Sintomas de um acidente vascular cerebral (AVC)

· 27 de fevereiro de 2014
Para o tratamento de reabilitação, deve-se levar em conta as inquietações do paciente, já que ele deve ser personalizado e focado nas necessidades particulares de cada um.

O acidente vascular cerebral, também conhecido como ataque cerebral ou icto, requer atenção imediata. Portanto, o tempo entre a aparição dos primeiros sintomas até a atenção médica não deve superar 4 horas desde início do quadro.

Cada minuto conta. Um minuto pode evitar maiores sequelas ou pode ser a diferença entra a vida e a morte.

O AVC pode acontecer em qualquer idade, mas é mais frequente a partir dos 30 anos. Os homens apresentam mais chances de sofrerem um AVC.

É importante ter a capacidade de reconhecer os sintomas de um ataque cerebral para socorrer a tempo algum familiar ou conhecido que esteja passando por essa situação ou para detectar os sintomas em nós mesmos e chamar a urgência ou uma ambulância.

Os sintomas de alerta

Preste muita atenção aos seguintes sintomas, ainda que desapareçam, chame um médico para fazer uma revisão.

  • Sentir debilidade ou adormecimento de um lado do rosto ou do corpo.
  • Repentina dificuldade para falar ou engolir.
  • Dor de cabeça intensa de maneira súbita e sem causa aparente.
  • Perda de equilíbrio, coordenação, visão dupla, enjoos.
  • Dificuldade na visão de um ou ambos os olhos.
  • Confusão geral.

Recomendamos também a leitura: 5 exercícios para melhorar a memória

Causa do acidente vascular cerebral (AVC)

É causado pela obstrução ou ruptura de uma artéria do cérebro.

Existem dois tipos: 

  • Ataque cerebral isquêmico: é produzido por uma obstrução de alguma artéria e por consequência o sangue não chega a uma parte do cérebro.
  • Ataque cerebral hemorrágico: é produzido por uma ruptura de uma artéria no cérebro, causando assim uma hemorragia que danifica a área da perda de sangue.

Prevenção

Geralmente, esse mal vem acompanhado de patologias, como a arteriosclerose ou hipertensão arterial.

Arteriosclerosis

Por isso, devemos controlar tais situações, assim como evitar maus hábitos.

  • Não fume
  • Controle a pressão arterial
  • Tenha uma alimentação saudável
  • Realize atividade física regularmente
  • Controle o colesterol
  • Evite o sobrepeso
  • Controle a diabetes

Realize controles de rotina para estar atento a qualquer alteração no sistema circulatório, principalmente se a mudança afetar as artérias carótidas, que são as encarregadas de levar sangue e, como consequência, oxigênio para o cérebro.

CarotidaRecomendamos também a leitura: 5 causas para pontadas na cabeça

Recuperação

A recuperação logo após de sofrer um acidente vascular cerebral depende, como já mencionamos anteriormente, da atenção imediata do paciente, das lesões que foram produzidas no cérebro com as possíveis sequelas e de um processo de reabilitação neurológico de maneira precoce.

O corpo de quem sofreu um ataque cerebral atua como se tivesse perdido a memória, é necessário voltar a ensinar os movimentos que antes eram realizados com toda normalidade e facilidade.

Assim mesmo, é necessária a contenção psicológica, tanto do paciente como da família. As mudanças são grandes na família de um paciente com sequelas de um ataque cerebral. A impotência, mais a depressão, o esgotamento diário etc.

Inesperadamente a pessoa afetada passa de ativa, com um trabalho e realizando suas atividades de maneira independente a um estado total ou parcial de dependência de outras pessoas.

Além disso, na recuperação nada é certo, os avanços podem ser lentos. O corpo de cada pessoa responde de maneira diferente aos estímulos. Um paciente mais jovem geralmente apresenta melhor prognóstico em relação à reabilitação.

A recuperação em pessoas idosas

Em uma pessoa mais velha, o que se busca é conseguir a maior independência possível para realizar as atividades prévias ao acidente vascular cerebral. As inquietudes do paciente devem ser escutadas e o tratamento reabilitador deve ser focado nas necessidades particulares do paciente.

O AVC não apenas é uma das condições que causa a morte de milhares de pessoas todos os anos, como também  também pode produzir múltiplas incapacidades nas pessoas que o sofrem.

Pedimos às pessoas que sofrem de problemas prévios de circulação para prestarem maior atenção nas maneiras de prevenção do acidente vascular cerebral.

A vida é um tesouro tão valioso para nos descuidarmos com excessos que repercutem em nossa saúde cedo ou tarde, ou também por falta de cuidados e atenção médica em doenças pré existentes.

  • BRAGA, Jorge Luiz; ALVARENGA, Regina MP; NETO, J. B. M. M. Acidente vascular cerebral. Rev Bras Med, v. 60, n. 3, p. 88-94, 2003.
  • DÍAZ-TAPIA, V. et al. Estudio sobre la calidad de vida en pacientes con accidente vascular cerebral isquémico. Rev Neurol, v. 46, n. 11, p. 652-655, 2008.
  • CANCELA, Diana Manuela Gomes. O acidente vascular cerebral–classificação, principais consequências e reabilitação. O portal do Psicólogo, Portugal, p. 2-18, 2008.