Não consigo parar de comer: o que eu posso fazer?

Quando a força de vontade para parar de comer falha, pode haver uma causa emocional subjacente. Você não consegue parar de comer? Você sabe como lidar com isso? Não perca as dicas que compartilhamos a seguir.
Não consigo parar de comer: o que eu posso fazer?

Última atualização: 13 Junho, 2021

Você está com fome o tempo todo? Não consegue evitar saquear a geladeira no meio da noite? Você come mais do que gostaria e depois se sente culpado? Sempre se pergunta: “Por que não consigo parar de comer?” Nesse caso, seu problema provavelmente é de natureza emocional, pelo menos em grande parte.

A sensação de não conseguir controlar a ingestão de comida torna-se angustiante, pois você sabe que não está prejudicando apenas a sua aparência, mas também a sua saúde. Apesar disso, você não sabe como parar. Em todo caso, a solução é mudar a relação com a comida. A seguir, contamos como você pode controlar essa situação.

Por que não consigo parar de comer?

A alimentação é uma função essencial para a sobrevivência. É o meio pelo qual o corpo obtém os nutrientes de que necessita para funcionar no dia a dia. O problema decorre da quantidade de alimentos que ingerimos e, principalmente, da escolha desses alimentos.

Muitas vezes, quem tem dificuldade para comer com moderação escolhe produtos com baixo valor nutritivo e alto teor calórico. Mas o que leva a esses comportamentos prejudiciais?

Desconexão do próprio corpo

Uma das razões para comer demais é a incapacidade de identificar suas próprias sensações corporais. Ao nascer, cada pessoa é programada para reconhecer o sinal de fome e agir de acordo; nesse caso, chorar por comida.

No entanto, com o passar do tempo, perde-se a conexão com essas sensações interoceptivas. Isso ocorre por vários motivos. Em primeiro lugar, porque a comida passa a ser associada a encontros, companhia e interação com os outros. Comer vai se tornando um ato social e agradável que vai além do seu valor nutricional.

Por outro lado, o ritmo acelerado de vida e o estresse atuais tornam-se um impedimento para fazer uma pausa e ouvir o corpo. Então, diminui a nossa capacidade de reconhecer quando há uma fome real e quando há tédio ou vontade de compartilhar aquele momento de conexão social.

Comer exageradamente
Muitas vezes, essa sensação de não ser capaz de parar de comer é a manifestação de problemas emocionais subjacentes.

Fome emocional

Outro aspecto que o impede de parar de comer é a alimentação emocional. Este conceito se refere ao fato de usar a comida como regulador das emoções. Já reparou que comemos mais quando estamos ansiosos, tristes, pressionados ou desapontados?

Isso tem uma explicação. Certos alimentos estimulam o circuito de prazer do cérebro pois liberam vários neurotransmissores que produzem sensações agradáveis. Consequentemente, ao ingeri-los, sentimos alívio, satisfação e felicidade.

No entanto, infelizmente, este é um estado temporário e de forma alguma uma solução eficaz ou permanente. Em pouco tempo, os efeitos agradáveis ​​passam e as emoções não resolvidas reaparecem, agora somadas à culpa por ter comido sem controle.

Dietas restritivas

Se há muito tempo você está lutando com seus problemas alimentares, provavelmente já passou por esta situação paradoxal: fazer dietas muito restritivas pode aumentar o impulso e o desejo descontrolado de comer alimentos não saudáveis.

Estar mergulhado em um estilo alimentar muito rígido, em que os alimentos são proibidos, leva a um aumento da ansiedade para comer. Por causa disso, é impossível seguir a dieta sem se entregar a comportamentos alimentares compulsivos.

Logo depois de uma dieta muito restritiva, você recupera rapidamente o peso que perdeu com tanto esforço. O corpo pede o que você retirou e restringiu tão radicalmente.

Mulher fazendo dieta restritiva
Uma dieta muito restritiva pode causar um efeito rebote. Ou seja, após a dieta há um comportamento compulsivo de comer o que antes era proibido.

O que eu posso fazer se não consigo parar de comer?

É claro que comer é essencial para sobreviver. Por isso, não é uma atividade que você possa ou deva evitar, como acontece em outros tipos de vícios. A solução, nesse caso, é modificar a relação com a comida, restaurando a sua função nutricional e iniciando uma alimentação consciente.

Para isso, é fundamental, antes de tudo, reconectar-se com o próprio corpo e aprender a ouvir e interpretar os sinais que ele envia. Em outras palavras, trata-se de reconhecer quando há fome real e quando pode ser fome emocional por estresse ou ansiedade.

Por outro lado, é importante que você adquira e desenvolva estratégias úteis e eficazes para lidar com seus estados emocionais negativos.

O objetivo é parar de usar os alimentos como um regulador das emoções. Para isso, você precisa aprender outras maneiras de controlá-las. A ventilação emocional, o tratamento terapêutico ou a prática da meditação são alternativas que podem ser úteis.

Por último, estabeleça uma relação saudável com a alimentação. Isso significa que você precisa parar de vê-la como inimiga ou como um consolo. Lembre-se de que a comida é apenas o combustível do qual o seu corpo precisa, e aprenda a selecioná-la com base nas suas necessidades nutricionais.

Alimente-se de maneira saudável e equilibrada, sem proibir ou demonizar nenhum grupo alimentar. Coma com moderação e, sobretudo, seja consciente do que está fazendo.

Pode interessar a você...
7 estratégias para perder peso sem fazer dietas restritivas
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
7 estratégias para perder peso sem fazer dietas restritivas

Se você costuma fazer dietas restritivas para perder peso, sabe que a longo prazo elas não costumam funcionar. Qual é a solução?



  • Sánchez Benito, J. L., & Pontes Torrado, Y. (2012). Influencia de las emociones en la ingesta y control de peso. Nutrición Hospitalaria27(6), 2148-2150.
  • Rodríguez, S., Mata, J. L., & Moreno, S. (2007). Psicofisiología del ansia por la comida y la bulimia nerviosa. Clínica y Salud18(1), 99-118.