O estrogênio: um hormônio essencial na mulher

· 24 de maio de 2019
Algumas substâncias que se produzem no nosso corpo são responsáveis para o bom funcionamento de determinados órgãos. Já foi comprovada a incidência do estrogênio para um cérebro saudável e equilibrado.

Os hormônios são a chave para decifrar alguns estados de ânimo, especialmente nas mulheres. O gênero feminino gera muitas dúvidas e as respostas às vezes estão relacionadas com estes elementos que dominam o corpo dos pés à cabeça. Entre eles, está o estrogênio.

O estrogênio

O estrogênio é uma das substâncias mais importantes na mulher. É o responsável pelo crescimento das mamas, responsável pela menstruação e pelo alargamento dos quadris. Com a puberdade a sua produção se eleva estimulando a maturação do útero, do endométrio, das trompas de Falópio e da vagina.

Homens e mulheres segregam estrogênio como parte de uma estratégia natural para garantir a preservação da espécie. Entretanto, são as mulheres as que mais sentem seus efeitos durante três momentos fundamentais: a puberdade, a gravidez e a menopausa.

Tipos de estrogênios

Trata-se de um hormônio sexual esteroide derivado dos andrógenos. Há três tipos de estrogênios no corpo, cumprindo uma função endócrina. Todos agem sobre o núcleo das células que regulam a síntese de proteínas.

  • A estrona, cuja enzima aromatase é adquirida através da síntese da progesterona. Sua produção ocorre no tecido adiposo e nos ovários.
  • O estradiol, é obtido pela enzima aromatase a partir da testosterona e sua presença é abundante no corpo feminino durante os anos férteis.
  • Por último, o estriol. Este hormônio é sintetizado através da androsterona, e é produzido em enormes quantidades durante a gestação.

Isso certamente também vai te interessar: Como regular os hormônios através dos exercícios

Cérebro saudável com o estrogênio

Importante consumir estrogênios na alimentação.

Os estrogênios possuem múltiplas funções no organismo, promovendo o fluxo do sangue ao nível do cérebro entre outras. O estrogênio possui também um efeito preventivo em doenças cerebrovasculares. Outra de suas tarefas vitais: age positivamente sobre o funcionamento integral do “centro de comando” do corpo humano.

Estes benefícios se produzem graças a que favorecem o fluxo contínuo tanto de sangue como de glicose ao cérebro. Trata-se de um aspecto fundamental para a conservação dos neurônios e de alguns neurotransmissores.

Muitos outros benefícios

Mas isto não é tudo, os hormônios sexuais femininos, além de regular o correto funcionamento do ciclo reprodutor e de trabalhar em conjunto com os andrógenos para estimular a libido, também contribuem para o desenvolvimento dos órgãos sexuais secundários.

Assim, diminuem a pressão arterial e protegem os ossos graças à sua intervenção na assimilação do cálcio. Além disso, incidem positivamente em todas as funções do sistema urinário.

Durante a menstruação, os níveis destes hormônios variam radicalmente. Por isso, ocorrem as mudanças de humor em muitas mulheres durante esta etapa. Alguns destes sinais, sem motivo aparente são: Irritabilidade, insônia, diminuição da capacidade cognitiva e episódios de ansiedade.

Não deixe de ler: Remédios naturais eficazes para tratar os sintomas da menopausa

A menopausa e os estrogênios

A menopausa e o estrogênio

Com a chegada da menopausa, a produção de estrogênios se reduz de forma brusca, o que ocasiona grandes mudanças no organismo.

Alguns dos sintomas que geralmente ocorrem são: secura vaginal, variações radicais do humor, cansaço extremo, sudorese excessiva e o risco de osteoporose. Além disso, também se elevam os riscos de sofrer doenças cardiovasculares.

Aliás, também há evidências de situações com perda de colágeno e cálcio. É por isso que durante esta etapa se recomendam tratamentos específicos para compensar esses sintomas.

O estradiol e o cérebro

O estradiol é o hormônio mais forte entre os estrogênios, tem um papel vital dentro das funções motoras e também se relaciona com os processos da memória e aprendizagem, assim como com a sensibilidade à dor.

Alguns especialistas, inclusive, atribuem ao estradiol a capacidade de proteger o cérebro contra os possíveis danos que podem ser ocasionados por doenças como o Alzheimer.

Em conclusão, uma alimentação saudável será capaz de uma regulação hormonal ideal. Portanto, tomando essas medidas, juntamente com check-ups médicos e uma rotina de exercícios físicos de acordo às necessidades individuais de cada mulher, será possível ter uma vida equilibrada e saudável.

  • Dr. Alberto Calderón Zúñiga. 2009. ESTROGENOS EN TERAPIA DE SUSTITUCION HORMONAL. Extraído de: http://www.binasss.sa.cr/revistas/farmacos/especial2009/art4.pdf
  • Guillermo Bravo Prieto. 2016. Efecto de los Estrógenos en las Funciones cognitivas. Extraído de: https://uvadoc.uva.es/bitstream/10324/28474/1/TFG-M-L1050.pdf