Coágulos sanguíneos durante a menstruação

Os coágulos sanguíneos durante a menstruação são comuns. Em geral, são alterações hormonais passageiras, mas alguns casos exigem vigilância médica.
Coágulos sanguíneos durante a menstruação

Última atualização: 01 Abril, 2021

A presença de coágulos sanguíneos durante a menstruação é uma preocupação entre as mulheres. Diante do seu aparecimento, é comum surgir o medo de que se está sofrendo de uma patologia muito grave. Neste artigo, explicamos quais são as suas causas mais frequentes.

É bom saber que, geralmente, os coágulos sanguíneos que surgem durante a menstruação são de origem hormonal. Assim, uma vez que o desequilíbrio hormonal passa, a menstruação volta ao normal.

Também é verdade que há momentos em que um controle mais intensivo é necessário. Com menor prevalência, os coágulos sanguíneos podem ser um alerta de patologias uterinas.

Lembre-se de que chamamos de menstruação o evento por meio do qual o endométrio é expelido. O endométrio é a camada mais interna do útero e, ciclicamente, se não houver gravidez, se desprende para iniciar a formação de uma nova camada.

O desprendimento é o que se manifesta externamente com a menstruação. Em condições regulares, esse sangue é vermelho e sem coágulos, de aparição progressiva.

Por outro lado, devemos lembrar também que os coágulos são o mecanismo pelo qual o corpo humano para de sangrar. Diante de um ferimento ou da possibilidade de grande perda de sangue, o coágulo tenta interromper o processo.

Os coágulos, independentemente do órgão em que se formam, costumam ser mais escuros do que o sangue fluido e têm uma consistência gelatinosa. Sua aparência é de uma pequena bola que aglutina os elementos do sangue.

Quando os coágulos sanguíneos aparecem durante a menstruação, presume-se que o corpo os forma devido a alguma causa. O sangramento menstrual coagulado torna-se mais escuro e, é claro, menos fluido.

Causas uterinas de coágulos sanguíneos durante a menstruação

As causas localizadas no útero que originam os coágulos sanguíneos durante a menstruação são:

  • Pólipos uterinos: os pólipos são formações de tecido que se projetam para dentro da cavidade do útero. Modificam o endométrio empurrando-o e obstruem o fluxo de sangue menstrual. Os coágulos são formados pelo sangue que permanece retido no útero por mais tempo.
  • Adenomiose: quando o músculo do útero é aumentado por causa de outros tecidos circundantes que o invadem, acontece algo semelhante ao observado com os pólipos. A modificação do endométrio e a obstrução terminam em coágulos.
  • Endometriose: é uma patologia em que o tecido endometrial cresce em outros órgãos diferentes do útero. Por se tratar de uma doença endometrial, um sintoma pode ser a formação de coágulos sanguíneos durante a menstruação.
  • Hipertrofia uterina: o útero pode aumentar de tamanho devido a causas fisiológicas ou doenças. Uma razão normal e esperada para o seu aumento é a gravidez, incluindo os meses após o parto. Com mais área de superfície do endométrio e mais espaço para acumular sangue, os coágulos podem se formar espontaneamente.
  • Aborto: a perda da gravidez tem entre seus sinais a expulsão de coágulos pela vagina como se fosse uma menstruação. Embora não seja um ciclo menstrual estritamente normal, se acontecer muito no início da gestação, as datas tendem a se sobrepor e causar confusão.
Absorventes para a menstruação
Os coágulos sanguíneos durante a menstruação podem corresponder a causas uterinas e extrauterinas.

Causas extrauterinas de coágulos sanguíneos durante a menstruação

Existem situações que ultrapassam o órgão uterino propriamente dito e são sistêmicas ou externas. Essas condições que podem levar ao aparecimento de coágulos sanguíneos durante a menstruação incluem:

  • Alterações hormonais: é a causa mais comum e benigna. Em geral, se resolve com o tempo sem a necessidade de intervenção médica.
  • Doenças de coagulação: quando uma mulher sofre de uma patologia hematológica ligada à coagulação do sangue, sua menstruação é afetada. Um exemplo comum é a doença de Von Willebrand. Embora seja um déficit de coagulação, por produzir sangramento abundante, o sangue é armazenado no útero, que então coagula.
  • Dispositivo intrauterino: conhecido mundialmente como DIU, este método anticoncepcional tem entre seus efeitos adversos a formação de coágulos sanguíneos durante a menstruação. Se os efeitos adversos forem persistentes e alterarem a qualidade de vida, o DIU deve ser removido.
  • Anemia: foi cientificamente estabelecido que a anemia causa coágulos sanguíneos durante a menstruação. Um círculo vicioso é gerado na mulher que sofre com isso. A menstruação intensa leva à anemia por perda de ferro, o que deixa menos ferro disponível no corpo. Sem esse ferro, o útero reduz seu poder de coagulação, aumentando a quantidade de sangue perdido.
Mulher com cólica
A presença de cólicas menstruais intensas junto com os coágulos durante a menstruação é um sinal de que você deve consultar um profissional.

Quando consultar um médico?

A maioria das mulheres com coágulos sanguíneos durante a menstruação não precisa de uma consulta médica. No entanto, existem sinais de alerta que exigem uma consulta. Entre esses sinais, temos:

  • A repetição frequente de uma menstruação com coágulos.
  • Quando acompanhados de dor intensa na região pélvica ou abdômen.
  • Presença de corrimento vaginal com alteração de cor ou odor.

Se tiver dúvidas, você deve consultar o seu médico ou especialista. É preferível analisar as características do sangue menstrual e descartar a anemia a tempo. Não são necessários métodos complementares complexos para chegar ao diagnóstico.

It might interest you...
Menstruação abundante: 5 remédios para combatê-la
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Menstruação abundante: 5 remédios para combatê-la

A menstruação abundante é um problema para muitas mulheres que, mês a mês, sofrem incômodos em sua vida diária. Confira as melhores soluções natura...



  • Roselló-Soberón, María Emilia, et al. “Ciclo menstrual y alimentación.” Perinatologia y reproducción humana 17.2 (2003): 61-71.
  • Jiménez, MJ Rodríguez, and N. Curell Aguilá. “El ciclo menstrual y sus alteraciones.” Pediatria integral 21 (2017): 304-311.
  • Arteaga, Eugenio, and C. Fernández. “Trastornos menstruales en la adolescencia.” ARS MEDICA Revista de Ciencias Médicas 16.2 (2017): 15-19.