Menstruação irregular: 6 fatores relacionados ao seu desenvolvimento

· 15 de abril de 2017
Considerando que os desequilíbrios no ciclo menstrual e na menstruação irregular estão relacionados a muitos fatores, é conveniente procurar um especialista para descartar maiores problemas e obter um diagnóstico correto.

O período menstrual é um processo biológico e hormonal da mulher na qual estão envolvidos muitos aspectos da saúde física e mental. Neste artigo apresentamos os 6 fatores associados à menstruação irregular.

Normalmente, a menstruação ocorre a cada 28 dias, com uma duração de 3 a 6 dias, dependendo da atividade hormonal no organismo de cada uma.

Durante o ciclo, ocorrem uma série de mudanças que, embora ignoradas por muitas, participam diretamente dos aspectos sexuais e de fertilidade.

Estes se manifestam de diferentes maneiras em cada etapa, dado que a produção de hormônios varia consideravelmente desde a puberdade até a menopausa.

No entanto, é essencial saber diferenciar quando ocorre algum tipo de irregularidade, já que isso pode indicar um problema de saúde ou um transtorno hormonal.

Isso significa que, ter uma menstruação antes ou muito depois da data habitual pode ser um ponto fundamental para detectar outras anormalidades.

E embora não seja algo alarmante, é primordial prestar atenção para evitar o desenvolvimento de outras complicações.

Possíveis causadores da menstruação irregular

1. Problemas de tireoide

Problemas de tireoide podem levar a uma menstruação irregular

Os transtornos na atividade da glândula tireoide são os principais desencadeantes da menstruação irregular.

Como este órgão secreta alguns hormônios importantes, seu desequilíbrio está relacionado com, pelo menos, 15% dos casos de amenorreia ou períodos anormais.

Alguns a consideram uma “glândula mestra”, porque funciona como um controlador do sistema endócrino, do metabolismo e da atividade sexual.

Leia também:  7 sinais do seu corpo de que algo não está bem com a sua tireoide

2. Interromper o uso de contraceptivos orais

Os contraceptivos orais são projetados para o controle de natalidade e, durante seu consumo, impedem que as mulheres engravidem.

Eles mantêm altos os níveis de estrogênio, o que é interpretado pelo corpo como gravidez, por isso, impede que a fertilização ocorra.

Logo, após 21 dias de consumo, ocorre uma semana de “recesso” em que a menstruação ocorre sem qualquer irregularidade.

O problema é que, muitas vezes, quando se deixa de ingerir o anticoncepcional, observa-se irregularidades ou a ausência da menstruação devido às alterações hormonais envolvidas.

Estima-se que 29% das mulheres que deixam suas pílulas anticoncepcionais após algum tempo de consumo apresentam ausência de menstruação por até três meses.

3. Exercícios de alta intensidade

Os exercícios de alta intensidade podem levar a uma menstruação irregular

A atividade física de alta intensidade pode causar mudanças nas glândulas suprarrenais, na tireoide e na hipófise, que geralmente se manifestam com alterações na menstruação.

Por exemplo, as mulheres que competem em maratonas ou em competições desportivas deixam de menstruar por um ou dois meses devido às alterações em sua atividade hormonal.

Na verdade, 81% das mulheres fisiculturistas têm amenorreia em algum momento de suas vidas.

4. Desequilíbrios hormonais

Os desequilíbrios hormonais, tais como os causados pela Síndrome do Ovário Policístico (SOP), são uma causa comum das alterações no ciclo menstrual.

Esta condição altera os níveis de hormônios sexuais, incluindo estrogênio, a progesterona e a testosterona.

Como consequência, alteram os ciclos do período menstrual e, por sua vez, geram outros sintomas, tais como o crescimento anormal de pelos, a acne e as alterações repentinas de peso.

Outro problema hormonal envolvido é a chamada “menopausa precoce”, isto é, a que ocorre antes dos 40 anos.

Neste caso, os períodos irregulares são acompanhados por:

5. Alergias e sensibilidades alimentares

As alergias e as sensibilidades alimentares podem causar uma menstruação irregular

As intolerâncias e alergias alimentares se relacionam muito com o aparecimento de irregularidades no ciclo menstrual.

Quase sempre comprometem a atividade das glândulas suprarrenais, dessa forma, aumentam os episódios de estresse e o desequilíbrio dos hormônios sexuais.

Recomendamos a leitura deste artigo: A influência do estresse no ciclo menstrual

6. Deficiências nutricionais

As deficiências nutricionais tendem a afetar o bom funcionamento da tireoide e das glândulas suprarrenais.

Uma alimentação pobre em antioxidantes, vitaminas, minerais, e probióticos pode aumentar os níveis de cortisol e levar a transtornos como o hipotiroidismo e a fadiga adrenal.

Um nível elevado de cortisol não só aumenta o estresse, mas inibe a atividade de muitos hormônios importantes, tais como os responsáveis pela atividade sexual.

Portanto, ao primeiro sinal de irregularidades na menstruação, é essencial garantir a ingestão de alimentos de alta qualidade nutricional.

Em conclusão, é fundamental conhecer os fatores associados às irregularidades menstruais, para dar um tratamento adequado.

Além disso, é aconselhável consultar um médico para verificar de forma precisa a atividade hormonal e os fatores que influenciam a menstruação irregular.

Imagem principal cortesia de © wikiHow.com

  • Pardini, D. P. (2001). Alterações hormonais da mulher atleta. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. https://doi.org/10.1590/S0004-27302001000400006
  • Bagnoli, V. R., Da Fonseca, Â. M., Arie, W. M. Y., & De Almeida Junqueira, P. A. (2004). Amenorréia. Revista Brasileira de Medicina.
  • Junqueira, P. A. de A., Fonseca, A. M. da, & Aldrighi, J. M. (2003). Síndrome dos ovários policísticos. Revista Da Associação Médica Brasileira. https://doi.org/10.1590/S0104-42302003000100021
  • Current evaluation of amenorrhea. (2004). Fertility and Sterility. https://doi.org/10.1016/j.fertnstert.2004.02.098