Sertralina: o que é e quais são seus efeitos

22 de setembro de 2019
Em geral, a natureza e a incidência das reações adveras geradas pela sertralina em todas as suas indicações são parecidas, independentemente da idade do paciente.

A sertralina é um fármaco pertencente à família dos antidepressivos. Portanto, é utilizado principalmente para o tratamento da depressão. Classifica-se no grupo dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina, os quais serão mais detalhes a seguir.

Além dos efeitos antidepressivos, também apresenta ações eficazes para o tratamento de diferentes quadros clínicos como a ansiedade, o transtorno obsessivo-compulsivo ou a fobia, entre outros.

Por outro lado, cabe mencionar que o laboratório responsável por sua comercialização foi a empresa farmacêutica americana Pfizer, que o lançou no mercado no ano de 1991.

Vantagens da sertralina frente a outros antidepressivos

Comprimidos de sertralina

Não são muito marcadas as diferenças entre a sertralina e os demais antidepressivos mais novos. Em resumo, a maioria das vantagens que este fármaco oferece estão determinadas pelos efeitos secundários que produz, que são reduzidos.

Ademais, evidências das diferentes pesquisas sugere que a sertralina pode funcionar melhor do que a fluoxetina em alguns tipos de depressão.

Por outro lado, foi demonstrado que na hora de utilizar a sertralina para os episódios de pânico e fobiaeste fármaco consegue reduzir o número desses, assim como melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

O que é a depressão?

Como a indicação principal deste medicamento é a depressão, focaremos em explicar no que esta consiste. Nesse sentido, a depressão é um transtorno do tipo emocional que cursa com um sentimento de tristeza constante e uma perda de interesse muito marcada na hora de realizar atividades.

A depressão, portanto, afeta:

  • Sentimentos.
  • Pensamentos.
  • Comportamentos.

Com relação à origem da doença, salvo em alguns casos nos quais a depressão está associada com outras doenças como por exemplo o Parkinson, a causa principal deste transtorno é uma alteração dos neurotransmissores no sistema nervoso central.

O neurotransmissor que apresenta mais implicação no desenvolvimento da depressão é a serotonina.

A serotonina é considerara por alguns pesquisadores como a substância química responsável por manter o equilíbrio do estado de ânimo. Por isso, um déficit de serotonina conduz a estados depressivos.

No entanto, também existem outros neurotransmissores como a noradrenalina ou a dopamina que, ao modificarem seus níveis, favorecem o aparecimento deste transtorno de ânimo.

Além disso, costuma a depressão costuma ser o produto da interação de diferentes fatores:

  • Biológicos: mudanças hormonais ou alterações dos neurotransmissores mencionados.
  • Psicossociais: estresse contínuo pelo trabalho, vida pessoal, etc.
  • Pessoais.

Leia também: Como reagir ante uma infidelidade?

Como a sertralina exerce seu efeito no organismo?

Sertralina na sinapse

Como dissemos anteriormente, a sertralina é um inibidor da recaptação de serotonina. Além disso, é altamente seletiva com efeitos mínimos sobre a recaptação da norepinefrina, diferentemente de muitos antidepressivos tricíclicos.

Em outras palavras, a serotonina, assim como outros neurotransmissores, é secretada por um neurônio para se ligar com os receptores de membrana de outro neurônio contíguo e, dessa forma, desencadear um efeito.

Em seguida, libera-se deste receptor e algumas moléculas voltam para o neurônio que as secretou previamente por um processo de recaptação. É neste processo que a sertralina exerce seu efeito, ao inibi-lo. Dessa maneira, a serotonina não é recaptada e aumenta sua concentração no espaço pré-sináptico que existe entre os neurônios.

Ao ter mais serotonina, esta pode voltar a se ligar nos receptores de membrana do neurônio e desencadear mais efeito.

Além disso, como vimos, tem uma baixa afinidade por outros tipos de receptores de aminas biogênicas, como a norepinefrina. Este fato explicaria o fato de ter menos efeitos adversos do que outros fármacos inibidores da recaptação da serotonina.

Descubra ademais: 6 inimigos da saúde do cérebro que deveria eliminar hoje

Reações adversas

Efeitos da sertralina na depressão

No geral, a natureza e a incidência de reações adversas geradas pela sertralina em todas as suas indicações são parecidas, independentemente da idade do paciente.

Os efeitos adversos mais frequentes são os que aparecem no trato gastrintestinal, incluindo alguns dos seguintes:

  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreia.
  • Anorexia.
  • Dispepsia.
  • Outros.

Conclusão

A principal indicação da sertralina é o tratamento da depressão. Contudo, também pode ser indicada para o tratamento de outros transtornos como os ataques de pânicos ou o TOC.

Além disso, deve-se seguir sempre as indicações do médico e consultar sobre qualquer dúvida que surja sobre a doença ou o tratamento prescrito.

  • Fegert, J. M. (2004). Depression treatment with SSRI in child and adolescent psychiatry. A debacle of research or information? NERVENHEILKUNDE.
  • Farmoz. (2011). RCM Sertralina. Journal of Chemical Information and Modeling. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004
  • Rodríguez-Ramos, P., & Mardomingo Sanz, M. J. (1998). Respuesta a la sertralina en adolescentes con trastorno obsesivo-compulsivo. Actas Espanolas de Psiquiatria.