Problemas de pele causados por estresse

20 de setembro de 2019
Uma das doenças dermatológicas mais relacionadas ao estresse é a psoríase.

A pele é o maior órgão do nosso corpo e mostra suas anormalidades a olho nu. Por isso, te convidamos a aprender mais sobre os problemas de pele oriundos do estresse.

Existe uma conexão embriológica entre a pele e o sistema nervoso que ainda está presente na vida adulta. A elevação dos chamados hormônios do estresse causa uma série de alterações fisiológicas, cujo resultado não é bom para a pele.

Os mecanismos de estresse são ativados no eixo hipotálamo-hipófise, que secreta uma série de substâncias cuja missão é ativar a produção de cortisol nas glândulas suprarrenais.

O papel do estresse nos problemas de pele

Estresse, angústia, depressão

O estresse é um mecanismo de defesa que nosso corpo tem para garantir sua sobrevivência. No entanto, quando se torna crônico, produz uma série de efeitos que afetam a todo o corpo e causam problemas de pele tais como, por exemplo:

  • Perda de elasticidade
  • Rugas.
  • Flacidez.
  • Pele apagada.
  • Manchas.
  • Algumas doenças de maior importância.

Os problemas de pele causados ​​pelo estresse crônico estão relacionados à circulação sanguínea.

Nessas situações, o corpo precisa de uma resposta rápida para implementar estratégias de luta, fuga e paralisia. Para fazer isso, por ordem do cortisol, ele redireciona o fluxo sanguíneo para os músculos, coração, pulmões e cérebro, e a grande vítima desse corte no fluxo de sangue, entre outros, é a pele.

O estresse afeta negativamente ao sistema imunológico e torna nossa pele mais vulnerável a infecções e tumores, uma vez que os processos de vigilância imune são deixados mais lentos ou, ainda, são interrompidos.

Leia também: Sistema imunológico enfraquecido. Como reconhecer?

O cortisol e os problemas de pele causados pelo estresse

A pele, em situações de estresse, é pálida e sem brilho, com falta de vitalidade. Essa falta de fluxo sanguíneo é a causa de problemas de pele causados ​​pelo estresse. O cortisol libera energia na forma de açúcares que produzem metabólitos residuais, os chamados radicais livres.

Os radicais livres são responsáveis ​​pelo aparecimento de rugas, linhas de expressão e espinhas, além de afinar a pele e dar uma aparência maçante.

Cortisol

Um dos problemas de pele causados ​​pelo estresse é o envelhecimento precoce. Isto ocorre devido a várias consequências do cortisol que são adicionadas ao que foi dito acima:

  • O cortisol diminui a produção de colágeno, afetando a flexibilidade da pele e favorecendo o aparecimento de rugas.
  • Diminui a síntese de melatonina, que é o hormônio que regula o sono, impedindo a regeneração noturna das células da pele.

Quanto às manifestações emocionais que geram problemas de estresse na pele, devemos mencionar as rugas da expressão. Dizem que “o rosto é o espelho da alma” e, portanto, as causas emocionais do estresse se manifestam nas rugas da testa e no cenho, que refletem nosso estado de preocupação ou desconforto.

Doenças que manifestam problemas de pele causados ​​pelo estresse

Há um grupo de doenças dermatológicas diretamente relacionadas ao estresse. Entre elas, as mais importantes são:

Acne

Embora os fatores hormonais sejam decisivos para o aparecimento da acne, cada vez é dada mais importância aos fatores emocionais. Foi visto que a melhora do estresse dos pacientes por meio do uso de medicamentos, terapias, ioga, meditação e outros, também melhorou significativamente a acne.

Descubra ademais: O chá verde pode ajudar no tratamento da acne?

Dermatite atópica

Embora possa ser causada por fatores ambientais, desidratação, substâncias irritantes, infecções e até suor, cerca de 70% dos casos estão intimamente relacionados ao estresse. Há um ciclo vicioso entre prurido (coçar) e arranhar, que pode se tornar obsessivo e causar agravamento da dermatite devido à superinfecção e ao aparecimento de outras complicações mais graves.

