Transtorno de estresse pós-traumático: sintomas, causas e tratamento

23 Fevereiro, 2020
O transtorno de estresse pós-traumático pode ser muito incapacitante. Portanto, se você reconhecer alguns desses sintomas em si mesmo ou em alguém próximo, não deixe de consultar um especialista.

O transtorno de estresse pós-traumático, também chamado de TEPT, é um transtorno mental que algumas pessoas experimentam após a exposição a um acontecimento traumático. Alguns exemplos que podem desencadear o distúrbio seriam sobreviver a um desastre natural, a uma guerra, a um acidente grave, a um ataque sexual ou a um sequestro.

De fato, quase todas as pessoas desenvolvem algum tipo de reação depois de viver ou presenciar uma situação traumática. Assim, nas semanas após o evento, é comum estar mais alerta, com medo e preocupado pela experiência vivida. É uma reação aguda a um estresse significativo.

Felizmente, a maioria das pessoas se recupera naturalmente quando processa o que aconteceu. No entanto, alguns não conseguirão lidar adequadamente e continuarão a apresentar sintomas, mesmo que o perigo não esteja mais presente.

Quais são os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático?

Cada pessoa reage de maneira diferente a um evento traumático, mas muitos dos sintomas são comuns. Para que alguém seja diagnosticado com TEPT, deve apresentar os sinais abaixo por pelo menos um mês, e estes devem provocar um desconforto clinicamente significativo:

  • Um ou mais sintomas de revivescência
  • Um ou mais sintomas de evasão
  • Dois ou mais sintomas cognitivos e de estado de humor
  • Dois ou mais sintomas de reatividade
Mulher sofrendo de estresse pós-traumático
Presenciar uma situação traumática pode acabar desencadeando o transtorno de estresse pós-traumático.

Sintomas de revivescência

  1. Memórias angustiantes recorrentes
  2. Pesadelos
  3. Desconforto psicológico intenso ou prolongado
  4. Reações fisiológicas como hiperventilação, desconforto digestivo, cansaço extremo ou contraturas

Sintomas de evasão

  1. Evitar memórias, pensamentos ou sentimentos relacionados ao evento traumático
  2. Evitar qualquer pessoa, local, atividade ou situação que desperte lembranças da experiência traumática

Sintomas cognitivos e de estado de humor

  1. Dificuldade em lembrar aspectos importantes do evento traumático
  2. Sentimentos distorcidos de culpa
  3. Estado emocional negativo
  4. Perda de interesse em atividades agradáveis
  5. Sentimentos de desapego

Sintomas de reatividade

  1. Irritabilidade aumentada
  2. Comportamentos autodestrutivos
  3. Hipervigilância
  4. Sobresaltar-se facilmente
  5. Dificuldade de concentração
  6. Alterações do sono

Além disso, os indivíduos podem apresentar os seguintes sintomas dissociativos:

  • Despersonalização: a pessoa sente como se não fizesse parte de seu próprio corpo
  • Desrealização: o indivíduo tem a sensação de que o que está vivendo não é real

Leia também: 14 estranhos e desconhecidos transtornos psicológicos

Por que alguns desenvolvem o transtorno do estresse pós-traumático e outros não?

Conforme comentado no início, a maioria das pessoas se recupera naturalmente após uma experiência traumática. As razões pelas quais algumas pessoas desenvolvem o transtorno de estresse pós-traumático e outras não são diversas. No entanto, há uma série de fatores que podem predispor ao transtorno. Aqui estão os mais significativos:

  • Ser mulher. O TEPT afeta 1 homem para cada 2 mulheres.
  • Ter histórico de transtorno mental ou uso de drogas.
  • Ter vivido uma ou mais experiências traumáticas durante a infância.
  • Baixos níveis de serotonina.
  • Presença de feridos ou mortos durante o evento traumático.
  • Ter um ataque de pânico durante os acontecimentos ou pouco depois.
  • Ter que lidar com uma briga, uma dor física, uma lesão, com a perda do trabalho ou da moradia, como resultado do incidente.
  • Viver perto de onde o evento aconteceu.
  • Não contar com apoio emocional.
  • Sensação de impotência ou medo extremo.

A combinação desses fatores fará com que a pessoa viva com maior ou menor intensidade os sintomas do estresse pós-traumático. Assim, não será o mesmo se uma pessoa passar apenas por uma dessas circunstâncias ou se apresentar a maioria delas.

Tratamento do transtorno de estresse pós-traumático

Como qualquer outro transtorno mental, o TEPT tem tratamento. De fato, existem diferentes métodos para melhorar a vida dos pacientes.

