Menstruação falsa: o que é e por que acontece?

A menstruação falsa é um sangramento que costuma deixar alarmadas as futuras mães que estão no começo da gravidez. No entanto, na maioria dos casos não há nada a temer, pois se trata de um processo normal.
Menstruação falsa: o que é e por que acontece?

Última atualização: 02 dezembro, 2021

A menstruação falsa é um sangramento semelhante ao da menstruação que ocorre durante as primeiras semanas de gravidez. Ela é chamada de “falsa” porque não corresponde a esse processo de fato, mas sim a um evento conhecido como “sangramento de implantação”.

Muitas mulheres grávidas buscam o pronto-socorro ao detectar esse tipo de sangramento. De fato esta é a atitude correta, pois, embora na maioria dos casos a menstruação falsa seja normal, também é possível que esse sintoma seja um sinal de que algo não está bem.

A menstruação falsa também é conhecida como “sangramento uterino” ou “metrorragia“. Se a mulher não souber que está grávida, é provável que ela confunda esse sangramento com uma menstruação normal. Talvez mais tarde ela fique até intrigada ao perceber que as datas do início da gravidez e da última suposta menstruação não se encaixam.

Qual é a causa da menstruação falsa?

Surgimento de sangramento vaginal.
O sangramento denominado “menstruação falsa” geralmente ocorre quando o embrião é implantado no útero da mulher.

O mais comum é que a menstruação falsa corresponda a um sangramento de implantação. Esse processo começa no sexto dia após a fecundação; é nessa época que o embrião é implantado na camada externa do útero, o endométrio.

A implantação dura de dois a três dias. Durante esse período, o óvulo fecundado produz uma substância que erode as células do endométrio. Dessa forma, o embrião vai ficando gradualmente incrustado na camada externa do útero.

Enquanto isso acontece alguns vasos sanguíneos podem se romper, provocando a menstruação falsa. Em certos casos a causa do sangramento pode ser outra, conforme discutiremos a seguir.

Lesão vaginal ou cervical

No primeiro trimestre de gravidez essas áreas estão mais sensíveis e irrigadas. Por essa razão é mais fácil que ocorra um sangramento durante um exame ginecológico, relações sexuais ou mesmo atividades físicas extenuantes.

Ameaça de aborto

Se ocorrer apenas uma ameaça de aborto, o colo do útero permanecerá fechado. Quando existe um aborto acontecendo de faato, além do sangramento, o colo do útero se abre e surgem outros sintomas associados, como dor no baixo ventre.

Gravidez ectópica

A gravidez ectópica ou extrauterina também provoca a menstruação falsa. Este é o nome dado a uma condição na qual o embrião se implanta fora do útero. O mais comum é que essa implantação aconteça nas trompas uterinas, mas ela também pode ocorrer na cavidade abdominal, no colo do útero ou em um ovário.

Nessa condição, ocorre uma produção insuficiente de hormônios, o que provoca uma descamação do endométrio. Esta, por sua vez, pode dar origem ao sangramento que se apresenta como uma leve mancha acompanhada por outros sintomas como náuseas, vômitos, etc.

Também pode te interessar: O que é a exterogestação

Gravidez molar

Gravidez molar ou mola hidatoforme é um tumor incomum que se forma no útero no início da gestação. Ela é provocada por uma fertilização anômala, e resulta em um feto anormal. Um dos sintomas dessa condição é o sangramento durante o primeiro trimestre da gravidez.

Sintomas relacionados

Os sintomas da menstruação falsa são muito semelhantes aos da menstruação comum. Em condições normais ela ocorre no 12º dia após a ovulação, portanto, coincide com a data da menstruação.

No entanto o fluxo é menos abundante, tem uma cor mais clara e não apresenta coágulos; ou seja, tem uma textura mais líquida. Tem uma duração máxima de três dias e é acompanhada por dor de cabeça, fadiga, dores abdominais, sensibilidade nas mamas e irritabilidade.

O mais comum é que após a menstruação falsa os seguintes sintomas sejam apresentados:

  • Dor no abdome e cólicas.
  • Diarreia ou prisão de ventre, além de azia.
  • Inchaço nos seios.
  • A vontade frequente de urinar.
  • Náuseas e vômitos, principalmente pela manhã.
  • Rejeição a certos alimentos.
  • Intolerância a alguns odores.
  • Desejos.
  • Sonolência.

Quando consultar um médico?