Dermatite por estresse

Dermatite seborreica

É uma doença que está diretamente relacionada a episódios de estresse. Aparece em momentos de grande ansiedade dos pacientes por uma mudança de trabalho ou endereço, casamento ou divórcio, doença ou morte de um membro da família, provas, etc.

Escoriações

Nesse caso, o paciente coça sua pele compulsivamente, gerando ciclos de coceira e arranhões que podem durar anos. Geralmente aparece em pacientes jovens, muito frequentes em meninas adolescentes que, sujeitas a alterações devido ao estresse hormonal, podem causar lesões graves devido a coçar repetidamente.

Esse problema geralmente melhora quando a labilidade psicológica é tratada, embora possa durar muitos anos devido ao atraso no diagnóstico e tratamentos ineficazes.

Alopecia areata

É a perda de cabelo em áreas muito específicas do couro cabeludo, na forma de pequenos círculos, como moedas. Tem uma predisposição genética devido ao aparecimento de fatores autoimunes, mas uma alta influência de fatores emocionais foi demonstrada.

A relação direta do estresse com doenças autoimunes é comprovada e vale ressaltar que, em pacientes com patologia psiquiátrica, a incidência de alopecia areata está entre 30 e 90%, segundo estudos.

Embora existam mais problemas de pele devido ao estresse, apresentamos os que consideramos mais frequentes. Deixamos para o final uma das doenças dermatológicas mais relacionadas ao estresse: a psoríase.

Estresse causa alopecia

Psoríase

A psoríase é caracterizada pela aceleração do ciclo de vida das células, que morrem precocemente. Elas se acumulam na superfície da pele, formando escamas e manchas vermelhas, produzindo coceira intensa e até dor. Assim, é uma doença episódica crônica. Pode desaparecer por um tempo para reaparecer nas circunstâncias em que o paciente se relaciona com situações estressantes.

A gravidade da psoríase tem sido diretamente relacionada aos níveis de estresse, ansiedade e depressão. Algumas pesquisas relacionam essa doença diretamente à intensidade do prurido e a gravidade da depressão sofrida pelo paciente.

Psoríase, problemas de pele de estresse

Todas as características de personalidade que tornam um sujeito suscetível a influências de estresse também são responsáveis ​​pelo aparecimento da psoríase, portanto, seu relacionamento é muito evidente. Melhorando os níveis de estresse geralmente melhora-se a ansiedade, inclusive a depressão e, portanto, surtos de psoríase.

Além disso, é justo mencionar que o aparecimento de lesões de psoríase produz uma rejeição social. O paciente sente-se estigmatizado e tende a escondê-las, o que é outro grande fator de geração de estresse que ofusca o prognóstico.

Em conclusão, vimos apenas alguns exemplos nos quais os problemas de pele causados ​​pelo estresse se manifestam. É conveniente gerenciar adequadamente o estresse e a angústia, pois, além de poderem causar depressão, eles enfraquecem nosso sistema imunológico, tornando-se indiretamente responsáveis pelo aparecimento de tumores.

  • Tribó Boixareu, M.J. Razones de ser y utilidad de la psicodermatologia. Piel 2006; 21:51-3
  • Gracia, M.J. y Ruiz, S. Estrés, calidad de vida y psoriasis: estado actual. Psiquiatr Biol. 2001;08:141-5
  • Castellano Rioja, E. Unidad didáctica V Bloque psicología 2ª parte. Master Deterioro Integridad Cutánea Ulceras y Heridas.
  • García Hernández, M.J. y Ruiz Redondo, S. Suicidio y Dermatología. Actas Dermosifiliogr. 1999; 90:411-5
  • Grimalt, T.; Cotterill, J.A y cols. Dermatología y Psiquiatría. Historias clínicas comentadas. Madrid. Aula Médica Ediciones 2002: 20-38
  • Romaní de Grabiel, J. y Chesa  ela, D. Psicodermatología en atención primaria. Piel 2005;20(6):282-9