Como reconhecer a alergia ao gengibre?

A alergia ao gengibre ocorre devido à reação do organismo à ingestão dessa especiaria. Seus sintomas podem ser gastrointestinais ou cutâneos. Como identificá-la? Descubra todos os detalhes neste artigo.
Como reconhecer a alergia ao gengibre?

Última atualização: 09 Fevereiro, 2021

As alergias a especiarias são raras. No entanto, foram detectados certos casos de alergia ao gengibre e outros condimentos relacionados, como a cúrcuma.

A maioria desses tipos de reações é caracterizada pelo desencadeamento de processos cutâneos ou gastrointestinais adversos. Apenas em alguns casos pode se desenvolver um estado de inflamação.

O habitual para desenvolver alergias é a hipersensibilização a alguma proteína, como afirma um artigo publicado na revista Pediatrics and International Child Health

Em particular, o leite de vaca e o glúten são os produtos que mais causam essas reações, mas os temperos também podem ser os gatilhos em alguns casos. Como reconhecer uma alergia ao gengibre?

Como reconhecer uma alergia ao gengibre?

Apesar de um processo de intolerância ser muitas vezes denominado “alergia”, a alergia ao gengibre se caracteriza por se manifestar, sobretudo, a nível intestinal. O consumo desse alimento pode causar o aparecimento de gases, cólicas e diarreia.

Em casos muito extremos, a anafilaxia seria desencadeada, de acordo com um relato de caso publicado no The Journal of Dermatology. No entanto, essas reações graves não são frequentes no que diz respeito ao consumo de especiarias.

É possível que esse tipo de alergia desencadeie uma série de reações na pele, como irritação, vermelhidão e urticária. Na verdade, também pode causar coceira na boca.

Mulher com dor abdominal
A alergia ao gengibre pode causar sintomas gastrointestinais e reações na pele.

Você pode se interessar: Tônico digestivo, adelgaçante e revitalizador de vinagre, gengibre e mel

Prevenção da alergia

A alergia alimentar é um tipo de patologia que, embora possa ser tratada, é crônica. Ainda assim, uma série de medidas podem ser tomadas para prevenir o seu aparecimento.

Por exemplo, a alimentação com leite materno até o primeiro ano de vida, e a inclusão de alimentação complementar após os 6 meses, reduz o risco desse tipo de patologia autoimune. A higiene excessiva também pode causar hipersensibilidade por parte do organismo ao se deparar com uma substância estranha, embora não seja prejudicial.

Além disso, recomenda-se manter uma alimentação variada, para que o sistema digestivo conheça diferentes nutrientes e se habitue ao seu metabolismo. Retirar certos alimentos da dieta pode não gerar uma alergia, mas um processo subsequente de intolerância.

O que fazer em caso de alergia ao gengibre?

Se você suspeita de que tem alguma alergia, o mais importante é consultar um especialista (alergista) para receber um diagnóstico clínico. Ele lhe dirá qual é o seu nível de sensibilização e se é necessário retirar o referido produto da dieta ou apenas moderar o seu consumo.

A partir daí, é necessário avaliar o risco de ocorrer anafilaxia ao entrar em contato com o alérgeno em questão. Essa é uma situação extrema e rara, especialmente no caso da alergia ao gengibre.

No entanto, pode ser aconselhável evitar algumas especiarias culinárias se você sofre dessa condição, para prevenir problemas gástricos e intestinais.

Raiz de gengibre moída
Para evitar uma alergia ao gengibre, o melhor é evitar o seu consumo. Pode até ser necessário evitar outras variedades, como a cúrcuma.

Não perca: Combata a hipertensão e o colesterol alto com este remédio caseiro de gengibre e alho

Alergia ao gengibre, um caso raro

Embora seja possível desenvolver uma alergia a quase qualquer substância, os temperos culinários geralmente não estão relacionados a esse tipo de patologia. Apesar disso, o gengibre é capaz de provocar reações de hipersensibilização em certas pessoas. O diagnóstico precoce é importante para evitar complicações a esse respeito.

É preciso lembrar que os hábitos de vida são capazes de favorecer o desenvolvimento dessas situações. A ausência do aleitamento materno e o desequilíbrio da flora intestinal podem gerar alergias e intolerâncias a médio e longo prazo.

Por se tratar de um problema crônico, a melhor solução é reduzir ou restringir o consumo do alimento em questão. Você pode até mesmo evitar outras especiarias da sua família, como a cúrcuma.

A partir disso, o melhor é adotar uma alimentação variada e completa do ponto de vista nutricional. Na verdade, é aconselhável experimentar a suplementação com probióticos em uma tentativa de melhorar os sintomas. Claro, tudo sob supervisão médica.

Pode interessar a você...
Combata as infecções e dissolva os cálculos renais com chá de gengibre
Mejor con SaludLeerlo en Mejor con Salud
Combata as infecções e dissolva os cálculos renais com chá de gengibre

Conheça alguns benefícios do chá de gengibre, uma raiz medicinal valorizada desde a antiguidade por seu valor nutricional e suas propriedades para a saúde.



  • Manuyakorn W., Tanpowpong P., Cow milk protein allergy and other common food allergies and intolerances. Paediatr Int Child Health, 2019. 39 (1): 32.40.
  • Hayashi E., Sowa Osako J., Fukai K., Natsumi A., et al., Case of anaphylaxis caused by black ginger in a dietary supplement. J Dermatol, 2019. 46 (2): 56-57.
  • Kawamoto Y, Ueno Y, Nakahashi E, et al. Prevention of allergic rhinitis by ginger and the molecular basis of immunosuppression by 6-gingerol through T cell inactivation. J Nutr Biochem. 2016;27:112-122. doi:10.1016/j.jnutbio.2015.08.025
  • Bloomfield SF, Stanwell-Smith R, Crevel RW, Pickup J. Too clean, or not too clean: the hygiene hypothesis and home hygiene. Clin Exp Allergy. 2006;36(4):402-425. doi:10.1111/j.1365-2222.2006.02463.x
  • Gehlhaar P, González-de-Olano D, Madrigal-Burgaleta R, Bartolomé B, Pastor-Vargas C. Allergy to ginger with cysteine proteinase GP-I as the relevant allergen. Ann Allergy Asthma Immunol. 2018;121(5):624-625. doi:10.1016/j.anai.2018.07.013