Como são classificados os medicamentos analgésicos

· 5 de abril de 2019
Os analgésicos são um dos grupos farmacológicos de maior uso. A seguir, vamos classificá-los em função de seu mecanismo de ação e explicaremos sua utilidade.

Analgesia, significa etimologicamente a negação ou carência de dor. O objetivo dos medicamentos analgésicos é aliviar a dor. Segundo a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP), a dor é definida como a experiência sensorial e emocional desagradável. Esta experiência vem associada a uma lesão no tecido real ou potencial.

Existem dois tipos de dor: a aguda e a crônica. Diferem em termos da experiência sensorial, e também em termos da experiência emocional que implicam. Assim, exigem medicamentos analgésicas diferentes.

A dor aguda vem de uma lesão tecidual e desaparece com a cicatrização da mesma. Exemplo de dor aguda é a dor pós-operatória. Por outro lado, é difícil encontrar uma lesão tecidual específica que justifique a dor crônica. Além disso, se estendem muito no tempo. Como exemplos de dor crônica temos a enxaqueca ou a osteoartrite.

Como já indicamos anteriormente, o componente emocional é diferente na dor aguda e crônica. No caso da dor aguda, é comum sentir irritabilidade, ansiedade e raiva. No contexto da dor crônica são vivenciados sentimentos mais tendentes à depressão. Às vezes, também podem ser tratados esses sintomas emocionais. Que é especialmente frequente na dor crônica.

Medicamentos analgésicos primários

Seu objetivo principal é aliviar a dor, e são úteis para dores muito distintas. Existem três grupos principais.

Analgésicos antitérmicos puros

Analgésicos antitérmicos puros

Os medicamentos analgésicos também têm outras funções. Em sua grande maioria também são antipiréticos (combate a febre) e anti-inflamatórios. Um exemplo de um analgésico antitérmico puro é o paracetamol. Não combate inflamações, mas sim a febre e a dor.

Analgésicos anti-inflamatórios (AINEs)

Os AINEs devem sua função ao bloqueio que realizam sobre a enzima ciclooxigenase (COX). Eles impedem a COX de sintetizar algumas substâncias relacionadas ao processo inflamatório, conseguindo assim parar o mesmo. Exemplos de AINEs são o ácido acetilsalicílico (aspirina) ou ibuprofeno.

Mas existem diferentes tipos de COX, cada um com sua função, e existem medicamentos analgésicos que bloqueiam cada tipo especificamente. Estes medicamentos são chamados inibidores seletivos de COX (iCOX seletivo). Exemplos deles são o celecoxibe e o rofecoxibe.

Talvez você esteja interessado: Pomadas anti-inflamatórios de pimenta caiena para aliviar a dor nas articulações O que é isso?

Opioides

Medicamentos analgésicos opioides ativam os receptores opioides. Em geral, quando um receptor opioide é ativado, dificulta a transmissão nervosa. Assim, um receptor opioide ativado diminui a transmissão nervosa da dor. Existem diferentes tipos de opioides, dependendo de sua eficiência e outras características. Assim, encontramos:

  • Agonistas puros: os mais eficazes. Alguns exemplos são: Morfina, Codeína e Metadona.
  • Agonistas antagonista: um pouco menos eficazes. Um exemplo é a Buprenorfina.
  • Antagonistas agonistas: ativam alguns receptores opioides e bloqueiam outros. Um exemplo é Pentazocina.
  • Misto: estes têm outras funções além dos opioides. Um exemplo é o Tramadol.

Os opioides geralmente produzem efeitos indesejáveis, como náusea, constipação ou sedação.

Descubra também: Aprenda a elaborar em casa um creme com propriedades analgésicas e anti-inflamatórias

Medicamentos analgésicos secundários

O principal objetivo dos analgésicos secundários não é aliviar a dor. Na verdade, geralmente foram inventados para aliviar outras doenças. No entanto, podem aliviar algum tipo de dor específica.

Antidepressivos

Como já explicamos, é comum associar sintomas depressivos à dor, principalmente à dor crônica. Os antidepressivos podem ser benéficos a esse respeito. Um dos mais usados ​​é a Amitriptilina.

Antiepilépticos

Os antiepilépticos reduzem a transmissão nervosa. Ao usá-los a transmissão nervosa da dor diminui. Uns dos mais usados são a Carbamazepina e a Lamotrigina.

Relaxantes musculares

Os relaxantes musculares podem ser benéficos, especialmente na dor de origem muscular. Se a origem da dor é uma contratura ou similar, ao usá-los o músculo relaxará e a dor diminuirá. Além disso, nestes casos, ajudam a conseguir a solução da patologia. Os relaxantes musculares frequentemente utilizados são: diazepam, gabapentina e topiramato.

Anestésicos locais

Medicamentos analgésicos secundários: anestésicos locais

Os anestésicos locais bloqueiam a transmissão nervosa na área em que são aplicados. Assim, usando anestésicos locais na área original da dor, a dor desaparecerá ou diminuirá.

Também podem ser aplicados na estruturas através das quais passa o impulso doloroso no seu caminho, para os centros nervosos superiores. Desta forma, a dor não se tornará séria, pelo menos em parte. Os anestésicos locais usados ​​com frequência são a Lidocaína e a Pilocarpina.

Corticoides

Têm um efeito semelhante aos AINEs no sentido de que atuam inibindo ou diminuindo a inflamação. Ao diminuir a inflamação, diminuirá a dor causada pela mesma. Um Corticosteroide comumente usado é a Prednisona.