4 recomendações para ter um melhor controle do apetite

24 de outubro de 2019
Para manter o controle do apetite, é importante saber quais alimentos podem se tornar nossos aliados graças às suas propriedades saciantes e evitar aqueles que desencadeiam desejos.

Começar com novos hábitos alimentares é uma tarefa árdua. Essa decisão transforma nossas vidas, e a mudança pode gerar tanta ansiedade que fará com que você coma mais, embora saiba que a quantidade deveria ser menor. Nesta situação, mostraremos como ter um melhor controle do apetite.

Cair neste conflito pode ser contraproducente porque nossa saúde pode ser afetada. Lembre-se que há diferença entre ter fome e sentir vontade de comer. Enquanto a última ocorre por questões emocionais, a primeira deve ser satisfeita de maneira controlada.

Reflita, aceite e aja para o controle do apetite

Quando aparece aquela vontade urgente de comer, é necessário descobrir as causas que produzem essa sensação. Portanto, temos que acompanhar esse processo com uma reflexão sobre a solução para o problema.

Em primeiro lugar, devemos buscar as razões da fome e não aquilo que a satisfaça. Certamente, tudo isso faz parte de uma introspecção pessoal. Uma coisa importante: nesse contexto, é preciso evitar os sentimentos negativos, pois eles se relacionam à baixa autoestima.

Lembre-se de que quando uma pessoa se sente feliz, ela também fica satisfeita. Nesse momento, o indivíduo aceita suas virtudes e defeitos e alcança maior controle sobre sua dieta, pois não terá a necessidade de buscar satisfação em elementos externos, como a comida.

Leia este artigo: Diferenças entre a fome real e a ansiedade por comida. Descubra-as!

4 recomendações para o controle do apetite

Para regular melhor essa situação, trazemos algumas dicas para que o controle do apetite não represente nenhum problema. Vejamos então:

1. Durante o dia faça cinco refeições

Alimentos saciantes para o melhor controle do apetite

Ao comer menos, mas com mais frequência, podemos manter os níveis de insulina no sangue estáveis. Dessa forma, você sentirá energia e não será atacado pelo desejo de comer.

2. Coma três refeições principais e dois lanches

Aconselhamos que você faça isso a cada três ou quatro horas. As refeições principais devem conter os quatro nutrientes básicos. Nesse sentido, o café da manhã, o almoço e o jantar devem ter:

  • Fibras, como vegetais, hortaliças e frutas.
  • Proteínas, como carnes magras, frango, ovos, peixe, tofu.
  • Gorduras saudáveis, entre elas, azeite de oliva e frutos secos.
  • Carboidratos de absorção lenta, como arroz, massas ou farinhas integrais e legumes.

3. Planeje menus equilibrados

Em cada refeição deve haver alimentos ricos em vitamina B6, triptofano e ácido fólico. Esses três nutrientes nos ajudarão no controle do apetite.

Esse grupo ajuda na produção de serotonina, um neurotransmissor essencial que permite que você sinta bem-estar emocional e evite desejos devido a sentimentos negativos.

4. Inclua alimentos saciantes

Os frutos secos ajudam a controlar a fome

Para aumentar os níveis de serotonina e controlar o apetite, você deve consumir alimentos saciantes. Tente incluir na sua dieta: ovos, bananas, frutos secos, carnes, grãos integrais.

Nutrientes que você deve incluir para o controle do apetite

Alguns alimentos que você deve incluir em sua dieta para o melhor controle do apetite são os seguintes:

Líquidos

Qualquer líquido pode ajudar a que nos sintamos satisfeitos. Você tem as seguintes opções:

  • Pelo menos dois litros de água por dia e dois copos de água antes de cada refeição principal.
  • Infusões quentes, aliás, muitas delas ajudam a eliminar toxinas. Algumas são relaxantes, como valeriana, erva-cidreira ou maracujá, e nos ajudarão a controlar a ansiedade.
  • Sopas de legumes antes das refeições ou entre elas. Dessa forma, você terá uma maior contribuição nutricional e incluirá poucas calorias. Além disso, podem ser congeladas e preservadas por um longo tempo.

Ácidos graxos ômega 3

Eles podem ser encontrados em alimentos como frutos secos ou peixe azul. Também em grãos integrais, gérmen de trigo, aveia, levedura de cerveja. Dessa forma, não sentiremos tanta ansiedade e favoreceremos a produção de serotonina.

Carboidratos complexos

Não se digerem com facilidade. Para o controle do apetite, são preferíveis os integrais, pois fornecem fibra e possuem baixo índice glicêmico.

Inclua na sua dieta arroz, massas, farinhas integrais, lentilhas e batatas. Esses alimentos permitem que mais serotonina seja gerada e assim, você poderá se sentir mais satisfeito por mais tempo.

Magnésio para o controle do apetite

O magnésio pode combater o nervosismo que leva à ansiedade. Você pode obtê-lo em legumes, verduras, nozes e alimentos integrais.

Descubra: 6 alimentos para aumentar o magnésio na dieta

Fibra

Este nutriente fará você se sentir mais saciado e com menos vontade de comer. Por outro lado, é conveniente evitar os chamados alimentos energizantes, à medida que os níveis de adrenalina aumentam. Nessa condição, você pode sentir ansiedade e vontade de comer, perdendo completamente o controle do apetite. Esses alimentos são:

Todas essas dicas devem ser acompanhadas de constância. Isso só será alcançado se você gastar alguns minutos para se organizar. Com mais organização, você terá mais tempo para comer e assim poderá mastigar com calma, sem pressa. Tente dedicar cerca de 25 minutos para cada refeição.

O controle do apetite não é um tema científico. Você só precisa saber que a comida não é uma questão de pressa, mas sim, de muita atenção. Você já sabe o que comer e como fazê-lo. Sendo assim, quando aparecer aquele desejo incontrolável, mantenha a calma e aplique todos os conselhos mencionados acima.

  • Wynne, K., Stanley, S., McGowan, B., & Bloom, S. R. (2005). Appetite control. Journal of Endocrinology. https://doi.org/10.1677/joe.1.05866
  • Muckelbauer, R., Barbosa, C. L., Mittag, T., Burkhardt, K., Mikelaishvili, N., & Müller-Nordhorn, J. (2014). Association between water consumption and body weight outcomes in children and adolescents: A systematic review. Obesity. https://doi.org/10.1002/oby.20911
  • Gray, B., Steyn, F., Davies, P. S. W., & Vitetta, L. (2013). Omega-3 fatty acids: A review of the effects on adiponectin and leptin and potential implications for obesity management. European Journal of Clinical Nutrition. https://doi.org/10.1038/ejcn.2013.197
  • Chambers, L., McCrickerd, K., & Yeomans, M. R. (2015). Optimising foods for satiety. Trends in Food Science and Technology. https://doi.org/10.1016/j.tifs.2014.10.007
  • Bendtsen, L. Q., Lorenzen, J. K., Bendsen, N. T., Rasmussen, C., & Astrup, A. (2013). Effect of Dairy Proteins on Appetite, Energy Expenditure, Body Weight, and Composition: a Review of the Evidence from Controlled Clinical Trials. Advances in Nutrition: An International Review Journal. https://doi.org/10.3945/an.113.003723