Se ocorrer um sangramento no início da gravidez não há razão para ficar alarmado. Provavelmente se trata de uma menstruação falsa correspondente ao sangramento de implantação, que é completamente normal.

No entanto, também existem outras causas que provocam um sangramento. Como não é possível estabelecer de qual se trata, é melhor consultar o médico sempre que isso acontecer. Essa é a melhor forma de confirmar que está tudo bem e não há risco.

Exame diagnóstico da menstruação falsa

Para formular um diagnóstico o médico primeiro realiza uma entrevista. Ele perguntará sobre o estado de saúde geral e o histórico familiar. Ele também coletará os dados sobre a data de início e as características do sangramento.

Uma avaliação física e provavelmente um exame retovaginal serão realizados em seguida, a fim de verificar se existem possíveis anormalidades. Além disso também pode ser feito um exame com espéculo, e o médico pode solicitar um ou mais dos seguintes exames:

  • Análise de sangue.
  • Exame de função tireoidiana e níveis hormonais.
  • Exame de urina.
  • Ultrassom do abdome e da pelve.
  • Tomografia computadorizada ou ressonância magnética.
  • Exame de Papanicolau.
  • Biópsia.

Tratamentos disponíveis

Mulher em uma consulta médica.
O médico determinará qual o tratamento mais adequado para a causa da menstruação falsa.

O tratamento da menstruação falsa dependerá da causa que a produz. Quando se trata de um sangramento de implantação, como acontece na maioria dos casos, nenhum tratamento é necessário. O sangramento deixará de acontecer por conta própria, sem gerar nenhuma consequência.

Se a menstruação falsa for um sinal de ameaça de aborto, o médico recomendará que a paciente faça repouso absoluto até que o sangramento desapareça. Se for um aborto em andamento, será tomada a decisão entre permitir que ele se complete espontaneamente, acelerar o processo através do uso de medicação ou realizar uma dilatação e curetagem por aspiração.

Se o diagnóstico de gravidez ectópica for confirmado será recomendável a cirurgia, que deve ser feita o mais rápido possível. Quando a causa da menstruação falsa for outra, o médico indicará quais são as etapas a serem seguidas.

Estilo de vida e recomendações

A menstruação falsa por si só não implica a aquisição de novos hábitos. Devem ser mantidos os cuidados normais para qualquer gravidez, a menos que o médico faça uma orientação diferente. De forma geral, o ideal manter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada, atividade física adequada à gravidez e tranquilidade.

Uma ameaça de aborto requer muito repouso, tranquilidade e acompanhamento médico contínuo. É importante seguir à risca as instruções oferecidas pelo médico. Caso ocorra um aborto a mulher pode experimentar várias emoções, por isso é altamente recomendável consultar um psicólogo.

Após o fim do tratamento de uma gravidez ectópica pode ser necessária assistência psicológica. Também é muito importante ter uma rede de apoio social e emocional. A possibilidade de uma nova gravidez no futuro dependerá de cada caso.

Diante de uma menstruação falsa, consulte um médico

Diante de uma menstruação falsa, o ideal é consultar um médico para determinar se o caso se trata realmente uma menstruação falsa ou se existe algum outro problema. O médico fornecerá as orientações, que devem ser seguidas à risca.

Normalmente, a menstruação falsa corresponde ao sangramento de implantação. Isso não afetará o desenvolvimento da gestação e não configura uma anomalia. Se a causa for outra, é importante receber as orientações do médico, que indicará o que a paciente deve fazer.

This might interest you...
Aborto retido: o que é e por que ocorre?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Aborto retido: o que é e por que ocorre?

O aborto retido é um dos diagnósticos mais temidos pelas mulheres gestantes ao fazer as ultrassonografias do pré-natal. Saiba mais sobre ele.



  • Galaz-Montoya, C. I., Razo-Aguilera, G., Grether-González, P., & Aguinaga-Ríos, M. (2015). Aspectos genéticos de la mola hidatidiforme. Perinatología y reproducción humana, 29(3), 113-117.
  • Valdez-Morales, F. J., Vital-Reyes, V. S., Hinojosa-Cruz, J. C., & Cerbón, M. (2014). Funcionalidad y cambios endometriales asociados con la inducción de ovulación con citrato de clomifeno y FSH recombinante en mujeres con infertilidad. Ginecología y Obstetricia de México, 82(02), 143-153.
  • Lage, P. R., Suárez, A. V., & Rodríguez, M. A. (2012). Metrorragia de primer trimestre. Cuadernos de atención primaria, 18(4), 332.