7 dicas para prevenir uma depressão em sua fase inicial

28 Agosto, 2020
Se considerarmos que estamos deprimidos, é necessário melhorar os nossos hábitos de vida e buscar ajuda profissional.

Seria possível prevenir uma depressão em sua fase inicial? Como? Estas são perguntas feitas por algumas pessoas que se sentem oprimidas ou tristes e gostariam de parar com isso, para o seu próprio bem.

Embora não existam fórmulas mágicas que possam ser aplicadas em todos os casos, existem algumas dicas que podem ajudá-lo a superar e a recuperar o seu bem-estar, ao mesmo tempo em que que procura ajuda profissional.

1. Alimentação saudável

Embora não existam estudos suficientes para apoiar essa ideia, acredita-se que algumas depressões podem começar pelo déficit – na infância, adolescência ou ambos – de alguns nutrientes essenciais para o sistema nervoso.

Se essas deficiências persistirem, podem levar à tristeza, melancolia, nervosismo, exaustão, ansiedade, irritabilidade, etc.

De acordo com um estudo publicado em 2009, a nutrição está intimamente relacionada ao desenvolvimento neuronal e à saúde neuropsiquiátrica.

“Crianças com desnutrição crônica apresentam com maior frequência transtornos de ansiedade, déficit de atenção, déficit cognitivo, transtorno de estresse pós-traumático, síndrome da fadiga crônica e depressão, entre outras manifestações psicopatológicas”.

Por outro lado, inúmeros estudos mostram que uma alimentação balanceada, variada, rica e suficiente é capaz de trazer múltiplos benefícios ao organismo, inclusive em termos de saúde mental.

Alguns alimentos que poderiam ser especialmente benéficos para a melhoria da saúde mental seriam a aveia e o chocolate, de acordo com evidências científicas fornecidas por várias investigações nos últimos 20 anos.

Isto não quer dizer que você só deve consumir esses alimentos para prevenir a depressão, mas que os inclua em uma dieta saudável, para aproveitar ao máximo sua contribuição nutricional.

 

Alimentação para prevenir uma depressão

2. Pratique exercícios físicos diariamente

Praticar exercícios diariamente é uma ótima maneira de desfrutar de saúde e bem-estar. Encontre uma atividade que chame a sua atenção e comece a integrá-la à sua rotina, aos poucos.

Você não precisa ser um corredor de primeira linha no primeiro mês, ou um dançarino perfeito, ou um nadador olímpico. Faça uma atividade com a qual você se exercite, se divirta e se acalme. Isto é o suficiente.

  • A psicóloga Cristina Roda Rivera afirma que o esporte pode neutralizar alguns dos efeitos do humor depressivo nas pessoas”.
  • Por outro lado, favorece a produção de endorfinas, melhora o estado físico e a autoestima.

Descubra: Os melhores benefícios de ter hábitos saudáveis

3. Descanse bem

Decansar para prevenir uma depressão

Você sabia que descansar bem durante a noite é fundamental para que todo o corpo, e o sistema nervoso em particular, se equilibrem? Tanto a falta como o excesso de sono são prejudiciais para a nossa saúde, já que o primeiro nos mantém esgotados e nervosos e o segundo, mais preguiçosos e apáticos.

Além disso, de acordo com este estudo publicado em 2008, problemas de sono podem levar a distúrbios como a depressão.

Devemos descansar entre 6 e 8 horas todos os dias, e o sono deve ser restaurador, então, se temos dificuldade para dormir, teremos que descobrir quais são as causas, que podem ser várias:

  • Falta de exercício.
  • Ir para a cama tarde demais.
  • Jantar muito tarde ou muita quantidade.
  • Tomar substâncias estimulantes a partir da tarde: café, refrigerantes, álcool.
  • Levar as preocupações para a cama e ficar remoendo os pensamentos.

4. Olhe para cima

Diz-se que pessoas com atitudes pessimistas e tendência à depressão tendem a olhar para baixo, na maioria das vezes, para o chão. Principalmente quando estão andando na rua.

Observe como a paisagem muda quando você deixa de olhar para o chão e olha para a frente e para cima. Amplie o seu campo de visão e verá que, aos poucos, vai conseguindo dissipar a tristeza.

Você não vai ‘curar’ ou prevenir a depressão olhando para cima ou em todas as direções ao caminhar pela rua. No entanto, tirar os olhos do chão pode ajudá-lo a se distrair, prestar mais atenção ao que está à sua volta e talvez aliviar um pouco os seus sentimentos, mesmo que por pouco tempo.

5. Pratique atividades agradáveis

A psicóloga Loreta Martín Moya afirma que as atividades prazerosas têm um papel fundamental nas terapias para a depressão. Portanto, é aconselhável priorizá-las no dia a dia.

Dançar, desenhar, caminhar, correr ou simplesmente passear em um espaço ao ar livre e curtir a natureza, são atividades que podem ajudar a aliviar o sofrimento emocional e, de certa forma, prevenir a depressão. Portanto, não as deixe de lado. Pratique-as e tire proveito delas!

6. Expresse-se!

 Desabafar com um amigo

Se você sentir que está triste, oprimido ou deprimido, é recomendável que você tente falar com alguém de sua confiança ou diretamente com um psicólogo. Expressar o que sente, suas preocupações, o que você imagina e tudo o que o oprime pode contribuir para o alívio.

7. Seja gentil consigo mesmo

Muitas vezes, quando uma pessoa está triste ou deprimida, ela tende a se pressionar e não respeitar o seu próprio tempo. Ela quer tanto ficar ‘bem’ que se pune por não conseguir, ou por “ter tido uma recaída” depois de ter melhorado por alguns dias.

Lembre-se de que, muitas vezes, é preciso dar-se um tempo para melhorar, fortalecer e seguir em frente. Você não precisa se pressionar e se punir a cada momento.

E se você não conseguir evitar uma depressão?

Se você não conseguir evitar uma depressão, deve procurar ajuda profissional e começar a terapia.

Lembre-se de que, o importante não é “evitar” ficar mal ou negar as emoções negativas a todo custo, sempre que elas surgirem. O que realmente importa é que você tente encontrar as ferramentas necessárias para aprender, melhorar e avançar.

 

 

  • Brieger, P., & Menzel, S. (2018). Depression. Nervenheilkunde. https://doi.org/10.1055/s-0038-1670565
  • Health, N. I. of M. (1998). National Institute of Mental Health. Depression. https://doi.org/10.1001/archinternmed.2010.261