Tendinite devido à lactação

Quando somos mães tendemos a adotar más posições, quando carregamos ou amamentamos nosso bebê. Isso pode provocar diferentes tipos de tendinite. Veja quais são e como tratá-los.
Tendinite devido à lactação

Última atualização: 03 Março, 2021

Desta forma, atividades diárias como carregar um bebê, pegar um objeto ou simplesmente caminhar podem ser feitas de maneira natural. Existem áreas do corpo onde a tendinite é mais comum, como mãos, ombros e calcanhares.

Fatores que causam a tendinite devido à lactação

A dor gerada pela tendinite começa com um leve desconforto que não recebe atenção. Com o tempo, o desconforto piora e nos impede de  mover a articulação, e então percebemos que algo não está certo.

Posturas inadequadas no momento de carregar o bebê são geralmente a principal causa da tendinite devido à lactaçãoAdotamos posições que não são naturais, porque achamos que o bebê ficará mais confortável.

Além disso, geralmente pegamos o bebê com um só braço, colocando-o em um lado do corpo e girando o pulso como uma colher, o que resulta em dor no ombro, nas costas, no quadril e no pulso.

A tendinite devido à lactação também ocorre quando a mãe amamenta deitada no sofá ou na cama. É importante um apoio adequado para evitar a má posição. Da mesma forma, movimentos repetitivos, e carregar o bebê muitas horas por dia acabam causando o desconforto mencionado logo a seguir.

Sintomas da tendinite

Na maioria dos casos, essa condição afeta apenas uma parte do corpo por vez. Os primeiros sintomas são simples desconfortos que as mães não sabem determinar com exatidão.

Tipos de tendinite

Existem vários tipos de tendinites, mas a mais associada à amamentação é a tendinite no punho.

Médico fazendo tratamento para a tendinite devido à lactação

Tendinite de Quervain (ou pulso)

A tendinite de Quervain dificulta a movimentação do pulso. É o resultado do deslocamento incorreto e excessivo do tendão localizado no polegar. É gerado pela pressão repetida do polegar ao mover o pulso.

Esta condição se desenvolve na maioria das mulheres após a gravidez. O primeiro sinal que elas apresentam é dor ou inchaço no pulso, ao lado do polegar, especialmente quando fazem um movimento repetidamente.

Além disso, desenvolve-se executando tarefas como jardinagem, escrevendo, engrenagem de objetos, artesanato com detalhes muito finos, videogames, ou envio de mensagens em excesso.

Tendinite calcificada ou tendinite do bíceps

Embora seja menos frequente, esta doença também pode afetar o período de lactação. O tendão do bíceps está localizado na frente do ombro, o qual ajuda a dobrar o cotovelo e o ombro para a frente, bem como a girar o antebraço.

A inflamação desse tendão pode ocorrer quando a mãe carrega o bebê ou um objeto pesado. Então, a tensão não é distribuída por todo o corpo. O sintoma disso é a dor na frente do ombro, que pode ser refletida no cotovelo e antebraço.

Diagnóstico de tendinite de Quervain

Ir ao especialista é a melhor opção para diagnosticar essa condição e receber o tratamento a ser seguido. Mas se você quiser determinar por si mesmo que a dor que sente é uma tendinite de Quervain, antes de sua consulta médica, faça o seguinte teste:

Segure o polegar com o resto dos dedos da mão afetada e feche o punho. Em seguida, mova o pulso para baixo o máximo que puder. Se você tiver tendinite, sentirá uma picada inconfundível. Além disso, geralmente dói com qualquer movimento, não importa quão simples possa ser.

Tratamentos para tendinite

Tratamentos para a tendinite

É aconselhável seguir as instruções ditadas pelo especialista, embora geralmente este tipo de condição se cure com muito descanso. É muito útil tratar a dor aplicando compressas frias, pelo menos 2 vezes ao dia. Isso ajudará a aliviar a inflamação.

Enfaixar a área com uma munhequeira (daquelas que cobrem a palma da mão com uma férula), que limita o movimento, é de grande ajuda nesses casos.

Se você decidir tomar analgésicos, notifique seu médico primeiro. Lembre-se que tudo o que você consome durante a amamentação também será ingerido pelo seu bebê. Confirme com o seu médico se é seguro, antes de tomá-los.



  • Ann JC. Occurrence of de Quervain’s disease in postpartum women. Journal of Family Practice. 1990.
  • Gómez N, Ibáñez J, Ferreiro JL, Rodríguez Á. Enfermedad de De Quervain en el posparto. Quervain Dis pospartum. 2001;
  • Van Gestel, M., Neven, A. K., & Eekhof, J. A. H. (2006). Tendinitis van De Quervain. Huisarts En Wetenschap. https://doi.org/10.1007/BF03084873
  • Goel, R., & Abzug, J. M. (2015). de Quervain’s tenosynovitis: a review of the rehabilitative options. Hand. https://doi.org/10.1007/s11552-014-9649-3