O que é bursite trocantérica?

30 de julho de 2019
Desde a década de 1960, a infiltração de glicocorticoides tem sido o tratamento de escolha para a bursite trocantérica.

A bursite trocantérica é uma inflamação e irritação da bursa do osso lateral do quadril. A bursa é um saco cheio de líquido que atua como uma almofada entre os músculos, tendões, ossos e articulações.

Existem dois principais sacos no quadril que normalmente sofrem irritação e inflamação:

  • Um saco cobre a protuberância óssea do osso do quadril, chamado trocânter maior. A inflamação desta bolsa é a bursite trocantérica.
  • Outra bolsa, a bolsa psoas-ilíaca, está localizada no interior do quadril. Quando esta bolsa fica inflamada, a condição também é chamada de bursite do quadril. No entanto, a dor ocorre na região da virilha. Essa condição não é tão comum, mas é tratada de maneira semelhante.

Fatores de risco e causas

Bursite no quadril

A bursite trocantérica pode afetar qualquer pessoa. No entanto, a incidência é mais comum em mulheres e em pessoas de meia-idade e idosas.

Há uma série de fatores de risco que facilitam o aparecimento dessa lesão no quadril. Entre eles podemos encontrar:

  • Lesão devido à sobrecarga repetitiva ou uso excessivo: esta lesão pode ocorrer durante a corrida, subir escadas ou outras atividades que exijam movimentos repetitivos.
  • Lesão do quadril: quando o quadril está sobrecarregado, é mais provável que ocorra uma lesão. Além disso, quando você bate ou deita do mesmo lado por um longo período de tempo.
  • Doença da coluna vertebral: como esclerose, artrite ou outros problemas de coluna.
  • Diferença no comprimento das pernas: muitas pessoas têm uma diferença no comprimento de suas pernas. Esse problema, depois de um tempo, afeta a bursa do quadril.
  • Cirurgia: Cirurgia ao redor do quadril ou implantes protéticos nesta articulação pode irritar a área e causar bursite trocantérica.
  • Esporões ósseos ou depósitos de cálcio: podem se desenvolver nos tendões que unem os músculos ao trocânter. Eles podem afetar a bolsa e causar inflamação.

Sintomas da bursite trocantérica

A dor no lado do quadril, na área do trocânter maior, é característica da bursite trocantérica. Essa dor pode se estender até a parte superior da perna até alcançar o joelho, seguindo o trajeto da banda iliotibial.

Não deixe de ler também: Previna a dor no quadril: 6 dicas para ajudá-lo

Esse sintoma pode ser mais intenso quando o paciente se deita ou se senta do lado envolvido, quando cruza a perna afetada sobre a outra, ao subir escadas, após o exercício ou depois de estar muito tempo sentado ou deitado.

Diagnóstico da bursite trocantérica

Para o diagnóstico da bursite trocantérica o médico fará um exame físico completo. Tentará procurar a dor apalpando a área afetada.

Além disso, também pode exigir que o paciente realize outros testes para descartar outras possíveis lesões ou complicações. Entre esses testes estão:

  • Raios-X: geralmente não específicos. Em 40% dos pacientes, microcalcificações são detectadas na área trocantérica ou irregularidades no contorno do trocânter maior que não parecem ter significado clínico. É útil para descartar a coxopatia ou uma trocanterite infecciosa.
  • Tomografia do osso: permite determinar alterações ósseas e depósitos calcários perilesionais.
  • Ressonância magnética: mostra um sinal inespecífico de alta intensidade na área do trocânter maior.
  • Gamagrafia.
  • Técnicas de ultrassonografia.

Tratamento da bursite trocantérica

Fisioterapia para problemas nos quadris

Desde a década de 1960, a infiltração de glicocorticoides tem sido o tratamento de escolha para a bursite trocantérica.

No entanto, vamos ver diferentes tipos de tratamento de acordo com sua metodologia. Nesse sentido, existem tratamentos não cirúrgicos e tratamentos cirúrgicos.

Tratamento não cirúrgico

Muitos pacientes sentem alívio ao mudarem seu estilo de vida, como:

Além disso, a fisioterapia também é útil. Isso ajudará a fortalecer e aumentar a flexibilidade do quadril.

E finalmente, como mencionamos no início, é usada a injeção de esteroides, que ainda é o tratamento mais eficaz. No entanto, é importante limitar o número de injeções, pois o uso prolongado pode danificar os tecidos adjacentes.

Tratamento cirúrgico

Este tipo de tratamento é reservado para os casos mais graves. Se a bolsa permanecer inflamada e continuar doendo depois de tentar todos os tratamentos mencionados acima, o médico pode indicar que a melhor opção é a cirurgia.

Quer saber mais sobre esse problema? Então leia: Tratamento para pacientes com bursite

A técnica que está sendo usada ultimamente é a remoção artroscópica da bolsa. Com este método, a bolsa é removida através de uma pequena incisão no quadril, usando um artroscópio ou uma pequena câmera.

Mas não se esqueça de que as indicações de nossos artigos são simplesmente informativas. A consulta ao médico é imprescindível porque somente ele poderá determinar o tratamento adequado.

  • Mas Garriga, X., & Barraquer Feu, M. E. (2013). Bursitis trocantéreas. FMC – Formación Médica Continuada En Atención Primaria. https://doi.org/10.1016/s1134-2072(02)75567-9
  • Zarco Montejo, P., Mazzucchelli Esteban, R., & Quirós Donate, F. J. (2000). Técnicas de infiltración en cadera y pie. Medifam (Madr.).
  • Capote, N., Escudero, M., Aranda, C., Martín, N., & Calvo, C. (2011). Tratamiento de la Bursitis Trocantérea con iontoforesis. ULPGC.