Não tenho vontade de fazer nada; o que posso fazer?

Há momentos em que estamos muito estressados ou cansados e não queremos fazer nada. No entanto, o que acontece quando essa sensação se mantém ao longo do tempo? Vamos explicar tudo a seguir.
Não tenho vontade de fazer nada; o que posso fazer?

Última atualização: 14 Junho, 2021

“Não tenho vontade de fazer nada; o que posso fazer?” Talvez você já tenha se questionado dessa forma em mais de uma ocasião. Por isso, decidimos refletir sobre este assunto específico.

A princípio, não ter vontade de fazer nada pode ser algo normal e provavelmente relacionado ao cansaço, já que problemas como a fadiga geralmente são definidos como uma falta de energia e motivação, de forma geral.

Ou seja, talvez você tenha estado muito ocupado, vivendo sob estresse e, então, chega um dia em que você não quer fazer nada. Nesse momento, você reflete e percebe que não quer organizar a sua casa, cuidar do seu jardim ou talvez nem mesmo queira ir trabalhar.

Nessas situações, vale a pena examinar o contexto, pois pesquisas como a publicada em 2018 na Revista de Neuropsiquiatría sugerem que estar submetido a um forte estresse pode ser o gatilho para a fadiga e o prelúdio de outras doenças.

Se for esse o seu caso, talvez você só precise descansar um pouco, desconectar-se de tudo por um momento e recarregar as baterias. A seguir, vamos detalhar o que você pode fazer.

Não tenho vontade de fazer nada: o que está acontecendo?

O que acontece naqueles casos em que não se trata apenas de fadiga, mas sim de uma sensação que parece se agravar mesmo com o passar do tempo? Se este for o caso, então é hora de prestar atenção.

Os estados de apatia que demoram muito para ser superados e nos quais a pessoa só quer ficar na cama, isolada do mundo, podem ser indicativos de algo mais sério.

Se, além de não querer fazer nada, você sente vontade de chorar ou sente angústia, falta de apetite, culpa, tristeza, entre outros, o melhor a fazer é consultar um psicólogo ou psiquiatra sobre o seu estado mental.

Sintomas de uma possível apatia

De acordo com um grupo de pesquisadores japoneses, a apatia é caracterizada principalmente por uma falta de motivação que não pode ser atribuída ao sofrimento emocional, à deficiência intelectual ou à diminuição da consciência.

Não tenho vontade de fazer nada
Se você não tem vontade de fazer nada, talvez você tenha apatia ou precise discutir os seus problemas com um profissional.

Outros sintomas de apatia podem ser:

  • Ter um estilo de vida sedentário.
  • Desinteresse por interagir com as outras pessoas.
  • Vontade de permanecer socialmente isolado.
  • Investir menos tempo nos próprios projetos.
  • Abandonar objetivos.
  • Sensação de que a vida passa sem propósito.
  • Viver com desilusão.
  • Só querer dormir ou não querer fazer nada.

Esses sintomas podem ser parte de um problema que vai além da apatia; por isso, é aconselhável consultar um psicólogo ou psiquiatra nesses casos.

O que posso fazer se não tenho vontade de fazer nada?

Existem algumas coisas que você pode fazer se não se sente motivado a fazer nada:

  • Tente se automotivar. A motivação pode não aparecer imediatamente, mas se você definir algumas pequenas tarefas, talvez você possa se sentir melhor. Imagine como você se sentiria bem se fosse ao cinema com os amigos ou se fosse caminhar no parque.
  • Quebre o ciclo de negatividade. Esse pode ser outro motivo pelo qual você não tem vontade de fazer nada: porque está nadando, inconscientemente, em um mar de negatividade. Tente quebrar esse ciclo, mude as suas rotinas e estabeleça uma meta que encha a sua vida de entusiasmo.
  • Pratique algum exercício físico. Talvez possa parecer ilógico, mas assim que você começar a exercitar o seu corpo, você vai sentir um bem-estar e o seu estado de humor vai mudar.
  • Dedique-se ao que você gosta. Talvez as suas tarefas sejam entediantes e esse seja o seu problema. No entanto, se você retomar a sua paixão pela fotografia, pela pintura, aprender um idioma ou começar a fazer um curso, isso pode te ajudar a recuperar o ânimo pela sua vida.
Viajar com os amigos
Fazer uma viagem ou quebrar a rotina de alguma forma pode te ajudar a recuperar as energias e a vontade de realizar as suas tarefas diárias.

Outras opções podem ser:

  • Fazer uma pequena viagem. Dessa forma, você poderá se desconectar da vida cotidiana e da rotina. Alguns dias com a mente relaxada podem ser a solução.
  • Desafie-se. Proponha-se a conhecer pessoas novas, participar de mais eventos culturais ou viver uma experiência que você nunca teve antes.
  • Estabeleça uma data no calendário. Desta forma, você terá um comprometimento com a realização do seu novo objetivo.
  • Evite se isolar. Para que os pensamentos tóxicos e o pessimismo não tomem conta de você, passe bons momentos com as pessoas que você ama e que estão por perto.
  • A felicidade depende de você. Lembre-se de que a sua felicidade não depende de outras pessoas, mas sim de você mesmo. Todos os recursos para se sentir feliz estão em você.

Lembre-se de procurar ajuda se precisar

Se você já tentou de tudo por conta própria e sente que, ainda assim, não consegue sair desse estado de desinteresse ou apatia, é importante e necessário procurar ajuda profissional.

Se você sente que não tem forças para fazer as suas tarefas, ir ao trabalho ou se dedicar aos estudos, então consulte um psicólogo.

Não espere que a sensação simplesmente desapareça nem permita que ela se apodere de você. Talvez você esteja sofrendo de abulia como o principal sintoma de uma depressão maior, ou o seu estado seja de incapacidade de sentir alegria ou prazer nas coisas, ou seja, uma anedonia.

Não se preocupe; seja qual for a sua situação, se você já tentou de tudo e ainda continua pensando ‘não tenho vontade de fazer nada’, busque apoio terapêutico para melhorar o seu estado mental.

Pode interessar a você...
O estresse diário pode causar depressão
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
O estresse diário pode causar depressão

O estresse diário pode causar depressão. Por isso, aprender a relaxar e construir um estilo de vida saudável é bastante recomendável.



  • Casas Rivero, J. (2009). Síndrome de fatiga crónica. Pediatria Integral. https://doi.org/10.1016/S1138-3593(09)72676-0
  • Chóliz, M. (2004). Psicología de la Motivación. In 112.
  • Ramirez Tovar, M. C. (2008). Fatiga : Metal Actual.
  • Reeve, john M. (2009). Motivación y Emoción. In Uma ética para quantos? https://doi.org/10.1007/s13398-014-0173-7.2
  • Seguel, F., & Valenzuela, S. (2014). Relación entre la fatiga laboral y el síndrome burnout en personal de enfermería de centros hospitalarios. Enfermería Universitaria. https://doi.org/10.1016/s1665-7063(14)70923-6
  • Fatigue: MedlinePlus Medical Encyclopedia. (2020). Retrieved 18 July 2020, from https://medlineplus.gov/ency/article/003088.htm
  • Ishizaki, J., & Mimura, M. (2011). Dysthymia and apathy: diagnosis and treatment. Depression research and treatment, 2011.
  • Pedraz-Petrozzi, B. (2018). Fatiga: historia, neuroanatomía y caracteristicas psicopatológicas. Una revisión de la Literatura. Revista de Neuro-Psiquiatría, 81(3), 174-182.