Consequências de dormir menos de 8 horas por dia

· 6 de dezembro de 2018
Sabia que a falta de sono pode afetar diretamente a sua pele? Dormir bem favorece a regeneração celular e também produz mais hormônios que contribuem para a elasticidade da pele.

Você tem dificuldades para dormir? O seu período de sono dura menos de 8 horas? Se a sua resposta for afirmativa para estas duas perguntas saiba que a sua saúde está em risco e que é provável que sofra as consequências a curto e longo prazo.

Há centenas de anos que sabe-se que o sono e sua qualidade está relacionado com diferentes aspetos da saúde, pois é exatamente quando se descansa que o corpo inicia determinadas atividades que não pode fazer durante o dia.

Além das consequências físicas, que se notam quase de imediato, também existem graves efeitos emocionais que podem afetar à pessoa quando não são devidamente controlados.

Ter um sono ininterrupto e agradável é um hábito que ajuda a equilibrar o estado emocional e físico de todos os indivíduos; por isso, quando alguém não dorme o tempo aconselhado, o mais seguro é que seus efeitos comecem a reduzir a sua qualidade de vida.

Você conhece os riscos de não dormir bem? Conheça as consequências de dormir menos de 8 horas por dia a seguir.

Consequência de dormir pouco

Aumento da pressão arterial

Dormir-e-pressao-arterial

Não dormir, dormir muito pouco ou ter dificuldades para conciliar o sono influencia de forma direta na pressão arterial.

Dormir menos de 8 horas pode aumentar os níveis da pressão arterial sistólica em até 132, quando o ideal é que esteja abaixo de 120.

Quer saber mais? Leia:  Como baixar a pressão arterial sem usar remédios

Problemas no pâncreas

A falta de descanso e de sono tem uma repercussão importante na capacidade de processamento da glicose, o que leva à ocorrência de altos níveis de açúcar no sangue e ao aumento do risco de sofrer de diabetes tipo 2 e de excesso de peso.

Aumento do apetite

A diminuição do tempo de sono está associada ao aumento do índice de massa corporal (IMC). Não dormir o tempo suficiente faz diminuir os níveis de leptina (redutora do apetite), e aumentar os níveis de grelina (estimulante do apetite).

Devido a esse efeito, a privação do sono está relacionada com o risco de sofrer de obesidade.  E tudo isso porque o desejo de ingerir carboidratos e calorias aumenta, gerando por sua vez, uma ansiedade por comida.

Menor gasto de energia

As pessoas que não conseguem conciliar o seu sono de forma adequada têm menos probabilidades de ser fisicamente ativas, o que resulta em um menor gasto energético e, por isso, em uma maior acúmulo de calorias.

Se a redução da atividade física associar-se ao aumento do apetite e ao desejo de ingerir alimentos pouco saudáveis, é mais que evidente que esse tipo de alteração influencie o peso corporal.

Efeitos sobre o cérebroCerebro-e-dormir

cérebro  é um dos órgãos mais afetados pelo impacto negativo de não se dormir a quantidade de tempo necessária.

Os efeitos sobre ele são imediatos, pois depois de não dormir bem ou de passar uma má noite, é difícil que a pessoa consiga render cognitivamente e concentrar-se em suas atividades.

Além disso, a longo prazo, o cérebro perde a sua capacidade de limpar as proteínas formadoras de placas; o que, mais tarde, pode levar à demência ou à doença de Alzheimer.

Sistema imunológico frágil

O esgotamento físico, provocado por uma má qualidade de sono, compromete o sistema imunológico, gerando uma diminuição de anticorpos.

Assim como aumenta-se o risco de doenças e infecções.

Estresse

As consequências sobre o estado de humor são imediatas e quase sempre se manifestam com emoções de irritabilidade; bem com com estresse, ansiedade ou depressão.

Depois de passar uma noite ruim ou de não dormir o suficiente, existe um maior risco de sofrer de estresse, porque os níveis de cortisol aumentam.

Dores

Dormir menos de 8 horas por dia aumenta o risco de sofrer de dores musculares; bem como fortes dores de cabeça durante o dia.

Envelhecimento precoceEnvelhecimento-precoce-e-dormir

A insônia, juntamente com o tabagismo e a exposição solar, são as principais causas de envelhecimento prematuro da pele.

Durante o sono, o organismo incrementa os níveis do hormônio responsável pela elasticidade da pele; isso tem um papel importante na prevenção das rugas.

Além disso, um bom descanso contribui para a regeneração celular; assim como diminui o impacto dos radicais livres sobre os tecidos da pele.

Não se esqueça de ler: As 7 chaves da longevidade: Vamos praticar?

Enfraquece os músculos

De nada serve treinar muitas horas por dia para fortalecer os músculos se à noite não se tem um descanso adequado.

Durante o sono o organismo liberta hormônios que regulam funções essenciais, entre as quais se encontram os do crescimento. Por isso, quem dorme pouco dificilmente desenvolve seus músculos  de maneira adequada; além disso é muito provável que sinta um maior desgaste físico.

 

  • ADES, C., MEGALE, F. C. S., & VERCESI, B. (1988). Dormir tarde, dormir pouco e consumo de cafeina: um estudo com universitarios. Bol. psicol, 59-64.