Quais são os benefícios das framboesas?

As framboesas são frutas versáteis, saborosas e saudáveis. Descubra por que você deveria tomar um suco delas para acompanhar seu lanche.
Quais são os benefícios das framboesas?

Última atualização: 23 março, 2022

O consumo de frutas e vegetais sempre fez parte das dietas saudáveis, pois protege contra certas doenças causadas pelo estresse oxidativo. As framboesas (Rubus spp.) são um exemplo deste tipo de alimento, pois fornecem antioxidantes.

As framboesas, além de serem populares por seu sabor agradável, também são consideradas alimentos funcionais ou nutracêuticos. Elas contêm compostos bioativos como antocianinas, que têm demonstrado benefícios para a saúde.

Características das framboesas

A framboesa de qualquer variedade é o fruto de um arbusto que pertence à família Rosaceae. Geralmente ela cresce em florestas europeias, onde é nativa. Aparentemente teve sua origem na Grécia e de lá passou de outros países para a América do Norte.

As variedades mais comuns são a vermelha (Rubus idaeus), típica da Europa, e a vermelha e preta na América do Norte, como a framboesa preta (Rubus occidental), a framboesa silvestre (Rubus strigosus) e a framboesa roxa (Rubusnegligus).

Sua forma é redonda ou cônica; a casca é aveludada e coberta de pelos finos. É uma fruta composta por muitas bagas agrupadas em miniatura, e cada uma tem uma única semente.

Componentes nutricionais

A seguir mostraremos uma lista dos nutrientes de uma porção normal (1 xícara ou 144 gramas de framboesa crua) de qualquer variedade:

  • Energia: 75 calorias.
  • Carboidratos: 18 gramas.
  • Fibra: 7,6 gramas.
  • Potássio: 282 miligramas.
  • Vitamina C: 30 miligramas.

De acordo com os valores indicados, a framboesa pode ser incluída em dietas para perder peso, já que uma porção normal mal fornece 75 calorias. A energia das framboesas vem da frutose e da glicose, que são absorvidas muito rapidamente.

O valor de potássio é semelhante ao do suco de limão, manga fatiada e polpa de melão. O potássio ajuda na contração muscular e no ritmo cardíaco.

As framboesas têm um teor de fibras superior ao de outras frutas. Elas são consumidas inteiras, de forma que suas fibras solúvel e insolúvel são aproveitadas, prevenindo a constipação.

A vitamina C é encontrada em valores moderados, por isso é recomendável consumi-la fresca para aproveitá-la melhor. Se você for preparar um suco de framboesa, faça-o rapidamente para que a vitamina C não oxide.

Framboesas.
As framboesas fornecem antioxidantes que têm uma importante função biológica, combatendo os radicais livres.

Componentes bioativos na framboesa

Vários especialistas concordam que framboesas, amoras e bagas em geral contêm vários tipos de polifenóis antioxidantes, como ácidos fenólicos, flavonoides e antocianinas, e outros como resveratrol e ácido elágico. Por esse motivo, Clark e Finn recomendam frutas como parte do programa de melhoria da saúde.

Outros pesquisadores publicaram que os valores de antocianina nas framboesas e outras bagas podem chegar a 223 miligramas por 100 gramas de fruta. Os polifenóis variam de 657 a 2.611 miligramas em 100 gramas de frutas secas.

A vitamina C foi encontrada entre 14 e 103 miligramas por 100 gramas de framboesas frescas. Esses valores respaldam a alta capacidade antioxidante atribuída a essa fruta.

Benefícios da Framboesa

É evidente que a maioria dos benefícios das framboesas se deve à presença de antioxidantes que protegem o corpo quando consumidos. Vejamos mais algumas questões:

1. Melhoram alguns problemas intestinais

Uma dieta pobre em fibras está relacionada a problemas intestinais, como constipação e inchaço. Além disso, um artigo da revista BMJ publicou que, quando não há fibra suficiente na dieta, pode-se aumentar o risco de doenças cardíacas.

Uma xícara de framboesas frescas, apesar de seu tamanho pequeno, pode fornecer até 8 gramas de fibra. A framboesa é a baga com maior teor de fibras quando comparada a outras, como amoras, morangos e mirtilos.

