que dá acesso à vagina.

3. Clitóris

Entre os lábios está o clitóris, parte do aparelho altamente sensível. Na verdade, é a única parte do corpo humano cuja única função é proporcionar prazer para a mulher.

4. Hímen

A abertura da vagina é parcialmente coberta por uma fina película de tecido provida de um ou mais orifícios, chamado hímen. O hímen varia de uma mulher para outra: em algumas se estica, e em outras se rasga durante a penetração sexual.

Partes internas do sistema reprodutor feminino

Partes internas do sistema reprodutor feminino
Os órgãos genitais internos são os mais ativamente envolvidos na gravidez.

Dentro da pélvis, o sistema reprodutor feminino inclui: a vagina, o útero, as tubas uterinas, e os ovários.

1. Vagina

A vagina é um tubo oco e musculoso que se estende desde a abertura vaginal até o útero. Na mulher adulta, a vagina pode ter um comprimento de 8 a 12 centímetros.

Além disso, os músculos da vagina podem se dilatar e contrair. Ela é usada para relações sexuais, para expulsar a menstruação e para o trabalho de parto. Além disso, as paredes da vagina são revestidas de muco que a protege e mantém úmida. 

A vagina se conecta ao útero através do colo do útero; as paredes do colo do útero são grossas e fortes e sua abertura é muito estreita.

2. Útero

O útero tem a forma de uma pera invertida. Suas paredes musculares são tão grossas e robustas que são consideradas um dos músculos mais fortes do corpo feminino.

Em mulheres que não estão grávidas, o útero tem apenas 7,5 centímetros de comprimento e 5 centímetros de largura. No útero, o óvulo é fertilizado.

Portanto, quando o óvulo e o espermatozoide se unem, o zigoto é formado e a gestação começa. O útero protege e nutre o óvulo fertilizado até que ele se desenvolva em um bebê.

3. Tubas uterinas ou Trompas de Falópio

As tubas uterinas, ou trompas de Falópio, localizam-se nos cantos superiores do útero; uma de cada lado, conectando o útero aos ovários. Elas têm aproximadamente 10 centímetros de comprimento. O final de cada tuba é em forma de funil; elas envolvem o ovário sem se aderirem a ele.

3. Ovários

Os ovários são dois órgãos circulares localizados na parte superior do útero. São as gônadas encarregadas de produzir, armazenar e liberar os óvulos.

Nas mulheres adultas, cada ovário mede entre quatro e cinco centímetros. Também fazem parte do sistema endócrino, pois produzem os hormônios sexuais femininos: estrogênios e progesterona.

Como funciona o sistema reprodutor feminino?

Quando uma mulher nasce seus ovários contêm centenas de milhares de ovócitos, que permanecem inativos até a puberdade.

Entre os 10 e 14 anos a hipófise gera hormônios que estimulam os ovários a começar a produzir os hormônios sexuais femininos. Desta forma, a menina se desenvolve e torna-se uma mulher.

Os ovários das adolescentes começam a liberar óvulos, com os quais começa o seu ciclo menstrual. O óvulo passa para as tubas uterinas e, após duas semanas, ocorre a primeira menstruação ou menarca.

O sangue e os tecidos que cobriam o útero, no caso de o óvulo ser fertilizado, são expelidos na forma de fluxo menstrualEste é o chamado período que dura entre três e cinco dias.

O útero é responsável por expelir esse fluxo com contrações involuntárias fracas ou fortes, o que pode ser irritante para a mulher. Após a primeira menstruação o corpo da mulher leva cerca de dois anos para desenvolver um ciclo menstrual regular.

Em média, o ciclo menstrual de uma mulher adulta dura 28 dias, embora possa variar entre 23 e 35 dias.

E se o óvulo é fertilizado?

E se o óvulo é fertilizado?
A fecundação é um processo fascinante que ainda esconde muitos segredos.

Se um óvulo se encontra com um espermatozoide nas tubas uterinas, ocorre a fertilização.

Dentro de uma semana o zigoto se torna um blastocisto multicelular, do tamanho da cabeça de um alfinete.  O blastocisto se nidifica no interior do útero, em um local chamado endométrio.

Os estrogênios e a progesterona fazem com que haja o espessamento do endométrio, e que este permaneça irrigado com sangue. Desta forma, o blastocisto pode nidificar-se e absorver nutrientes. Isso é conhecido como implantação.

À medida que as células do blastocisto recebem nutrientes, o estágio embrionário começa. As células se multiplicam milhares de vezes e se movem para novas posições até se tornarem um embrião, que logo será um bebê.

Não deixe de ler: Adoção: aceitando um novo membro na família

Como acontece a gestação?

Às oito semanas, o embrião é do tamanho de um polegar, mas todos os órgãos estão praticamente formados: o cérebro e os nervos, o coração e o sangue, o estômago e os intestinos, os músculos e a pele. O estágio fetal começa a partir da nona semana até o nascimento.

O desenvolvimento do feto continua, as células continuam se multiplicando, se movendo, e se transformando. O feto flutua no líquido amniótico que está no saco amniótico: recebe oxigênio e nutrientes do sangue da mãe através da placenta, que é conectada ao feto através do cordão umbilical. Em média a gravidez dura cerca de 280 dias (40 semanas).

Quando o bebê está pronto para nascer sua cabeça pressiona o colo do útero, que começa a relaxar e a se dilatar. O parto começa, e as contrações são intensas. Depois de horas de dilatação o bebê é empurrado para fora.

Após o parto a placenta também é expelida. O ciclo da vida começa novamente, do qual o sistema reprodutor feminino é o protagonista principal.

Agora que você conhece um pouco mais sobre o aparelho reprodutor feminino, pode entender um pouco mais sobre a importância de cuidar dele ao longo da vida, comparecendo regularmente aos exames ginecológicos.

Pode interessar a você...
Você sabia que o estresse pode ser a causa do atraso no ciclo menstrual?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Você sabia que o estresse pode ser a causa do atraso no ciclo menstrual?

No caso das mulheres, o estresse pode desencadear reações no corpo, como o atraso no ciclo menstrual. Saiba mais neste artigo.

 

 



  • Maldonado-Durán, M., Sauceda-García, J. M., & Lartigue, T. (2008). Cambios fisiológicos y emocionales durante el embarazo normal y la conducta del feto. Perinatología y Reproducción Humana22(1), 5-14.
  • Mas, M. (2007). Fisiología de la respuesta sexual femenina: actualización. Revista Internacional de Andrología5(1), 11-21.
  • Sanders, S., & Debuse, M. (2004). Lo esencial en sistema endocrino y aparato reproductor. Elsevier,.
  • Zanin, L., Paez, A., Correa, C., & De Bortoli, M. (2011). Ciclo menstrual: sintomatología y regularidad del estilo de vida diario. Fundamentos en Humanidades12(24).