5 fatores que influenciam na depressão

17 de outubro de 2019
A depressão não tem origem apenas em acontecimentos traumáticos. Sem que saibamos, há alguns hábitos cotidianos que influenciam seu desenvolvimento. Você sabe quais são? Neste artigo, vamos compartilhar com você os mais comuns.

A depressão foi classificada como um transtorno do humor. As pessoas que estão deprimidas sentem uma profunda tristeza, além de irritabilidade, perda de interesse pela vida e mudanças no comportamento. Você sabe quais são os fatores que influenciam a depressão?

A origem dessa condição pode ser biológica ou circunstancial. Dizem que é causada por mudanças na química cerebral, seja por desequilíbrios hormonais, fatores ambientais ou pelo estímulo de uma determinada situação. No entanto, também pode ser resultado de alguns hábitos.

Fatores que influenciam a depressão

É importante levar em consideração que nem todos os períodos de tristeza profunda correspondem à depressão. Uma pessoa pode passar por momentos tristes e traumáticos sem chegar a apresentar sintomas tão graves a ponto de ser diagnosticada com depressão.

Esse transtorno foi classificado como uma condição médica grave, pois pode ter um desfecho fatal quando não recebe um tratamento adequado. A qualidade de vida dos pacientes se reduz drasticamente, ao ponto de se sentirem incapazes de fazer suas atividades cotidianas. Inclusive, às vezes também influencia o desenvolvimento de outros problemas de saúde.

Por ser um transtorno tão complexo, não existe uma causa única para explicar sua origem. De fato, foram identificadas dezenas de fatores que influenciam a depressão. O mais preocupante é que muitos deles são ignorados, visto que fazem parte do estilo de vida das pessoas. Descubra quais são!

Não deixe de ler: Hábitos ocultos das pessoas com depressão

1. Má alimentação

O consumo de fast-foods foi associado a maiores problemas de saúde

Uma nutrição deficiente está intimamente relacionada com os problemas de saúde mental, incluindo a depressão. Embora seja fácil ignorar isso, dietas ruins podem causar alterações no sistema nervoso e na química do cérebro. Por exemplo, o consumo habitual de gorduras e fast-foods está associado a uma maior suscetibilidade ao estresse e à depressão.

Apesar de momentaneamente produzirem certa sensação de prazer, podem influenciar mudanças na atividade hormonal, desencadeando essas condições. Devido ao que foi dito aqui, recomenda-se manter uma dieta saudável, rica em fontes de ácidos graxos ômega 3, proteínas, antioxidantes, vitaminas e minerais.

2. Fatores que influenciam a depressão: Dormir mal

Para ter uma boa qualidade de vida, o ideal é dormir entre 7 e 8 horas por dia sem interrupções. Durante esse tempo, o organismo realiza uma série de processos que não podem ocorrer em outros momentos do dia. Por isso, quando há interrupções no sono ou problemas para dormir, muitas reações negativas aparecem.

Nesse caso em particular, vale destacar que a insônia e os distúrbios do sono têm um estreito vínculo com a depressão. De fato, há estudos que sugerem que as pessoas que não dormem bem têm até 10 vezes mais risco de ter episódios depressivos em comparação com aquelas que dormem a quantidade de horas adequada.

3. Usar as redes sociais

Estudos recentes notaram uma correlação entre o abuso das redes sociais e os comportamentos depressivos.

Nos últimos anos, foram realizadas várias pesquisas com relação ao uso das redes sociais e os problemas de saúde mental. Um estudo, publicado em Journal of Social and Clinical Psychology, concluiu que há um vínculo causal entre o uso das redes sociais e problemas como a depressão e a solidão.

Fatores como a constante comparação social ou o bullying explicam esses efeitos. Embora seu uso moderado não costume ter maior impacto, passar muito tempo nessas plataformas pode ser negativo. Devido ao que foi afirmado anteriormente, a recomendação geral é estabelecer limites ou diminuir seu uso.

Leia também: 5 ervas medicinais para tratar a depressão

4. Fatores que influenciam a depressão: consumir bebidas alcoólicas

O abuso de bebidas alcoólicas pode causar alterações na atividade cerebral, provocando ou piorando os episódios de depressão. As pessoas alcoólatras não conseguem cumprir com suas obrigações profissionais e familiares, o que pode influenciar esse transtorno.

O mais preocupante é que a união do alcoolismo com a depressão dificulta ainda mais o abandono do vício. Por isso, pessoas que têm ambos os problemas devem contar com um constante apoio profissional e familiar, frequentando terapias.

5. Ambientes tóxicos de trabalho

O ambiente de trabalho exerce um poder significativo sobre nosso estado de ânimo, podendo afetá-lo negativamente.

Muitos pacientes afetados por estresse, ansiedade e depressão estão submetidos de maneira constante a ambientes de trabalho que são tensos ou tóxicos. O que isso quer dizer? Pois bem, são aqueles ambientes de trabalho em que há assédio, excesso de trabalho, baixa remuneração e dificuldade para ter relações saudáveis com colegas ou chefes.

Tudo isso vai causando descontroles a nível psicológico, pois o excesso de estresse aumenta a liberação de cortisol e outras substâncias químicas. Para evitar isso, podem ser aplicadas estratégias simples: fazer pausas para descansar, evitar ao máximo o excesso de trabalho e deixar o ambiente de trabalho mais agradável, por exemplo, com uma música relaxante ou aromas suaves.

Você reconhece na sua vida esses fatores que influenciam a depressão? Se for o seu caso, comece agora a tomar medidas a fim de tentar evitá-los. Não se esqueça de que a depressão é um tema sério que requer tratamento profissional. Se você sente esses sintomas, procure ajuda.

  • Tsuno, N., Besset, A., & Ritchie, K. (2005). Sleep and depression. Journal of Clinical Psychiatry. https://doi.org/10.4088/JCP.v66n1008
  • Benca, R. M., & Peterson, M. J. (2008). Insomnia and depression. Sleep Medicine. https://doi.org/10.1016/S1389-9457(08)70010-8
  • Woods, H. C., & Scott, H. (2016). #Sleepyteens: Social media use in adolescence is associated with poor sleep quality, anxiety, depression and low self-esteem. Journal of Adolescence. https://doi.org/10.1016/j.adolescence.2016.05.008
  • Hunt, M. G., Marx, R., Lipson, C., & Young, J. (2018). No More FOMO: Limiting Social Media Decreases Loneliness and Depression. Journal of Social and Clinical Psychology. https://doi.org/10.1521/jscp.2018.37.10.751
  • Taylor, D. J., Lichstein, K. L., Durrence, H. H., Reidel, B. W., & Bush, A. J. (2005). Epidemiology of insomnia, depression, and anxiety. Sleep. https://doi.org/10.1093/sleep/28.11.1457
  • Boden, J. M., & Fergusson, D. M. (2011). Alcohol and depression. Addiction. https://doi.org/10.1111/j.1360-0443.2010.03351.x
  • Bonde, J. P. E. (2008). Psychosocial factors at work and risk of depression: A systematic review of the epidemiological evidence. Occupational and Environmental Medicine. https://doi.org/10.1136/oem.2007.038430
  • Health and Safety Executive. (2018). Work related stress, anxiety and depression statistics in Great Britain, 2018. In Health and Safety Executive. https://doi.org/10.1083/jcb.201205106