Comer a quantidade necessária de fibra reduz o colesterol, controla o açúcar no sangue, promove o movimento intestinal e a saciedade. Alguns tipos de fibra atuam como alimento para as bactérias intestinais.

2. Elas podem combater o estresse oxidativo

Os radicais livres são moléculas formadas a partir de reações biológicas no corpo. Eles são muito reativos, de forma que oxidam e danificam o que estiver ao seu redor. Este efeito leva a doenças degenerativas e envelhecimento. Para viver de forma mais saudável, é necessário um equilíbrio entre a formação de radicais livres e os antioxidantes que podem neutralizá-los.

Quanto mais escura for a framboesa, maior a variedade de antocianinas e cianidinas com capacidade antioxidante. É relatado um valor antioxidante de 3,5 vezes maior que a vitamina E. Sem esquecer o conteúdo de vitamina C, que também possui essas propriedades.

A revista Nutrition Research expôs que 300 gramas de bagas são capazes de proteger o DNA contra os danos dos radicais livres. Da mesma forma, outro estudo revelou que comer 1/2 quilo de polpa de baga diariamente durante um mês reduziu um marcador pró-oxidante em 38%.

3. Podem reduziro risco de doenças cardíacas

Quando os valores de LDL ou colesterol ruim aumentam no sangue, isso se torna um fator de risco para o coração. Os compostos fenólicos da framboesa e outras bagas podem proteger o coração, inibindo a oxidação do LDL.

A ciência explica que isso ocorre porque os fenóis bloqueiam os radicais livres (em testes aplicados em ratos). Um efeito semelhante também foi observado em células humanas.

Além disso, as antocianinas parecem suprimir uma proteína conhecida como MCP-1. Esta proteína induz a formação de placas lipídicas nas paredes arteriais.

4. Previnem doenças neurodegenerativas

Comer algumas framboesas deliciosas e suculentas de cores diferentes pode melhorar a saúde do cérebro e ajudar a prevenir o esquecimento, comum com o envelhecimento. O Centro de Pesquisa em Nutrição Humana sobre o Envelhecimento, relatou que os antioxidantes nas frutas como a framboesa podem impedir a alteração na comunicação das células cerebrais.

Além disso, essas frutas também ajudam a reduzir a inflamação cerebral que é desencadeada por problemas motores típicos do envelhecimento e das funções cognitivas. Um estudo em ratos revelou que as antocianinas são benéficas na prevenção da doença de Alzheimer.

5. Elas podem melhorar os níveis de insulina e açúcar no sangue

Dietas com alta resposta glicêmica podem estar associadas a um risco aumentado de obesidade e diabetes tipo 2. No entanto, os polifenóis podem aumentar essas respostas e manter o controle do açúcar no sangue.

O British Journal of Nutrition descobriu que, comendo framboesas e outras frutas com pão, os participantes melhoraram a resposta à insulina. Testes também foram realizados em pessoas obesas com resistência à insulina. Durante 6 semanas, eles tomaram uma vitamina de frutas roxas 2 vezes ao dia. Uma melhora na sensibilidade à insulina foi encontrada.

6. São anti-inflamatórias

A inflamação é um sinal de defesa do corpo contra infecções ou lesões. Felizmente, as bagas têm propriedades anti-inflamatórias. A inflamação crônica é precursora de diabetes, obesidade e distúrbios cardíacos.

Alguns estudiosos afirmam que os compostos polifenólicos, principalmente as antocianinas, possuem atividade anti-inflamatória em animais e humanos. Este poder anti-inflamatório das bagas é eficaz tanto para pessoas com peso normal quanto para pessoas com obesidade e sobrepeso. Isso é demonstrado por um estudo.

7. Elas podem trazer benefícios para a pele

Os radicais livres tendem a causar danos à pele que aceleram o envelhecimento. No entanto, especialistas comentam que as framboesas ajudam a reduzir as rugas.

Testes em laboratório e em animais indicam que o ácido elágico nas bagas é o principal antioxidante para a pele. Ele atua como um bloqueador das enzimas que quebram o colágeno.

Você sabe o que é colágeno? É uma proteína que dá estrutura à pele e permite que ela se estique e se mantenha firme. Se o colágeno estiver danificado, as rugas aparecerão.

8. Elas podem proteger contra o câncer

Evidências epidemiológicas sugerem que mais de 20% dos casos de câncer podem ser prevenidos com uma dieta contendo 400 a 800 gramas de vários vegetais e frutas por dia. Os fitoquímicos de bagas como a framboesa podem modular a iniciação, promoção e progressão do câncer.