Terapia cognitivo-comportamental

A terapia cognitivo-comportamental provou ser uma das melhores soluções para tratar o transtorno de estresse pós-traumático. Entre as suas técnicas, algumas das mais apropriadas são:

  • Reestruturação cognitiva: o paciente aprende a identificar suas crenças irracionais sobre o que aconteceu e a substituí-las por outras mais apropriadas.
  • Treinamento em métodos de relaxamento: essas técnicas serão essenciais para que o paciente lide melhor com a sua ansiedade. Desse modo, poderá aprender a praticar a respiração profunda, o relaxamento muscular progressivo de Jacobson, meditação, tai chi ou visualização, entre outros.
  • Terapia de exposição: quando o paciente já controla adequadamente a sua ansiedade, ele pode ser exposto aos estímulos que causaram o trauma.
  • Terapia de processamento cognitivo de Resick e Schnicke: este tratamento integra aspectos da terapia cognitiva à teoria do processamento da informação.
Mulher em consulta psicológica
A terapia cognitivo-comportamental é uma das opções terapêuticas mais recomendadas para tratar o transtorno do estresse pós-traumático.

Grupos de apoio

Esses tipos de grupos podem ser de grande ajuda para muitos pacientes, em especial para os que não contam com apoio e compreensão da sua situação ao seu redor. Compartilhar experiências semelhantes permite verbalizar a dor, colocá-la em perspectiva e aprender com outras pessoas que já passaram pelas mesmas circunstâncias.

EMDR

Essa técnica foi desenvolvida na década de 80 pela neurologista Francine Shapiro e, desde então, tem ajudado milhões de pessoas com transtorno de estresse pós-traumático.

O método consiste em provocar uma série de movimentos oculares, estímulos auditivos e movimentos suaves no corpo do paciente. Isso ajuda a reduzir os efeitos do trauma, processando melhor a experiência e substituindo pensamentos e sentimentos negativos por outros mais adequados.

Medicamentos

Se necessário, os ISRSs (antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina) diminuem a intensidade dos sintomas do transtorno de estresse pós-traumático e aliviam a depressão.

No entanto, é importante lembrar que eles devem ser prescritos por um profissional e que é necessário seguir um protocolo específico para deixar de usá-los.

Leia também: 6 transtornos que podemos adquirir ao longo da vida

Conclusões finais

Embora os sintomas do transtorno de estresse pós-traumático sejam difíceis de lidar, a maioria das pessoas que fazem terapia consegue superar o trauma. Com o tempo, eles serão capazes de se lembrar do que aconteceu sem se sentirem dominados pelo medo e pela angústia.

Por fim, um evento traumático sempre estará lá, a terapia não o fará esquecê-lo. No entanto, permitirá que a pessoa não fique presa ao passado, e guarde a memória como uma experiência com qual, talvez, tenha aprendido enormemente.

  • Asociación Americana de Psiquiatría. (2013). DSM V: Manual Diagnóstico y Estadístico de Trastornos Mentales (Quinta Edición Revisada).
  • Badós, A. (2017). Trastorno por estrés postraumático. Facultad de Psicología. Universidad de Barcelona.
  • Carvajal, C. (2002). Trastorno por estrés postraumático: aspectos clínicos. Revista chilena de neuropsiquiatría. V. 40 (Suplemento 2): 20-34
  • Resick, P. A., Monson, C.M. & Chard, K.M. (2008). Cognitive processing therapy vet- eran/military vaersion: Therapist Manual. Washington, DC: Department of Veterans’ Affairs.
  • Generelo, T. C., Gutiérrez, L. C., & de Diego Ruiz, H. (2019). Trastorno por estrés agudo y postraumático. Medicine-Programa de Formación Médica Continuada Acreditado, 12(84), 4918-4928.
  • Shapiro, F. (2010). Emdr: Desensibilización y Reprocesamiento Por Medio de Movimiento Ocular. Editorial Pax México.
  • Trastorno de estrés postraumático (TEPT) – Síntomas y causas – Mayo Clinic. (2019). Retrieved 19 September 2020, from https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/post-traumatic-stress-disorder/symptoms-causes/syc-20355967
  • Trastorno de estrés postraumático (TEPT) – Diagnóstico y tratamiento – Mayo Clinic. (2019). Retrieved 19 September 2020, from https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/post-traumatic-stress-disorder/diagnosis-treatment/drc-20355973
  • Trastorno de estrés postraumático: MedlinePlus en español. (2020). Retrieved 19 September 2020, from https://medlineplus.gov/spanish/posttraumaticstressdisorder.html
  • NIMH » Trastorno por estrés postraumático. (2020). Retrieved 19 September 2020, from https://www.nimh.nih.gov/health/publications/espanol/trastorno-por-estres-postraumatico/index.shtml