O que são os corticosteroides?

5 de junho de 2019
Os medicamentos corticosteroides apresentam uma grande variedade de aplicações devido à quantidade de processos fisiológicos no quais intervêm.

Os corticosteroides ou corticoides são fármacos muito potentes que, somente podem ser administrados com receita médica. Por isso, apesar de que muita gente sabe disso, esse tipo de medicamento não se pode adquirir e muito menos consumir sem indicação de um profissional da saúde.

Estes medicamentos são uma variedade de hormônios que pertencem ao grupo dos esteroides, produzidos pelo córtex das glândulas suprarrenais. Os corticoides estão implicados em uma grande diversidade de mecanismos fisiológicos. Entre eles podemos mencionar os seguintes:

  • Processos de inflamação.
  • Sistema imunológico.
  • Metabolismo dos hidratos de carbono.

Os medicamentos corticosteroides se sintetizam artificialmente com finalidade terapêutica como por exemplo, no tratamento da doença de Crohn ou para dores nas articulações.

Os medicamentos corticosteroides

Tipos e indicações dos medicamentos corticosteroides

Corticosteroides em forma de comprimidos

Este tipo de medicamento está indicado somente com prescrição médica, então, de nenhuma maneira e em nenhum caso pode ser automedicado.

Já que estes medicamentos podem ser sintetizados de maneira artificial, podem ser criados de diferentes formas de acordo à indicação e requerimento.

Portanto, podemos encontrar remédios com corticoides, por exemplo, para inalações. Esta fórmula se utiliza no caso de pacientes asmáticos ou que sofram de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Entretanto, também se usam de forma específica em alguns casos de bronquite aguda, apesar de que as duas indicações anteriores são a longo prazo e sob controle médico.

Há também corticoides orais em forma de comprimidos. A principal indicação deste tipo é o tratamento de doenças inflamatórias, como por exemplo a doença de Crohn ou a colite ulcerosa.

Por outro lado, os corticosteroides possuem também apresentação tópica, indicados nos casos de eczemas, dermatites atópicas ou psoríase. As inflamações locais também podem ser uma causa de administração de medicamentos corticosteroides tópicos.

Por último, se encontram os corticoides injetáveis. São os que se administram por via endovenosa e se utilizam em algumas doenças sistêmicas do tipo autoimune. Em quando aos administrados por via intramuscular, reservam-se para o tratamento das dores nas articulações.

Leia também: Para que são usados os opioides?

Mecanismo de ação e efeitos farmacológicos

Osteoporose

Uma consequência característica é o risco de osteoporose, devido ao efeito sobre o cálcio, entre outros.

Os medicamentos corticosteroides devem entrar no citoplasma da célula onde se unem a receptores. Uma vez que se forma a ligação entre o hormônio e o receptor, dirige-se ao núcleo da célula e ali interage com o DNA.

O resultado dessa interação é a síntese da proteína específica que vai executar a função desejada.

Como mencionamos ao princípio do artigo, os corticosteroides desempenham muitas funções no organismo. A seguir, explicamos com mais detalhes cada uma delas:

  • Metabolismo dos hidratos de carbono e das proteínas: estimulam a gliconeogênese, a glicogênese. Eleva os níveis de glicose e de piruvato no sangue. Também permite que o balanço de nitrogênio e cálcio seja negativo, gerando assim, osteoporose e miopatias.
  • Metabolismo lipídico: intervém na redistribuição da gordura e aumentam o apetite.
  • Metabolismo da água e dos eletrólitos: retêm sódio e água, mas excretam potássio e hidrogênio e reduzem a absorção intestinal de cálcio.
  • Ações cardiovasculares: retêm líquido provocando assim a formação de edemas.
  • Ações hematopoiéticas.
  • Ação anti-inflamatória: diminui a tétrade inflamatória, quer dizer, o rubor, o calor, a dor e o edema. Também inibem a secreção de histamina.

Isso também pode te interessar: Como são classificados os medicamentos analgésicos

Reações adversas dos medicamentos corticosteroides

Controle da pressão arterial

Devido ao aumento de minerais como o sódio e a retenção de água podem produzir-se edemas e um aumento da pressão arterial.

Como os corticosteroides são fármacos que agem em uma grande quantidade de processos fisiológicos, os efeitos adversos também serão variados. Aliás, seus efeitos secundários estão intimamente relacionados ao seu uso. Desta forma, o principal desencadeante das reações é a utilização inadequada e a suspensão abrupta do tratamento.

Quanto aos efeitos imunológicos, aumenta a suscetibilidade das infecções por ser um agente imunossupressor. Também ocasiona efeitos adversos sobre o músculo esquelético, dessa maneira, pode surgir miopatia, osteoporose e necrose óssea.

É possível que se produzam efeitos gastrointestinais, tais como pancreatite e úlcera péptica. Estas duas reações adversas são as mais comuns. Além disso, pode produzir-se hipertensão pela retenção de líquidos como efeito adverso cardiovascular.

Por outro lado, dentro das reações adversas dos corticoides podemos mencionar:

  • Acne.
  • Hirsutismo.
  • Estrias.
  • Equimose.

As alterações no humor, a sensação de euforia, a insônia, a depressão e a psicose são reações de caráter neuropsiquiátricos que também podem aparecer durante o tratamento com medicamentos corticosteroides. Apesar de que neste caso, são menos frequentes e prováveis.

Aliás, também podem aparecer problemas oftalmológicos como cataratas e glaucoma, assim como também problemas endocrinológicos e metabólicos.

Entre os últimos que mencionamos podemos citar a intolerância à glicose, diabetes, sobrepeso, hiperlipidemia, supressão do crescimento por sua relação com o hormônio do crescimento e supressão do eixo hipotálamo-hipófise-glândula adrenal, entre outros.

  • Warrington, T. P., & Bostwick, J. M. (2006). Psychiatric adverse effects of corticosteroids. Mayo Clinic Proceedings. https://doi.org/10.4065/81.10.1361
  • Grau, P. S. (2006). Corticoides tópicos. Actualización. Medicina Cutanea Ibero-Latino-Americana.
  • Jares, E., & Pignataro, O. (2002). Mecanismos moleculares de acción de los corticoides. Archivos de Alergia e Inmunología Clínica.
  • Lipworth, B. J. (1999). Systemic Adverse Effects of Inhaled Corticosteroid Therapy. Archives of Internal Medicine. https://doi.org/10.1001/archinte.159.9.941
  • Frew, J. W., & Murrell, D. F. (2012). Corticosteroid Use in Autoimmune Blistering Diseases. Immunology and Allergy Clinics of North America. https://doi.org/10.1016/j.iac.2012.04.008