Infiltração: o que é e quando fazer este procedimento?

12 Novembro, 2020
A infiltração é um procedimento que pode ser usado em articulações, nervos ou lesões que provocam dor prolongada sem apresentar melhora com o tratamento convencional.

O processo de infiltração envolve injetar um medicamento ou substância em uma articulação, nervo, ferida ou outra área para agir diretamente nessa região. É um método que está em expansão atualmente, pois se usado corretamente, permite resolver inúmeras patologias ou aliviar certas dores muito intensas.

Suas aplicações são muitas e os resultados costumam ser duráveis e eficazes. A principal indicação da infiltração é o uso em articulações inchadas. Nestes casos, substâncias anti-inflamatórias e medicamentos são injetados para ajudar a reduzir a inflamação e estimular a regeneração tecidual.

No entanto, há muitas pessoas que acreditam que esse procedimento é arriscado. Porém, é uma técnica não invasiva que muitas vezes é mais fácil de lidar do que uma cirurgia ou outro procedimento. Portanto, neste artigo contaremos tudo que você precisa saber sobre a infiltração.

O que é uma infiltração?

Como já mencionado, infiltrações são injeções de substâncias em uma área lesionada, seja um nervo, uma articulação específica ou uma parte macia, como um tendão ou músculo.

A substância injetada depende da patologia que você quer tratar. Por exemplo, no caso de lesões articulares, o colágeno ou ácido hialurônico costuma ser infiltrado, o que parece estimular a recuperação tecidual.

Quando se trata de uma inflamação, drogas anti-inflamatórias, como corticosteroides, são administradas. Fatores de crescimento ou anestésicos também podem ser aplicados.

A ideia é que a droga, ao ir direto para a área ferida, permita obter um resultado mais rápido, mais eficaz e duradouro. Por não ter que ser administrada oralmente ou intramuscularmente, inúmeros efeitos colaterais sistêmicos são evitados.

Médico injetando medicamento
A infiltração envolve injetar substâncias em áreas do corpo que, por algum motivo, estão feridas.

Para que a infiltração é usada?

Quando se trata de uma articulação, a infiltração geralmente é feita quando a pessoa toma medicamentos que não conseguem proporcionar nenhuma melhora há muito tempo. Elas também são usadas quando a dor é muito severa. Os usos mais difundidos são para a tendinite e a bursite.

A tendinite é uma lesão tendinosa na qual predominam inflamações e irritações. São muito comuns, dolorosas e incapacitantes. Geralmente ocorrem no joelho, calcanhar ou ombro.

A bursite é uma patologia na qual ocorre inflamação dessa bolsa que protege as articulações e amortece o choque entre os ossos. Ela tende a aparecer quando uma articulação, como o joelho, é usada intensamente.

Você pode estar interessado: Tendinite devido à lactação

Infiltração peridural

Além das articulações, podem ser realizadas infiltrações na coluna vertebral. Isso é feito no espaço peridural, nos casos em que há uma raiz nervosa inflamada.

Quando uma raiz nervosa é comprimida por um problema na coluna vertebral, pode causar dor irradiada. Isso significa que a pessoa que sofre dela sente dor em áreas remotas que não estão machucadas, como uma perna.

Esse tipo de infiltração permite uma redução significativa dessa dor. Uma doença na qual ela costuma ser aplicada é a ciática, quando os tratamentos usuais não conseguem proporcionar alívio ao paciente.

Você pode gostar de ler: 5 maneiras de fazer compressas para aliviar a dor ciática

Como elas são feitas?

Mulher tomando injeção
A infiltração não é a primeira linha de tratamento para uma lesão. Na verdade, só é uma opção quando o paciente não tem melhorias com medicamentos e outras medidas terapêuticas.

É importante notar que a infiltração não deve ser a primeira opção de tratamento diante da lesão. Pelo contrário, o ideal é que ela seja utilizada quando o paciente não responder ao tratamento convencional ou a dor não diminuir, conforme já mencionamos.

Primeiro, a área onde a infiltração deve ser realizada deve ser desinfetada. Betadina e álcool costumam ser usados para este fim. Além disso, o ideal é aplicar um anestésico tópico, que permita injetar a agulha sem dor.

A agulha é, então, injetada na área. Normalmente, quando o lugar para se infiltrar não é tão raso, o médico geralmente é guiado por técnicas como ultrassom, para se orientar adequadamente. Feito isso, o medicamento é então lentamente infiltrado para que seja distribuído uniformemente na lesão.

Conclusão

A infiltração é um procedimento relativamente simples que permite tratar inúmeras patologias muito dolorosas e incapacitantes, como tendinite ou compressão de uma raiz nervosa.

No entanto, é o médico que deverá indicar o tratamento mais adequado para cada pessoa. Portanto, não hesite em consultar o seu médico e, se ele optar por este procedimento, tenha em mente que cerca de 48 horas de descanso são recomendadas após a intervenção.

  • Hadaway, L. (2007). Infiltration and extravasation. American Journal of Nursing107(8), 64–72. https://doi.org/10.1097/01.NAJ.0000282299.03441.c7
  • Gomes, A. C. R., Silva, C. A. G. da, Gamarra, C. J., Faria, J. C. de O., Avelar, A. F. M., & Rodrigues, E. da C. (2011). Assessment of phlebitis, infiltration and extravasation events in neonates submitted to intravenous therapy. Escola Anna Nery15(3), 472–479. https://doi.org/10.1590/s1414-81452011000300005
  • Amjad, I., Murphy, T., Nylander-Housholder, L., & Ranft, A. (2011). A new approach to management of intravenous infiltration in pediatric patients: Pathophysiology, classification, and treatment. Journal of Infusion Nursing34(4), 242–249. https://doi.org/10.1097/NAN.0b013e31821da1b3
  • Simona, R. (2012). A pediatric peripheral intravenous infiltration assessment tool. Journal of Infusion Nursing35(4), 243–248. https://doi.org/10.1097/NAN.0b013e31825af323
  • Dougherty, L. (2008). IV therapy: recognizing the differences between infiltration and extravasation. British Journal of Nursing (Mark Allen Publishing). https://doi.org/10.12968/bjon.2008.17.14.30656