5 ervas medicinais para tratar a depressão

· 29 de setembro de 2017
Além dos tratamentos psicológicos, é possível que para tratar a depressão devamos recorrer também a alguma ajuda extra, como a que as ervas medicinais podem nos proporcionar.

Muitas das ervas medicinais podem ser muito úteis naqueles tratamentos indicados para a tratar a depressão.

É que, por ser uma situação delicada, pode levar a um estresse constante, ansiedade, insônia, assim como outros transtornos do sistema nervoso.

A origem natural dos tratamentos com ervas medicinais é o que interfere na reprogramação hormonal.

Assim, aumentam aqueles hormônios que geram bem-estar e apaziguam os inibidores, que são os que, no começo, são alterados diante de um quadro de depressão, tanto leve quanto severa.

Se esse for o seu caso, verá quais são as ervas medicinais que você pode incluir em seus hábitos para que tratar a depressão definitivamente.

Aprenda como as ervas medicinais ajudam a tratar a depressão

1. Hipérico (erva-de-São-João)

Chá de hiperico para tratar a depressão

Dentro das ervas medicinais, o hipérico ou erva de São João é indicada para o tratamento natural da depressão, em suas primeiras fases.

São muitas as pesquisas que demonstram sua efetividade também para tratar ansiedade e o medo noturno.

Só deve ser usada em tratamentos completamente naturais, ou seja, não deve-se combinar com nenhum outro medicamento antidepressivo ao mesmo tempo.

Ingredientes

  • 1 xícara de água (250 g);
  • 1 colher de sopa de hipérico (5 g);

Como usá-lo?

  • Esquente a água e, quando ferver, adicione o hipérico e deixe que em infusão durante 5 minutos antes de consumir.
  • Tome 3 vezes ao dia.

Lembre-se de que seus efeitos podem demorar até 3 semanas para aparecer, visto que por ser natural é um tratamento prolongado porém com muita efetividade.

2. Papoula

A papoula também se encontra dentro das ervas medicinais que você pode ter em casa para tratar a depressão.

Graças ao seu teor de alcaloides, seu princípio ativo, é muito adequada para aliviar em grande modo a ansiedade e as depressões moderadas.

À exceção da etapa de gravidez e durante a lactação, a papoula pode ser ingerida sem nenhuma contraindicação.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de flores de papoula (10 g)
  • 1 xícara de água (250 ml)

Como usar?

  • Prepare-a em forma de infusão e deixe que se concentre durante 10 minutos.
  • Você pode tomá-la 3 vezes ao dia, tendo em consideração que também é um dos tratamentos com efeitos relativamente tardios.

 3. Angélica

Angélica para tratar a depressão

A angélica pertence às ervas medicinais para tratar a depressão severa, já que tem efeitos de grande potência.

Isso se deve ao fato de que conta com propriedades sedativas úteis para aliviar os sintomas de ansiedade, insônia e inclusive de falta de apetite como produto da forte depressão.

  • Só pode ser usada em pessoas maiores a 6 anos, devido aos máximos efeitos de seu princípio ativo.
  • Não se deve expor a planta na pele, já que costuma provocar dermatite.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de flores de angélica (5 g);
  • 1 xícara de água (250 ml);

Como usar?

Prepare a infusão de angélica com uma colherzinha de suas flores para cada xícara de água fervendo e deixe repousar durante 5 minutos.

Ingira 3 vezes por dia antes das refeições e verá as mudanças depois de uma semana que começar a tomar.

4. Valeriana

No início de sua descoberta, a valeriana se usava mais devido ao seu efeito espasmolítico. Porém, com a constância de seu uso, puderam apreciar as qualidades que tinha como sedativa.

Assim, hoje em dia se conhecia com os tratamentos naturais para a depressão e outros transtornos psicológicos como a ansiedade e a insônia.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de valeriana (10 g);
  • 1 xícara de água (250 ml);

Com usar?

Para preparar a infusão, tenha em conta que você precisa ter a planta e a sua raiz, pois é a que contém a maioria de seus benefícios para a depressão.

  1. Adicione uma colher de sopa para cada xícara de água fervendo e deixe repousar durante 15 minutos.
  2. O ideal é tomá-la 3 vezes ao dia e ter paciência para que em vários dias o efeito seja o indicado.

5. Ginseng

Ginseng para tratar a depressão

O adaptógeno anti-estresse que identifica a planta de ginseng é o que certifica sua utilidade nos transtornos de depressão.

Esta erva medicinal vai exercendo um efeito tônico no cérebro, ajuda a canalizar o relaxamento e, como consequência, desvia as sensações de ansiedade, depressão e falta de apetite.

Dentre os possíveis efeitos colaterais que esta erva pode manifestar se encontram o nervosismo e a hipertensão, mas normalmente só aparecem se nos excedemos na dose recomendada.

Ingredientes

  • ¼ colher de chá de ginseng (1,2 g);
  • 1 xícara de água (250 ml);

Como usá-lo?

  • Coloque 1 grama de raiz da erva ginseng para ferver em uma xícara de água.
  • Permita que faça o cozimento durante 3 minutos e depois deixe repousar durante 5 minutos.
  • Tome apenas uma vez por dia, pelas manhãs, já que é a hora em que tem melhor efeito sobre o sistema nervoso.