7 alimentos que podem causar inchaço abdominal

O inchaço abdominal é um sintoma incômodo que pode nos fazer parecer mais pesados do que realmente somos.

Última atualização: 26 Outubro, 2017

Embora não tenhamos alergia alguma, a verdade é, que devido às suas características, existem alguns alimentos que podem causar inchaço abdominal, favorecendo a produção de gases e causando inflamação.

Muitos pensam que isso se deve à acumulação de gordura no abdômen, mas a verdade é que existem muitos outros fatores que influenciam em seu aparecimento.

Na verdade, às vezes vem acompanhado de desconforto digestivo, como dor e acumulação de gases, o que produz uma sensação de peso.

Sua origem geralmente está associada à escolha de alimentos ruins, uma vez que muitos alimentos causam reações inflamatórias ao serem assimilados pelo organismo.

O mais preocupante é que, como consumidores, geralmente ignoramos quais são esses alimentos, e apesar dos efeitos continuamos adicionando-os regularmente em nossa dieta.

Por esse motivo, queremos dedicar esse espaço a 7 alimentos que podem causar inchaço abdominal.

Conheça-os!

Alimentos que podem causar inchaço abdominal

1. Leite e derivados

O leite e outros produtos lácteos são um grande desencadeante da inflamação abdominal.

Isso acontece pelo alto teor de lactose, um açúcar natural que tende a gerar dificuldades digestivas, evitando que as enzimas funcionem corretamente.

Sua má absorção provoca a produção excessiva de gases intestinais, além de dor e inchaço.

Sugestões

  • Substitua o leite de vaca por produtos vegetais, como o leite de amêndoas ou o leite de aveia.
  • Se você quer aumentar sua absorção de cálcio, opte por ingerir os vegetais que contenham o mineral.

2. Farinhas refinadas

As farinhas refinadas são aquelas que sofreram um processo que diminui sua qualidade nutricional.

Elas perderam a sua fibra dietética, um nutriente fundamental para a digestão.

Elas também contribuem com menos vitaminas e minerais em comparação com as versões integrais, e devido ao seu teor de glúten, são altamente inflamatórias.

Sugestões

  • Limite o consumo de farinha refinada ao máximo, incluindo aquelas que estão contidas no pão e na pizza.
  • Tente substituí-las por farinhas com ingredientes integrais e sem glúten.

3. Vegetais crucíferos

Os vegetais crucíferos estão repletos de nutrientes essenciais que, em troca de um número reduzido de calorias, melhoram muitos aspectos da saúde.

O problema é que eles também contêm um polissacarídeo conhecido como rafinose que, quando digerido, é fermentado e provoca a produção excessiva de gases.

Isso, obviamente, envolve uma reação inflamatória no abdômen, que pode ser difícil de tratar.

Sugestões

  • Limite o consumo desta variedade de vegetais, incorporando-os em sua dieta apenas uma vez por semana.
  • Tente consumi-los crus ou cozidos no vapor.

4. Carnes embutidas

As carnes embutidas parecem sempre frescas e representam uma opção de comida rápida e deliciosa.

O que poucos sabem é que, por trás desse aspecto, escondem uma grande variedade de compostos químicos e gorduras prejudiciais para a saúde.

A ingestão regular causa uma reação inflamatória no organismo, afetando a saúde digestiva e articular.

Além disso, elas contêm muito sal e podem influenciar na ocorrência de retenção de líquidos e distúrbios metabólicos.

Sugestões

  • Substitua carnes embutidas por carnes magras, como frango ou peru.
  • Evite os alimentos que contenham esses ingredientes entre seus aditivos.

5. Frituras

As frituras são uma das causas mais comuns de inflamação do abdômen, não só porque aumentam a acumulação de gordura, mas porque diminuem a digestão e aumentam os níveis de colesterol.

Sugestões

  • Evite por completo as frituras industrializadas, batatas fritas e produtos similares.
  • Ao cozinhar em casa, tente usar óleos saudáveis, como o azeite de oliva ou óleo de girassol.

6. Condimentos

Os condimentos aumentam o sabor das refeições e, em pequenas doses, oferecem benefícios para a saúde.

O ruim é quando eles são consumidos em grandes quantidades e, especialmente, quando combinamos duas ou mais variedades.

Eles irritam o revestimento do estômago e, ao produzir uma reação inflamatória, causam refluxo gástrico e gases.

Sugestões

  • Adicione apenas pequenas quantidades de condimentos aos pratos.
  • Evite misturar muitas especiarias ao mesmo tempo.
  • Limite ao máximo a ingestão de condimentos picantes como a pimenta.

7. Feijões

Não podemos negar que os feijões são deliciosos e quase insubstituíveis na dieta.

Eles são uma importante fonte de proteínas vegetais, antioxidantes, vitaminas e minerais.

Apesar disso, seu consumo pode provocar inflamação abdominal, pois eles causam dificuldades digestivas pelo teor de polissacárideos.

Sugestões

  • Consuma-os apenas ocasionalmente, e em porções moderadas.
  • Tente cozinhar bem para evitar reações digestivas indesejadas.

Você costuma adicionar estes alimentos que podem causar inchaço abdominal em sua dieta? Se este for o caso, eles provavelmente são a razão pela qual você não consegue manter o abdômen reto e liso.

Limite o seu consumo e opte por outros alimentos mais leves.

Pode interessar a você...
Mejor con SaludLeerlo en Mejor con Salud
8 maneiras de diminuir o inchaço abdominal sem praticar exercícios

Além de adotar uma dieta equilibrada, para aliviar o inchaço abdominal, também podemos realizar algumas massagens locais que podem ser de grande ajuda.



  • Marina, A. M., Che Man, Y. B., & Amin, I. (2009). Virgin coconut oil: emerging functional food oil. Trends in Food Science and Technology. https://doi.org/10.1016/j.tifs.2009.06.003
  • Soares, F. L. P., de Oliveira Matoso, R., Teixeira, L. G., Menezes, Z., Pereira, S. S., Alves, A. C., … Alvarez-Leite, J. I. (2013). Gluten-free diet reduces adiposity, inflammation and insulin resistance associated with the induction of PPAR-alpha and PPAR-gamma expression. Journal of Nutritional Biochemistry. https://doi.org/10.1016/j.jnutbio.2012.08.009
  • de Punder, K., & Pruimboom, L. (2013). The dietary intake of wheat and other cereal grains and their role in inflammation. Nutrients. https://doi.org/10.3390/nu5030771
  • Kiecolt-Glaser, J. K., Christian, L., Preston, H., Houts, C. R., Malarkey, W. B., Emery, C. F., & Glaser, R. (2010). Stress, inflammation, and yoga practice. Psychosomatic Medicine. https://doi.org/10.1097/PSY.0b013e3181cb9377