Por que temos pelos nas axilas?

Todo mundo, em algum momento, se perguntou por que temos pelos nas axilas. Embora à primeira vista essa característica pareça inútil, ela desempenha um papel importante no corpo. 
Por que temos pelos nas axilas?

Última atualização: 11 Abril, 2021

Na puberdade, as mudanças hormonais provocam o crescimento de pelos nas axilas e em outras partes do corpo. Por que razão eles crescem? Qual é a sua função? A seguir, contaremos mais sobre as suas características.

À medida que nos aproximamos da idade adulta, notamos que aqueles pelinhos – que eram quase imperceptíveis aos nossos olhos – começam a mudar. A razão é que eles se tornam pelos terminais e interferem em algumas funções. Vamos ver do que se trata.

Características dos pelos terminais

O ser humano possui três tipos de pelos no corpo, e estes sofrem modificações nas diferentes fases do seu desenvolvimento; cada um tem suas próprias características.

O lanugo, que se espalha por todo o corpo, está presente desde o último trimestre da gestação e desaparece nos primeiros meses do bebê. Os pelos androgênicos (não terminais) são menos finos que o lanugo, mas ainda sem cor e superficiais. Os pelos terminais, que substituem os pré-púberes, têm as seguintes características:

  • Possuem muito pigmento e medula.
  • São espessos e visíveis.
  • Encontram-se principalmente nas axilas, púbis, sobrancelhas e cílios. Aqueles que crescem no couro cabeludo (cabelo) também fazem parte dos pelos terminais.
  • Distinguem-se dos pelos não terminais por serem mais longos, mas diferentemente daquele que sai no couro cabeludo, o pelo axilar mede mais que 2 cm, mas não ultrapassa 5 cm.

Os pelos terminais que crescem nas axilas, assim como os pelos pubianos, são considerados pelos de ambos os sexos. Isso significa que eles estão presentes tanto em mulheres quanto em homens. Além disso, a sua densidade dependerá da quantidade de andrógenos da pessoa. Qual é a sua função específica?

Pelos finos nas axilas
Tanto a densidade quanto outras características dos pelos corporais são atribuídas à atividade dos andrógenos no corpo.

Por que temos pelos nas axilas?

Os pelos das axilas nascem devido à ação dos andrógenos no corpo humano. Trata-se de um grupo de hormônios, entre os quais se destaca a testosterona. Muitos acreditam que este seja um hormônio exclusivo do gênero masculino; no entanto, este não é o caso. Também ocorre no sistema reprodutor feminino, embora em menor grau.

Em ambos os casos, essas alterações hormonais são responsáveis ​​pelo crescimento do pelo terminal durante a adolescência. O púbico aparece primeiro e, aproximadamente dois anos depois, aparecem os pelos das axilas. O tempo de aparecimento varia de acordo com o desenvolvimento de cada pessoa.

Benefícios dos pelos nas axilas

Uma das principais funções dos pelos nas axilas é manter uma temperatura ideal no corpo. O pelo é capaz de atuar como uma proteção contra o ar frio ou o calor excessivo que entra em contato com aquela região sensível.

Por outro lado, também serve para reter ou retardar o suor quando ele é produzido em grandes quantidades. Desta forma, evita que o líquido goteje, como costuma acontecer nas costas.

Devemos lembras que o pelo sozinho não é responsável pelo mau cheiro que pode ocorrer na região das axilasO que o produz é a higiene inadequada, porque permite que as bactérias se acumulem na área.

1. Reduz o atrito

Os pelos das axilas evitam o contato pele a pele, reduzindo assim a irritação que a fricção pode causar, por exemplo, quando fazemos exercícios. O fato de não depilar as axilas reduz consideravelmente a possibilidade de pelos encravados, que podem causar um desconforto doloroso e infecções.

Nas axilas, existe um odor característico de cada pessoa e a presença de pelos ajuda a intensificá-lo. Esse cheiro é proveniente dos feromônios. Em particular, são substâncias químicas produzidas pelo corpo naturalmente, que são liberadas para atuar como sinais, especialmente para o sexo oposto.

A palavra feromônio é um neologismo que vem do grego, e significa carregar ou transportar algo que causa uma reação ou excitação. A definição popularizou-se em meados do século 20 e, a partir daí, fragrâncias começaram a ser fabricadas buscando reproduzir a essência desses aromas.

Então, surgiu a antiga crença de que a intensidade do cheiro nas axilas estava associada a uma exaltação das virtudes masculinas. De acordo com estudos científicos com animais, isso servia para aumentar a atratividade e encontrar, assim, um parceiro.

3. Previne outros desconfortos ou doenças

Manter os pelos nas axilas naturalmente, sem remover com lâminas ou depilar, reduz o aparecimento de erupções na pele. Da mesma forma, evita abcessos que são formados pela obstrução de um poro quando exposto a produtos químicos ou sujeira. Diante dessa realidade, alguns médicos sugerem que é preferível cortar os pelos com tesoura se quisermos a área o mais limpa possível.

Depilar as axilas
Manter os pelos nas axilas ajuda a evitar irritações na área. A sua eliminação é uma decisão pessoal, associada à estética.

Depilar os pelos das axilas é uma decisão pessoal

Embora seja verdade que os parâmetros atuais de beleza exigem a axila depilada e lisinha, é bom saber que manter os pelos na axilas tem as suas vantagens. Os critérios para eliminá-los não respondem a uma orientação médica, mas sim a uma estética. Eles estão inseridos em um padrão cultural típico deste século.

Manter a pele lisinha e fazer tratamentos para mantê-la livre de pelos nas axilas é uma decisão pessoal. Vai depender dos gostos e costumes de cada um. De qualquer maneira, em ambos os casos, os pelos não são um problema se forem mantidos bons hábitos de higiene.

Pode interessar a você...
É ruim remover ou depilar os pelos da região íntima? Descubra!
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
É ruim remover ou depilar os pelos da região íntima? Descubra!

Afinal, é ruim depilar a região íntima? Responderemos a esta pergunta neste artigo! Algumas mulheres preferem retirá-los, enquanto outras não.



  • InformedHealth.org [Internet]. Cologne, Germany: Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG); 2006-. What is the structure of hair and how does it grow? 2019 Aug 29. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK546248/
  • Randall VA. Androgens and hair growth. Dermatol Ther. 2008 Sep-Oct;21(5):314-28. doi: 10.1111/j.1529-8019.2008.00214.x. PMID: 18844710.
  • Lanzalaco A, Vanoosthuyze K, Stark C, Swaile D, Rocchetta H, Spruell R. A comparative clinical study of different hair removal procedures and their impact on axillary odor reduction in men. J Cosmet Dermatol. 2016;15(1):58-65. doi:10.1111/jocd.12197
  • Verhaeghe J, Gheysen R, Enzlin P. Pheromones and their effect on women’s mood and sexuality. Facts Views Vis Obgyn. 2013;5(3):189-195.
  • Suro Reyes, José Ángel, Gutiérrez Fernández, Luisa, Ruíz Ávila, Javier y Bouhanna, Pierre. (2007) “El pelo, generalidades y funciones.” Revista Dermatología Cosmética, Médica y Quirúrgica. Volumen 5. N° 4. Octubre-Diciembre.
  • Luo DQ, Liang YH, Li XQ, Zhao YK, Wang F, Sarkar R. Ingrowing Hair: A Case Report. Medicine (Baltimore). 2016;95(19):e3660. doi:10.1097/MD.0000000000003660