Como saber se a flora intestinal está danificada?

01 Novembro, 2020
Inchaço abdominal, gases e digestão lenta podem ser sintomas de um desequilíbrio na flora intestinal. A seguir, explicamos o que fazer para recuperá-la e como identificar os desequilíbrios microbianos.

Sintomas como inchaço abdominal inexplicável, períodos prolongados de diarreia, prisão de ventre e fezes com odor fétido podem ser indicativos de uma flora intestinal danificada.

Essa comunidade de microrganismos é essencial para o bom funcionamento do corpo humano, visto que, como diversos estudos têm destacado, promove a digestão de substâncias alimentares e a especialização do sistema imunológico, entre outras funções.

Você sabe por que pode ocorrer um desequilíbrio da microbiota intestinal? Você já se perguntou o que fazer com uma flora intestinal danificada? Resolver tudo isso é essencial para o funcionamento adequado do trato intestinal e o bem-estar geral. Portanto, a seguir contamos tudo que você precisa saber sobre o assunto.

Você sabe o que é a disbiose?

O desequilíbrio da flora intestinal responde a um termo específico, disbiose. De acordo com o termo utilizado em estudos microbiológicos, esta palavra se refere ao desequilíbrio da microbiota normal, devido a alterações qualitativas ou quantitativas em sua composição, em seu funcionamento, distribuição ou atividades metabólicas.

Existem três tipos de disbiose:

  • Perda de bactérias benéficas para o funcionamento do trato gastrointestinal.
  • Supercrescimento de bactérias patogênicas humanas.
  • Perda de uma biodiversidade bacteriana geral.

A microbiota normal é o conjunto de microrganismos bacterianos que povoam várias áreas do corpo humano e, sem dúvida, o mais relevante é aquele presente no trato gastrointestinal.

De acordo com o estudo citado anteriormente, existem mais de 1014 células bacterianas no intestino, com mais de 1000 espécies diferentes. Os grupos Bacterioidetes e Firmicutes são os dominantes.

Em um indivíduo saudável, há um equilíbrio entre as colônias bacterianas intestinais, uma vez que estas se autorregulam entre si, e o sistema imunológico do hospedeiro também mantém a normalidade.

Quando esse equilíbrio homeostático se rompe, seja por fatores externos ou internos, ocorre a citada disbiose. Isso leva a uma série de complicações que veremos a seguir.

Bactérias do intestino
O desequilíbrio das bactérias que constituem a flora intestinal é conhecido como disbiose.

Leia também: Os alimentos que causam mais gases

Como saber se a flora intestinal está danificada?

Como já mencionamos, estudos microbiológicos mostram que a microbiota intestinal estimula o sistema imunológico, sintetiza vitaminas, inibe patógenos e digere compostos provenientes das plantas, entre outras funções.

Esses microrganismos são essenciais para o bom funcionamento do trato gastrointestinal e, portanto, é essencial mantê-los em equilíbrio.

Causas da disbiose intestinal

Existem várias causas que podem gerar um desequilíbrio na microbiota normal. A seguir, damos alguns exemplos:

  • O uso de antibióticos para combater infecções bacterianas pode criar desequilíbrios no microbioma. Estudos demonstraram que a ampicilina ou amoxicilina, entre outras, possuem efeitos negativos na composição da flora intestinal.
  • Estudos em animais determinaram que o estresse e a ansiedade causam variações na microbiota intestinal por vários dias. Os estados estressantes diminuem a produção de mucina intestinal (camada protetora de tecido), que promove a aderência de patógenos.
  • Outras fontes destacam que a dieta alimentar desempenha um papel essencial na microbiota. Os alimentos que contêm sulfatos, por exemplo, promovem o crescimento de bactérias patogênicas no trato intestinal. Também se acredita que dietas com alto teor de proteínas podem ter efeitos negativos.

Todos esses fatores são importantes em pessoas com a saúde normal. Indivíduos com problemas imunológicos ou com patologias associadas também estão em grupos de risco, pois seu sistema imunológico pode não regular adequadamente o crescimento de espécies bacterianas patogênicas.

Finalmente, conforme detalhado em um artigo publicado na Psychopharmacology, o uso de drogas, álcool e cigarro também parece ter efeitos negativos sobre o microbioma.

