Tudo o que você precisa saber sobre hérnias e seu tratamento

A cirurgia costuma ser a principal opção para o tratamento das hérnias, sendo muito eficaz na maioria dos casos. No entanto, os especialistas também podem optar por outros caminhos.
Tudo o que você precisa saber sobre hérnias e seu tratamento

Última atualização: 28 abril, 2022

As hérnias são alterações muito comuns que podem aparecer por diversos motivos, em qualquer momento da vida. Elas passam despercebidas em muitos casos, embora também possam causar sintomas muito incômodos. Quer saber mais sobre as hérnias e seu tratamento? A seguir te contaremos tudo.

O tratamento das hérnias pode variar dependendo de fatores como localização, tamanho, sintomas e complicações associadas. Tendo isso em mente, os especialistas podem optar por uma conduta de espera vigilante ou uma abordagem cirúrgica.

O que é uma hérnia?

Hérnia é a protrusão de tecido através de uma fraqueza pré-existente na parede que a sustenta. A maioria das hérnias ocorre na área do abdome, de modo que o tecido saliente é geralmente o peritônio, vísceras ou ambos.

Por outro lado, algumas hérnias podem ser mais evidentes na virilha ou na coxa. Tudo dependerá da localização da fraqueza da parede.

A maioria das pessoas relata um nódulo macio e indolor em uma área específica. Esse nódulo tende a ser mais perceptível com a tosse e a desaparecer ao deitar.

No entanto, as manifestações clínicas das hérnias podem variar de pessoa para pessoa, dificultando o diagnóstico e o tratamento. Alguns dos sintomas mais comuns são os seguintes:

  • Desconforto e dor ao levantar objetos pesados ou fazer esforço.
  • Refluxo gástrico ou azia no caso de hérnia de hiato.
  • Dor, fraqueza ou peso abdominal.
  • Complicações como obstrução intestinal e sufocamento.

Também pode te interessar: 5 remédios caseiros para a dor abdominal

Tipos mais comuns de hérnias

Essa alteração pode ser classificada de acordo com a localização no abdome. Nesse sentido, as causas, os sintomas apresentados e o tratamento das hérnias variam.

Hérnia inguinal

A hérnia inguinal é o tipo mais comum de hérnia, que geralmente afeta homens. De fato, um estudo publicado em 2019 detalhou que essa hérnia aparece em um terço dos homens ao longo da vida. A alteração ocorre quando a fraqueza está na parte inferior da parede abdominal, próximo ao canal inguinal.

As causas de uma hérnia inguinal são muito variadas. Nos homens elas geralmente aparecem quando o canal inguinal não fecha completamente após a descida dos testículos.

Um dos principais sintomas é a presença de um caroço na virilha ou escroto. Além disso, muitos homens costumam relatar dor ao levantar objetos pesados. Nesses casos, a melhor opção terapêutica é a cirurgia.

Hérnia inguinal em um homem.
As hérnias inguinais geralmente se tornam evidentes quando o paciente faz esforços físicos.

Hérnia femoral

As hérnias femorais são muito menos comuns do que as hérnias inguinais e afetam mais frequentemente as mulheres. Nesse caso, a protrusão ocorre do abdome inferior em direção à coxa, logo abaixo do ligamento inguinal.

A causa é indefinida, embora esteja relacionada a uma fraqueza na parede muscular e a certos fatores de risco, como multiparidade. Infelizmente ela é muito difícil de diagnosticar, pois os nódulos são pequenos.

Um dos principais sintomas é a dor na virilha, razão pela qual muitas vezes ela é confundida com uma hérnia inguinal. Por isso, vários testes são necessários para estabelecer um diagnóstico diferencial.

Hérnia umbilical

A protrusão do conteúdo abdominal ocorre, neste caso, em um ponto fraco próximo ao umbigo. Dessa forma, o nódulo ficará muito mais evidente na cicatriz umbilical e seu tamanho pode variar.

As causas das hérnias umbilicais e seu tratamento mudam dependendo da idade da pessoa afetada. Em bebês, a maioria das hérnias umbilicais é causada por um defeito anatômico. No entanto, elas desaparecem por conta própria antes do primeiro ano de vida.

Por sua vez, os adultos com hérnias umbilicais geralmente apresentam alguma patologia que aumenta a pressão no abdome. Entre os fatores mais frequentemente associados estão obesidade, gravidez, tosse e constipação crônica, ascite e problemas de próstata.

Um estudo publicado na The Surgical Clinics of North America garante que a cirurgia só é indicada quando os pacientes apresentam sintomas incômodos. No entanto, deve-se estar sempre alerta.

Hérnia de hiato

Este é um tipo particular de hérnia em que o estômago se projeta no peito através do diafragma. Nesses casos, nenhum nódulo é visto ou sentido na superfície.