Alguns pesquisadores de câncer trabalharam com antocianinas, resveratrol e ácido elágico. Eles descobriram que esses fitoquímicos induzem antioxidação, desintoxicação, morte celular e antiproliferação de células malignas em animais.

Apesar desses resultados, a ciência ainda não tem resultados concretos. Alguns testes em animais não podem ser extrapolados com segurança para humanos, e outros realizados em pacientes podem ser contraditórios.

Framboesas vermelhas com antioxidantes.
Os antioxidantes das framboesas também são anti-inflamatórios. Isso explica sua ação contra distúrbios metabólicos.

Possíveis contraindicações das framboesas

Embora as framboesas sejam deliciosas, nutritivas e benéficas, alguns cuidados devem ser tomados ao consumi-las, como:

  • Bagas vermelhas aparecem na lista de alimentos alergênicos.
  • São proibidas em crises de úlceras duodenais e estomacais, gastrite, pólipos nasais, nefrite, gota, asma e poliartrite.
  • Elas não devem fazer parte da dieta de pessoas que tendem a formar coágulos sanguíneos ou que precisam tomar anticoagulantes.
  • As mulheres grávidas não podem comer mais de 3 framboesas por dia, pois isso pode causar alergias no bebê.

As framboesas devem fazer parte dos programas de dieta saudável. Mas claro, combinada com outros vegetais e frutas.

Uma alimentação com framboesas frescas, congeladas, em sorvetes, com creme, em vitaminas, entre outras preparações, nos permite levar uma vida mais saudável através de suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

This might interest you...
Framboesas: descubra como consumi-las em sua dieta
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Framboesas: descubra como consumi-las em sua dieta

Você pode não saber como consumir framboesas, mas neste artigo explicaremos como podemos usá-las nas nossas receitas. Confira!



