6 perguntas ao ginecologista que você deve fazer

11 de fevereiro de 2020
Visto que cada corpo feminino age de forma diferente devemos procurar um ginecologista diante da menor dúvida e não nos deixarmos guiar por opiniões ou diagnósticos alheios.

A maioria das mulheres hoje em dia se inicia no mundo da sexualidade sem fazer perguntas ao ginecologista previamente. Isso é um dos erros mais comuns que ocorre. Devido a isso, os riscos de sofrer doenças ou ficar grávida aumentam de forma considerável.

Hoje em dia a maioria das mulheres não se precavem do quão importante é ter um controle ginecológico. Desta maneira se evitam sustos e consequências indesejáveis por ficar desinformada.

E ainda mais agora, que a juventude começa a ter relações sexuais desde muito cedo, é imperativo saber tudo sobre o tema, esclarecer as dúvidas, e o mais importante, saber os ricos que o sexo sem proteção tem.

É por tudo isso que devem ser feitas perguntas ao ginecologista, para te prevenir e informar sobre como evitar gravidez indesejada, doenças de transmissão sexual (DST) e, em alguns casos, sobre como regularizar seu ciclo menstrual.

Os benefícios de contar com um especialista nesta área são imensos.

Razões pelas quais as meninas não concorrem ao ginecologista

A maioria não procura esse profissional por muitas razões: medo, vergonha, timidez ou por problemas financeiros, dentre muitos outros.

Porém, é realmente importante procurar um especialista para poder manter um controle adequado do corpo (sexualmente falando).

Você não só pode lhe fazer perguntas relacionadas ao sexo. As mulheres normalmente têm inquietudes de todo tipo, desde o ciclo menstrual, anticoncepcionais ou o fluxo vaginal, até métodos para ficar grávida.

Por isso criamos uma pequena lista com as perguntas que você precisa fazer ao seu ginecologista, para que não passe nada e ele possa esclarecer todas as suas dúvidas.

Se anime e dê uma olhada!

6 perguntas ao ginecologista que você deve fazer

No momento de ir a uma consulta com o ginecologista, você deve planificar qualquer dúvida que tenha, de forma que possa descartar qualquer tema que te preocupe ou seja relevante para a sua idade.

Lembre-se que, em cada mulher, os sintomas e problemas variam. Por isso o ginecologista tem como medida individualizar o diagnóstico de cada paciente.

Elimine o tabu com honestidade e conheça bem as implicações no corpo.

1. Os anticoncepcionais orais são efetivos?

Pergunte sobre anticoncepcionais

Este é um dos grandes medos que todos têm. Começar um método anticoncepcional novo gera incerteza, dúvidas ou medo. Até a pouco tempo o método mais usado eram os anticoncepcionais orais (as pílulas).

Agora, com a evolução da tecnologia e novas descobertas médicas, existe uma infinidade de métodos para usar. Mas, voltar a pergunta: sim, na maioria das mulheres saudáveis funcionam e têm efeitos secundários.

Porém, se você não foi a um ginecologista e se automedica é provável que isso tenha repercussões a sua saúde.

Por isso é ideal a consulta, para te fazer um check up ou revisão geral e evitar possíveis efeitos secundários ou o pior, a nula efetividade do produto.

2. Quais são as vantagens e desvantagens do DIU e o diafragma?

O dispositivo intrauterino (DIU) é um dos métodos anticonceptivos mais comuns e que hoje em dia as mulheres costumam usar mais.

Este só requer um controle ginecológico bianual e não precisa de nenhuma intervenção por parte da pessoa.

O diafragma é um método de barreira que deve ser colocado antes do coito, também deve-se untá-lo de lubrificante espermicida, para prevenir gravidez e para que não causa irritação na vagina.

Seu funcionamento correto depende da colocação por parte da mulher.

Antes de usar qualquer um destes métodos, o ideal é que consulte primeiro seu especialista e que ele recomende o mais adequado para você.

Lembre que cada corpo é diferente e nem todas as mulheres reagem do mesmo modo.

3. O que é a mastalgia?

Mamografia

É um sintoma que algumas mulheres apresentam.  Se refere à dor leve, média ou intensa das mamas ou glândulas mamárias, antes e durante o ciclo menstrual ou a gravidez.

Ainda que seja comum que estas dores se apresentem durante estes períodos, se a dor se torna muito intensa, é necessário que procure um médico para que te diagnostique e receite algum analgésico para aliviar estas dores.

Visite este artigo: Os 9 sintomas de câncer de mama que toda mulher deve conhecer

4. O fluxo vaginal é normal?

O fluxo vaginal é a secreção dos fluidos pela vagina. Dependendo da cor (branca, amarela ou marrom) pode ser algo completamente normal ou algum sinal de infecção ou doença.

  • Este fluxo não é mais do que um conjunto de células mortas, bactérias naturais e secreção de mucosa.
  • Em uma mulher se produz em média de 1 a 4 ml de volume diário, isso ajuda a umedecer, lubrificar e manter a vagina limpa, para que não haja infecções.
  • Além disso, é completamente normal quando o fluxo é branco ou transparente.
  • Ao contrário, a leucorreia é aquele fluxo vaginal anormal, produzido por bactérias e fungos, manifestando-se de uma cor amarelada, que geralmente é produto de infecções.
  • Se o fluxo é de cor marrom ou se assemelha a isso, quer dizer que a pessoa em questão já se encontra prévia a menstruação. Se esse não for o caso, se recomenda procurar imediatamente a um ginecologista.

5. Como consigo engravidar?

Descuba se tem problemas para engravidar

Isso é mais comum do que se crê. Existem casais que, por um longo tempo, procura conceber e não consegue. É frustrante e desesperador, sabemos.

Se você e seu parceiro estiverem nessa situação, é importante que faça perguntas ao ginecologista sobre qualquer tipo de doença ou condição.

Provavelmente, encaminhem você a um tocogenecológico, já que aproximadamente 40% dos casais estéreis respondem a um fator masculino.

Estes casais têm de 10% a 15% de probabilidade de poder conceber.

6. Como regular minha menstruação?

Pergunte sobre o absorvente mais adequado

Uma grande quantidade de mulheres apresenta irregularidade em sua menstruação, e isso acontece porque o ciclo menstrual não é igual ao das outras, ou seja, que é mais rápido ou mais lento do que o normal.

O ciclo menstrual é de 28 dias e começa a ovular no décimo quarto dia, desde o primeiro dia da menstruação.

Isso se considera preocupante ou perigoso, a menos que se deseje alcançar uma gravidez.

Apesar da metade do ciclo ser quando se começa a ovular, em mulheres com um ciclo mais longo ou curto (descontrolado), é comum que nunca chegue a uma data exata.

Quer saber mais? Leia: Coletor menstrual: uma alternativa ecológica

Normalmente o ginecologista receita algum tipo de anticoncepcional que ajude a mulher a regular seu ciclo.

Geralmente, são receitados os anticoncepcionais orais, devido ao fato de que ajudam o ciclo a se regular com mais rapidez dentro dos 28 dias correspondentes. Em mulheres irregulares este ciclo pode variar de 21 a 40 dias.

Em conclusão, há muitas razões para ir a um ginecologista. Todas e cada uma das mulheres precisam saber tudo o que se refere ao cuidado e funcionamento do órgão sexual feminino.

Sendo assim, se você ainda não marcou consulta com o ginecologista, é hora de dar o primeiro passo para se informar e esclarecer suas dúvidas a respeito de sua vida sexual, seu ciclo menstrual, doenças e para fazer um check up periódico de seu aparelho reprodutor.