As melhores dicas para deixar de ter medo

5 de fevereiro de 2019
Em vez de desistir ou se intimidar diante dos fracassos, devemos tomá-los como um aprendizado para deixar de ter medo das diversas situações que podem ocorrer no nosso dia a dia.

A vida não vem com um manual de instruções. Não existe um modus operandi que garanta sucesso em cada situação que aparecer. Cada pessoa é moldada de acordo com os seus acertos e erros, com suas qualidades e defeitos. No entanto, nem tudo são flores. Às vezes, por trás de uma decisão, temos que superar muitos medos e obstáculos. Conheça os melhores conselhos para deixar de ter medo.

Por que devemos deixar de ter medo?

Para deixar de ter medo  deve ver suas recompensas

Embora o medo seja uma reação instintiva de sobrevivência do ser humano, se não conhecemos a sua origem ou não o controlamos, podemos sofrer muito. O medo pode surgir de situações das quais não temos muito controle ou que são muito inesperadas.

Pode aparecer através de experiências traumáticas ou desequilíbrios, gerando frustrações, fobias ou inseguranças. A origem de muitos medos também se dá através de traumas infantis.

O medo descontrolado pode levar a estados de pânico ou de choque. Ele também anula a capacidade de pensar racionalmente; o sentido de todo pensamento com lógica.

Dessa forma, um medo pode chegar a paralisar uma pessoa por completo e impedir que haja uma reação diante de alguma situação. Viver com algum tipo de medo é limitante, rouba a tranquilidade e a paz interior.

Combater o medo é uma atitude para a vida

Não podemos condicionar a vida a um medo. Por exemplo, ao ficar em casa por medo de viajar ou estar sempre só por medo de conhecer novas pessoas.

Quantas pessoas com ideias maravilhosas deixam de iniciar um projeto por medo de se arriscar? Sem dúvida, se não houver uma atitude de progresso pessoal e se você se deixar levar pelo medo, acabará ficando preso mais cedo ou mais tarde.

É preciso combater os medos, dar nomes a eles e os enfrentar. Não podemos nos iludir e ocultar o medo quando ele aparece.

É bom aproveitar o momento em que o medo aparece, pois trata-se de uma ocasião para reconhecer o seu valor e não se deixar levar por ele. Você pode tomar o tempo que for preciso e falhar quantas vezes forem necessárias, mas não pode se render ou se entregar.

Peça ajuda a um profissional para deixar de ter medo

Ninguém nasce sabendo. E, por vezes, os traumas de infância provocados por situações extremas ou muito desagradáveis exigem ajuda emocional e psicológica. Se você estiver em uma situação muito complicada, que impede você de seguir com a vida normalmente, então, procure assistência psicológica.

Através de diferentes terapias, é possível deixar de ter medo com toda a segurança. E, além disso, saímos com mais autoconfiança e força interior. A luta contra esses demônios não é fácil, mas não os enfrentar pode ser muito pior. Não há alternativa. O medo pode roubar a sua felicidade.

Leia também: Usar o medo para educar é efetivo?

Consulte um psicólogo para deixar de ter medo

O medo do fracasso

Todos sentimos insegurança ao iniciar um novo projeto. Não existem pessoas não vulneráveis e que estão sempre preparadas para tudo. Cometer erros, de certa forma, é bom porque faz com que fiquemos mais alertas e consigamos progredir.

Por esse motivo, não podemos deixar que os medos nos paralisem ou nos impeçam. O medo de fracassar nos desvia do nosso destino. Ele faz com que nos esqueçamos dos nossos projetos ou sejamos tomados por indecisões.

A mente, por instinto, faz com que as pessoas evitem as situações que podem causar dor. E, por esse motivo, construir um medo para evitar esse perigo. O fracasso, o medo do que as pessoas vão dizer e o receio de passar vergonha devem ser entendidos como provas individuais de superação, não como uma desculpa para abandonar tudo.

Recomendamos que leia também: Meu filho tem medo de ficar sozinho

Não tente forçar situações

Embora a única forma de combater as dificuldades seja enfrentá-las, você não pode ser ingênuo. Se você tiver medo de lugares fechados, não faz sentido se fechar em algum lugar para superar o trauma. Se você tiver medo de filmes de terror, não é produtivo assistir um a cada fim de semana.

Os progressos para superar o medo devem ser graduais. Eles devem acontecer sempre em situações controladas para que não haja risco de entrar em pânico. Use o bom senso e a calma. Não se esqueça de sempre ter a sua serenidade e temperança como escudo e, sem desistir, aprenda a superá-lo pouco a pouco.

  • Ana Mª Bastida de Miguel, “MIEDOS, ANSIEDAD Y FOBIAS: DIFERENCIAS, NORMALIDAD O PATOLOGÍA” en web Fundación Cadah
  • Marina Torres, José Antonio; López Penas, Marisa (2001). Diccionario de los sentimientos. Anagrama
  • Hanna Drimalla, “Miedo a la felicidad”, en Mente y Cerebro, nº73
  •  Rodríguez Biglieri, R. & Vetere, G. (2011). «Manual de terapia cognitiva-conductual para los trastornos de ansiedad». Buenos Aires: Polemos
  • Pinto, Carmen (trad.); Philip, Timms (ed.) (2009). La terapia cognitivo‐conductual (tcc). Londres y España: Sociedad española de psiquiatría y Royal College of Psychiatrists