  • Frambuesa. Raspberry Rubus idaeus L. Disponible en: https://www.mapa.gob.es/es/ministerio/servicios/informacion/frambuesa_tcm30-102818.pdf
  • Susan E. Gebhardt and Robin G.Thomas. United States Department of Agriculture (USDA). Home and Garden Bulletin Number 72. 2002. Disponible en: https://naldc.nal.usda.gov/download/CAT11131126/PDF
  • Potasio en la dieta. MedlinePlus. Disponible en: https://medlineplus.gov/spanish/potassium.html
  • Reyes-Carmona J., Yousef G.G., Martinez-Peniche R.A., Lila M.A. (2005): Antioxidant capacity of fruit extracts of blackberry (Rubus sp.) produced in different climatic regions. Journal of Food Science, 70: 497–503.
  • Clark J.R., Finn C.E. (2011): Blackberry breeding and genetics. Fruit, Vegetable and Cereal Science and Biotechnology, 5: 27–43.
  • Pantelidis, G., Vasilakakis, M.D., Manganaris, G.A., & Diamantidis, G. (2007). Antioxidant capacity, phenol, anthocyanin and ascorbic acid contents in raspberries, blackberries, red currants, gooseberries and Cornelian cherries. Food Chemistry, 102, 777-783.
  • Wang, S.Y. “Antioxidant capacity and phenolic content of berry fruits as affected by genotype, preharvest conditions, maturity, and postharvest handling”@eng. Boca Raton : CRC Press, c2007. Food science and technology. 2013. 147-186.
  • Wang, H.; Cao, G.; Prior, R. L. Oxygen radical absorbing capacity of anthocyanins. J. Agric. Food Chem. 1997, 45, 304–309.
  • Giusti, M. M.; Jing, P. Natural pigments of berries: functionality and application. In Berry Fruit. Value-Added Products for Health Promotion, 1st ed.; Zhao, Y., Ed.; CRC: Boca Raton, FL, 2007; Vol. 1, pp 105146
  • Shahidi, F.; Naczk, M. Phenolics in Food and Nutraceuticals; CRC: Boca Raton, FL, 2004; Vol. 1, pp 558595.
  • Garcia-Alonso, M.; Minihane, A. M.; Rimbach, G.; Rivas-Gonzalo, J. C.; de Pascual-Teresa, S. Red wine anthocyanins are rapidly absorbed in humans and affect monocyte chemoattractant protein 1 levels and antioxidant capacity of plasma. J. Nutr. Biochem. 2009, 20, 521–529.
  • Freedman, J. E.; Parker, C.; Li, L.; Perlman, J. A.; Frei, B.; Ivanov, V.; Deak, L. R.; Iafrati, M. D.; Folts, J. D. Select flavonoids and whole juice from purple grapes inhibit platelet function and enhance nitric oxide release. Circulation 2001, 103, 2792–2798
  • Marshall G. Miller and Barbara Shukitt-HaleJ. Berry Fruit Enhances Beneficial Signaling in the Brain Agric. Food Chem. 2012, 60, 23, 5709–5715. Disponible en: https://doi.org/10.1021/jf2036033
  • Del Bo’, C., Riso, P., Campolo, J., Møller, P., Loft, S.H., Klimis-Zacas, D.J., Brambilla, A., Rizzolo, A., & Porrini, M. (2013). A single portion of blueberry (Vaccinium corymbosum L) improves protection against DNA damage but not vascular function in healthy male volunteers. Nutrition research, 33 3, 220-7 .
  • Białasiewicz, P., Prymont-Przymińska, A., Zwolińska, A., Sarniak, A., Włodarczyk, A., Król, M., Glušac, J., Nowak, P.J., Markowski, J., Rutkowski, K.P., & Nowak, D. (2014). Addition of Strawberries to the Usual Diet Decreases Resting Chemiluminescence of Fasting Blood in Healthy Subjects—Possible Health-Promoting Effect of These Fruits Consumption. Journal of the American College of Nutrition, 33, 274 – 287.
  • Törrönen, R., Sarkkinen, E.S., Tapola, N.S., Hautaniemi, E.J., Kilpi, K., & Niskanen, L. (2009). Berries modify the postprandial plasma glucose response to sucrose in healthy subjects. British Journal of Nutrition, 103, 1094 – 1097.
  • Stull AJ, Cash KC, Johnson WD, Champagne CM, Cefalu WT. Bioactives in blueberries improve insulin sensitivity in obese, insulin-resistant men and women. J Nutr. 2010;140(10):1764-1768. doi:10.3945/jn.110.125336
  • Shukitt-Hale, B.; Cheng, V.; Joseph, J. A. Effects of blackberries on motor and cognitive function in aged rats. Nutr. Neurosci. 2009, 12, 135–140
  • Marshall G. Miller, Nopporn Thangthaeng, Grant A. Rutledge, Tammy M. Scott, Barbara Shukitt-Hale. Dietary strawberry improves cognition in a randomised, double-blind, placebo-controlled trial in older adults. British Journal of Nutrition 2021, 126 (2) , 253-263. https://doi.org/10.1017/S0007114521000222
  • Shama V. Joseph, Indika Edirisinghe, and Britt M. Burton-Freeman. Journal of Agricultural and Food Chemistry 2014 62 (18), 3886-3903. DOI: 10.1021/jf4044056
  • Edirisinghe, I., Banaszewski, K., Cappozzo, J.C., Sandhya, K., Ellis, C.L., Tadapaneni, R.K., Kappagoda, C.T., & Burton-Freeman, B. (2011). Strawberry anthocyanin and its association with postprandial inflammation and insulin. The British journal of nutrition, 106 6, 913-22 .
  • Bae, J., Choi, J., Kang, S.W., Lee, Y., Park, J., & Kang, Y. (2010). Dietary compound ellagic acid alleviates skin wrinkle and inflammation induced by UV‐B irradiation. Experimental Dermatology, 19.
  • Aiyer HS, Vadhanam MV, Stoyanova R, Caprio GD, Clapper ML, Gupta RC. Dietary berries and ellagic acid prevent oxidative DNA damage and modulate expression of DNA repair genes. Int J Mol Sci. 2008;9(3):327-341. doi:10.3390/ijms9030327
  • Lydia Kaume, Luke R. Howard, and Latha Devareddy. Journal of Agricultural and Food Chemistry 2012 60 (23), 5716-5727. DOI: 10.1021/jf203318p
  • Duthie, S.J. (2007). Berry phytochemicals, genomic stability and cancer: evidence for chemoprotection at several stages in the carcinogenic process. Molecular nutrition & food research, 51 6, 665-74 .