Sintomas de disbiose intestinal

Saber se a flora intestinal está danificada não é uma tarefa fácil, pois muitos dos sintomas aparentes são semelhantes aos provocados por outras patologias gastrointestinais. Entre eles, estão os seguintes:

  • Inchaço abdominal e presença de gases sem causa aparente.
  • Cólicas intestinais, sensação de agulhadas no ventre e uma sensação de aperto.
  • Fezes e gases com um mau cheiro especialmente intenso.
  • Períodos alternados de prisão de ventre ou diarreia.
  • Maior vulnerabilidade a infecções virais e bacterianas.

Além disso, os estudos comentados sugerem que existem doenças mais graves que podem estar associadas a uma disbiose intestinal. Cepas patogênicas, como Escherichia coli, Mycobacterium avium paratuberculosis ou Clostridium difficile, parecem estar relacionadas a esses desequilíbrios.

Problemas gastrointestinais
Períodos prolongados de diarreia ou prisão de ventre podem ser um sinal de flora intestinal danificada ou alterada.

O que fazer no caso de disbiose intestinal?

Se a pessoa que apresenta os sintomas citados não estiver tomando antibióticos ou tiver patologias associadas, fazer uma mudança na dieta é essencial para restaurar a flora saudável. Os probióticos, por exemplo, são um método comprovado para aumentar o bem-estar gastrointestinal.

Esses produtos geralmente são compostos por cepas das bactérias Bifidobacterium e Lactobacillus, habitantes naturais do trato intestinal. Alguns exemplos de probióticos são kefir, kombucha e outros alimentos lacto-fermentados. Eles também podem ser administrados na forma de comprimidos.

Alimentos prebióticos, isto é, alimentos normais que promovem o crescimento bacteriano, também ajudam a repovoar a flora danificada. Alimentos com fibras e amido são exemplos disso. É claro que consultar seu médico ou nutricionista antes de fazer mudanças drásticas na dieta sempre será uma boa ideia.

Não deixe de ler: Dieta para evitar a disbiose intestinal

O que levar em conta no caso de flora intestinal danificada?

Hábitos não saudáveis ​​como fumar, beber e usar drogas podem modificar a microbiota gastrointestinal, entre muitas outras patologias associadas. Além disso, o estresse contínuo pode causar um desequilíbrio desse grupo de bactérias presentes no intestino.

Também se observou que o uso de antibióticos pode causar disbiose, mas, infelizmente, esses tipos de efeitos colaterais não podem ser controlados pelo paciente. Em qualquer caso, um estilo de vida saudável e o uso de probióticos e prebióticos podem ajudar a manter e restaurar o bem-estar gastrointestinal.

  • Maslowski, K. M., & Mackay, C. R. (2011). Diet, gut microbiota and immune responses. Nature immunology12(1), 5-9.
  • DeGruttola, A. K., Low, D., Mizoguchi, A., & Mizoguchi, E. (2016). Current understanding of dysbiosis in disease in human and animal models. Inflammatory bowel diseases22(5), 1137-1150.
  • Myers, S. P., & Hawrelak, J. A. (2004). The causes of intestinal dysbiosis: a review. Altern Med Rev9(2), 180-197.
  • Disbiosis, wikipedia. Recogido a 5 de julio en https://es.wikipedia.org/wiki/Disbiosis
  • Bailey, M. T., & Coe, C. L. (1999). Maternal separation disrupts the integrity of the intestinal microflora in infant rhesus monkeys. Developmental Psychobiology: The Journal of the International Society for Developmental Psychobiology35(2), 146-155.
  • Gibson, G. R. (1998). Dietary modulation of the human gut microflora using prebiotics. British Journal of Nutrition80(S2), S209-S212.
  • Kim HJ, Lee SH, Hong SJ. Antibiotics-Induced Dysbiosis of Intestinal Microbiota Aggravates Atopic Dermatitis in Mice by Altered Short-Chain Fatty Acids. Allergy Asthma Immunol Res. 2020;12(1):137-148. doi:10.4168/aair.2020.12.1.137
  • Isolauri, E., Salminen, S., & Ouwehand, A. C. (2004). Probiotics. Best practice & research Clinical gastroenterology18(2), 299-313.
  • Carding S, Verbeke K, Vipond DT, Corfe BM, Owen LJ. Dysbiosis of the gut microbiota in disease. Microb Ecol Health Dis. 2015;26:26191. Published 2015 Feb 2. doi:10.3402/mehd.v26.26191
  • Cussotto S, Clarke G, Dinan TG, Cryan JF. Psychotropics and the Microbiome: a Chamber of Secrets…. Psychopharmacology (Berl). 2019;236(5):1411-1432. doi:10.1007/s00213-019-5185-8