Efeitos do tabagismo na saúde mental

10 de janeiro de 2020
O uso do cigarro não tem um impacto negativo apenas na saúde física. Frequentemente afeta o desenvolvimento e agravamento de alguns transtornos mentais. Descubra mais razões para abandonar esse vício.

Não é segredo para ninguém que fumar tem um impacto negativo no bem-estar. Devido à sua alta concentração de compostos tóxicos, os fumantes são expostos a muitas doenças. Você sabia que parar de fumar faz bem à sua saúde mental?

Além de seus efeitos na saúde física, o mau hábito de fumar pode incidir no desenvolvimento ou na piora de muitos transtornos mentais. Enquanto muitos acreditam que é um método eficaz para aliviar o estresse e a ansiedade, está longe de ser benéfico.

Por que parar de fumar melhora sua saúde mental?

Mão rejeitando alguns cigarros: cuidando da saúde mental

Uma das grandes crenças dos fumantes é que os cigarros podem ajudar a aliviar os sintomas de estresse e ansiedade. Devido ao efeito relaxante que eles percebem depois de fumar, há quem esteja convencido disso. No entanto, esse mau hábito produz um efeito oposto.

Os componentes tóxicos do cigarro causam alterações na química do cérebro. A nicotina gera uma sensação imediata de relaxamento, então os fumantes acreditam que aliviam sua ansiedade. No entanto, esse estado é temporário e os sintomas e desejos de abstinência são desencadeados logo em seguida.

Fumar, no primeiro instante, parece ser a maneira mais eficaz de controlar essas reações, mas não é a maneira de tratar a ansiedade e muito menos suas causas subjacentes. De fato, existe uma alta probabilidade de que a ansiedade tenha surgido como resultado do uso do tabaco.

Descubra: 8 motivos para parar de fumar agora mesmo

Efeitos do tabagismo na saúde mental e na depressão

A depressão também tem uma estreita relação com o tabagismo. Pessoas com esse distúrbio têm mais dificuldade em parar de fumar devido à sensação de prazer que a nicotina produz. No entanto, não está totalmente claro se o tabagismo causa depressão ou, talvez, a depressão incentive as pessoas a fumar.

De qualquer forma, os componentes do cigarro deterioram os mecanismos cerebrais que ajudam a produzir dopamina, hormônio essencial para o bem-estar. Embora inicialmente pareça estimulá-las, a longo prazo produz um bloqueio em sua segregação.

Dicas para parar de fumar

O bem-estar físico e mental melhora significativamente quando é tomada a decisão de parar de fumar. Inclusive, muitos de seus benefícios são percebidos já nas primeiras semanas. No entanto, desistir do hábito nem sempre é fácil. Portanto, é conveniente implementar as seguintes dicas:

Elabore um plano para parar de fumar

Parar de fumar de repente através da força de vontade é o método mais custoso de se despedir do cigarro. É mais provável que você atinja a meta ao elaborar um plano por meio de diferentes estratégias apoiadas por um profissional.

Escolher um bom momento para tomar essa decisão pode ser a chave para o sucesso. É menos provável deixar o cigarro em momentos de preocupação, crise ou grandes mudanças. Algumas medidas que podem ser incluídas neste plano são:

  • Mude os hábitos gradualmente, melhorando a alimentação e adotando uma rotina de exercícios.
  • Afaste-se dos ambientes que incentivam o fumo (festas, bares e similares).
  • Pratique hábitos de relaxamento como, por exemplo, meditação, aromaterapia e massagens terapêuticas.
  • Comece a realizar atividades que exijam maior concentração.
  • Escreva lembretes.
  • Comece a economizar o dinheiro gasto em cigarros.

Melhore a alimentação para parar de fumar e contribuir para a sua saúde mental

Duas maçãs, duas laranjas e no meio um cigarro

Uma dieta equilibrada e completa pode ser muito útil ao deixar de fumar. Embora não seja a única solução contra a síndrome da abstinência, pode ter um impacto positivo. Alimentos de alta qualidade nutricional ajudam a mitigar os efeitos das toxinas no bem-estar físico e mental.

Portanto, é conveniente comer cinco a seis vezes por dia, combinando alimentos como:

  • Carnes e peixes magros
  • Frutas e vegetais frescos
  • Cereais integrais
  • Frutos secos e sementes
  • Azeite de oliva

Não perca: Remédios naturais para desintoxicar os pulmões

Aumentar o consumo de água ajuda a paliar os efeitos do tabagismo na saúde mental

Existem algumas bebidas que aumentam o prazer de fumar. Por exemplo, refrigerantes, álcool, chá e café parecem aumentar o gosto por cigarros. Portanto, para paliar os efeitos do tabagismo na saúde mental é aconselhável limitar a ingestão desses líquidos e aumentar o consumo de água durante o dia. Idealmente, beba pelo menos dois litros de água ou bebidas saudáveis como, por exemplo, sucos de frutas.

Procure apoio profissional e familiar para melhorar a sua saúde mental abandonando o cigarro

Mulher em consulta com psicólogo cuidando de sua saúde mental

O aconselhamento individual ou em grupo pode ajudar os fumantes a abandonar seu hábito. As terapias de conversação são úteis para modificar os comportamentos que afetam esse hábito. De fato, os psicólogos podem sugerir técnicas como terapia cognitivo-comportamental (TCC).

Esta última é bastante eficaz quando os fumantes também apresentam sintomas de um problema de saúde mental. Além disso, é essencial ter apoio da família, especialmente se outros membros da família também fumam.

Você está planejando parar de fumar? Preste atenção às recomendações dadas. Se eles não funcionarem, peça ao profissional outras alternativas, como a terapia de reposição de nicotina (TRN).

  • Quattrocki, E., Baird, A., & Yurgelun-Todd, D. (2000). Biological aspects of the link between smoking and depression. Harvard Review of Psychiatry. https://doi.org/10.1080/hrp_8.3.99
  • Wing, V. C., Payer, D. E., Houle, S., George, T. P., & Boileau, I. (2015). Measuring Cigarette Smoking-Induced Cortical Dopamine Release: A [11C]FLB-457 PET Study. Neuropsychopharmacology. https://doi.org/10.1038/npp.2014.327
  • Covey, L. S., Glassman, A. H., & Stetner, F. (2008). Cigarette Smoking and Major Depression. Journal of Addictive Diseases. https://doi.org/10.1300/j069v17n01_04
  • Leventhal, A. M., & Zvolensky, M. J. (2015). Anxiety, depression, and cigarette smoking: A transdiagnostic vulnerability framework to understanding emotion-smoking comorbidity. Psychological Bulletin. https://doi.org/10.1037/bul0000003
  • Taylor, G. M. J., Dalili, M. N., Semwal, M., Civljak, M., Sheikh, A., & Car, J. (2017). Internet-based interventions for smoking cessation. Cochrane Database of Systematic Reviews. https://doi.org/10.1002/14651858.CD007078.pub5
  • Cahill, K., Hartmann-Boyce, J., & Perera, R. (2015). Incentives for smoking cessation. Cochrane Database of Systematic Reviews. https://doi.org/10.1002/14651858.CD004307.pub5
  • Ussher, M. H., Taylor, A. H., & Faulkner, G. E. J. (2014). Exercise interventions for smoking cessation. Cochrane Database of Systematic Reviews. https://doi.org/10.1002/14651858.CD002295.pub5