A hérnia de hiato é mais comum em pessoas com mais de 50 anos, e sua causa precisa é desconhecida. Por sua vez, em crianças ela ocorre como resultado de uma malformação congênita.

Os sintomas das hérnias de hiato são diferentes dos de outros tipos de hérnias. As pessoas costumam ter azia e doença do refluxo gastroesofágico frequentes.

Hérnia epigástrica

Finalmente, a hérnia epigástrica ocorre devido a um defeito na metade superior da parede abdominal. Embora possa ocorrer em qualquer ponto, é mais frequente na área da linha média.

Na maioria das vezes são assintomáticas, embora algumas pessoas possam sentir dor. Felizmente, o tratamento cirúrgico geralmente tem poucas complicações, de acordo com uma publicação no The British Journal of Surgery.

Tratamento de hérnias

A opção terapêutica recomendada pelo especialista dependerá do tamanho da hérnia e da presença de sintomas concomitantes. A abordagem para pequenas hérnias geralmente é a espera vigilante. Nesse sentido, o médico acompanhará de perto a evolução do quadro.

Alguns especialistas recomendam o uso de roupas apertadas para reduzir os sintomas. No entanto, essa é uma opção muito conservadora.

O tratamento definitivo para qualquer hérnia será sempre um procedimento cirúrgico chamado hernioplastia. Ele consiste na realocação das vísceras na cavidade abdominal, com o posterior reparo do defeito na parede abdominal. Isso pode ser feito com sutura ou com a colocação de telas especiais.

Existem muitas técnicas para realizar uma hernioplastia. No entanto, a ideal para cada caso dependerá do especialista. Entre as mais utilizadas, destacam-se:

  • Cirurgia aberta: o médico fará uma incisão na parede abdominal para reparar o defeito, deixando uma cicatriz maior.
  • Laparoscopia: os especialistas fazem incisões menores para inserir os instrumentos cirúrgicos necessários.
Laparoscopia no tratamento de hérnias.
A técnica laparoscópica deixa menos cicatrizes e, portanto, é uma opção com bons resultados estéticos.

Prevenção e fatores de risco

Infelizmente, não existe uma maneira 100% eficaz de prevenir a ocorrência de uma hérnia. É importante lembrar que elas estão relacionadas a um defeito na parede abdominal e a múltiplos fatores de risco. Dentre eles, destacam-se:

  • Levantamento de objetos pesados ou prática de exercícios intensos.
  • Ter baixo peso ao nascer ou ser prematuro.
  • Constipação ou tosse crônica.
  • Idade avançada.
  • Obesidade.
  • Gravidez.
  • Fumo.

Quando consultar um profissional?

O mais aconselhável é procurar um especialista ao notar um nódulo anormal no abdome. Somente os médicos poderão oferecer um diagnóstico preciso.

Por outro lado, também é recomendável procurar assistência médica em caso de alguma complicação. Entre as mais comuns estão o sufocamento e a obstrução intestinal. As manifestações clínicas de ambos são as seguintes:

  • Mudanças de cor no nódulo, que tende a ficar vermelho ou roxo.
  • Diminuição dos movimentos intestinais.
  • Dor súbita que piora com o tempo.
  • Náusea e vômito.
  • Febre.

Uma condição comum com tratamento eficaz

As hérnias são uma condição muito comum que pode passar despercebida, dependendo da sua localização. O tamanho delas é variável e as maiores tendem a ser muito desconfortáveis.

Felizmente, o tratamento é muito eficaz, embora haja risco de recorrência. Ao notar um nódulo em qualquer área do corpo, é fundamental consultar um especialista.

This might interest you...
Exercícios para combater a hérnia de disco
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Exercícios para combater a hérnia de disco

Os exercícios para combater a hérnia de disco são variados e se adaptam a cada circunstância. Saiba mais detalhes neste artigo.



  • Berndsen MR, Gudbjartsson T, Berndsen FH. [Inguinal hernia – review]. Laeknabladid. 2019 Sep;105(9):385-391.
  • Appleby PW, Martin TA, Hope WW. Umbilical Hernia Repair: Overview of Approaches and Review of Literature. Surg Clin North Am. 2018 Jun;98(3):561-576.
  • Henriksen NA, Montgomery A, Kaufmann R, Berrevoet F et al. Guidelines for treatment of umbilical and epigastric hernias from the European Hernia Society and Americas Hernia Society. Br J Surg. 2020 Feb;107(3):171-190.
  • Bedayat A, Hassani C, Chiang J, Hebroni F et al. Abdominal wall and pelvic hernias: classic and unusual hernias and their mimics. Clin Imaging. 2020 Aug;64:57-66.
  • Murphy KP, O’Connor OJ, Maher MM. Adult abdominal hernias. AJR Am J Roentgenol. 2014 Jun;202(6):W506-11.
  • Kelly KB, Ponsky TA. Pediatric abdominal wall defects. Surg Clin North Am. 2013 Oct;93(5):1255-67.