Os alimentos que causam mais gases

16 Agosto, 2020
Gases, arrotos ou flatulências podem ocorrer de forma inesperada ou ser desconfortos de um dia. No entanto, às vezes eles se tornam verdadeiros sintomas que podem nos impedir de levar uma vida normal.

Embora os  gases às vezes sejam difíceis de tratar, eles podem melhorar com algumas diretrizes alimentares e hábitos diários. Para tentar reduzir os problemas que eles geram, é bom conhecer os alimentos que causam mais gases e, assim, organizar uma dieta de acordo com essas recomendações.

O que são os gases e como podemos detectá-los?

Os gases ou flatos são produzidos pelo ar acumulado em algum lugar do trato digestivo. Isso é chamado de meteorismo. Eles costumam ser gerados ao engolir o ar ao mastigar ou como consequência da atividade de fermentação das bactérias intestinais.

Em geral, é normal que eles se formem. Geralmente os eliminamos sem mais problemas através de arrotos ou flatos intestinais. Em algumas pessoas, eles podem estar presentes em grande quantidade, gerando desconforto e dores mais graves.

Existem algumas situações que podem favorecer esse tipo de desconforto:

  • Uso de alguns medicamentos
  • Problemas de motilidade intestinal
  • Algumas doenças, como disbiose intestinal, cólon irritável e doença celíaca
  • Problemas de má absorção de carboidratos

Às vezes, a formação de gases é inevitável, mas conhecer os alimentos que produzem mais gases pode nos ajudar a controlar a situação. Vamos ver, a seguir, quais são os alimentos que costumam gerar mais problemas. 

Talvez você possa se interessar: 7 alimentos que podem causar inchaço abdominal

Quais alimentos causam mais gases?

Alimentos que produzem mais gases
Bebidas com gás são grandes produtoras de gases.

1. Bebidas com gás

Geralmente, não pensamos em bebidas quando analisamos os alimentos que causam mais gases. No entanto, elas são consumidas por muitas pessoas, às vezes em grandes quantidades. 

Em sua própria composição, elas contêm um tipo de gás, o dióxido de carbono. Portanto, ao tomá-las, estamos ingerindo uma grande quantidade de gás, e se não conseguirmos eliminá-lo, ele ficará preso no sistema digestivo. 

2. Leguminosas

As leguminosas, em geral, são alimentos muito densos em nutrientes. No entanto, elas têm um tipo de carboidrato em sua composição: os alfa-galactosídeos. Esses carboidratos pertencem ao grupo dos Fodmap.

O problema com esse tipo de carboidrato é que não podemos digeri-los; portanto, quando atingem o cólon, são fermentados por bactérias da flora, produzindo gases como resultado. Além disso, devido à sua alta quantidade de fibras, os flatos aumentam em pessoas que não estão acostumadas a consumi-los. 

Para melhorar esse efeito, você pode comer em pequenas quantidades por vez e escolher variedades sem casca, como a lentilha vermelha. Outra opção é cozinhá-las trituradas, na forma de hommus ou purê de leguminosas e verduras.

3. Cebola, alho e alho-poró

A cebola, assim como o alho e o alho-poró, são vegetais que, embora raramente comidos sozinhos, fazem parte da preparação de muitos pratos.

Na sua composição, eles têm uma boa quantidade de frutanos. Trata-se de um tipo de fibra que pode ser muito difícil de digerir, razão pela qual costuma causar gases e inchaço.

Embora em menor grau, eles também estão presentes em alguns cereais – trigo e centeio – e vegetais – alcachofra, ervilha e repolho.

4. Maçã e outras frutas ricas em frutose

As maçãs não só contêm uma quantidade significativa de frutose, mas também são ricas em sorbitol. A frutose e o sorbitol são difíceis de tolerar para algumas pessoas. Além disso, devemos acrescentar, assim como nas leguminosas, a quantidade de fibra de cada porção.

Outras frutas ricas em frutose às quais devemos ficar atentos nesse sentido são a pera, o pêssego e a ameixa.

Não deixe de ler: 5 remédios ricos em fibras para regular sua glicose

5. Vegetais crucíferos

Dentro desta grande família de vegetais estão presentes o brócolis, a couve-de-bruxelas e a couve-flor. O problema deste grupo de vegetais é causado pela presença de rafinose. Este tipo de açúcar permanece não digerido até atingir o intestino grosso, onde é fermentado.

Alguns truques na cozinha podem nos ajudar a diminuir esse efeito flatulento:

  • Reduza as porções deste tipo de vegetais e não os misture.
  • Cozinhe no vapor até ficar bem cozido.
  • Adicione cominho, louro, gengibre e outras especiarias que podem ajudar a eliminar os gases que se formam no intestino.
Homem sentindo gases
Existem técnicas de cozimento que ajudam a reduzir o efeito flatulento de alguns alimentos.

6. Adoçantes

Os polióis – ou álcoois de açúcar – são produtos pouco digeríveis que podem substituir o açúcar. Os mais conhecidos são o xilitol, sorbitol e manitol, que são utilizados na preparação de muitos alimentos sem açúcar ou light.

Por serem pouco digeríveis, chegam ao cólon, onde são fermentados por bactérias intestinais. Embora substâncias benéficas para a mucosa intestinal sejam produzidas como resultado da fermentação, uma grande quantidade de gás também se origina. Se não for bem eliminado, fica preso e pode causar dor e desconforto. 

Controlar a ingestão dos alimentos que causam mais gases

Embora os alimentos que causam mais gases sejam os que listamos acima, cada pessoa tem um nível de tolerância muito específico. Portanto, o importante é saber como cada um deles nos afeta pessoalmente.

Portanto, podemos regular a ingestão deles para minimizar seus efeitos negativos. Não podemos nos esquecer, é claro, de consultar um médico diante de qualquer sinal de alarme, como alterações na consistência das fezes, sangramento ao defecar, perda de peso ou constipação e, por fim, diarreia.

  • Abilés J, Ribera R. Recomendaciones nutricionales para pacientes con meteorismo . FEAD (Fundación Española del Aparato Digestivo).
  • Bosch A. Flatulencia. Offarm. Julio 2006. 25(7), 64-68.
  • Gas, Bloating, and Belching. American Family Physician. Marzo 2019. 99(5).
  • Moshfegh AJ, et al. Presence of inulin and oligofructose in the diets of Americans. Journal of Nutrition. Julio 1999. 129(7)1407S-11S.