Usar o medo para educar é efetivo?

A educação é fundamental para o bom desempenho de seus filhos. Porém, é possível cometer erros sem saber. Um deles consiste em inculcar obediência baseada em medo.
Usar o medo para educar é efetivo?

Última atualização: 14 Julho, 2021

O medo tem sido usado há décadas como forma habitual de ensinamento na hora de educar. A ideia da criança obediente e dócil não perdeu sua validade em nossos dias. No entanto, ao contrário do que muitos possam acreditar, a obediência baseada na severidade não garante o seu sucesso.

O medo e a severidade anulam a personalidade da criança e a tornam insegura e infeliz. O pequeno vai se sentir incapaz de assumir desafios ou iniciativas, o que acaba baixando sua autoestima. Porque criança feliz não é só aquela que ri, mas aquela que se sente motivada a explorar, fazer perguntas e saciar a curiosidade sem medo de fazer algo errado.

Por outro lado, o medo é uma emoção muito difícil de expressar. Talvez ele o expresse como uma forma de agressão aos outros ou a si mesmo. Em qualquer caso, uma pessoa que foi vacinada contra o medo desde a infância é geralmente um adulto cheio de ressentimento e medo. E até obsessões e fobias.

Evite aplicar o medo na hora de educar

Embora todos os pais sonhem em ter filhos bem educados que obedecem às regras, devemos evitar uma educação dura e desdenhosa. Ameaçar seu filho com castigo psicológico ou físico serve apenas para anular seu julgamento. E é o que aponta Jorge Luis Ferrari em seu livro Educar sem violência.

Evite aplicar o medo na hora de educar

Aplicar o medo ao educar transformará a criança em um adulto incapaz de tomar decisões por si mesma. Deve ser ensinado com amor. Construir a confiança do seu filho desde muito jovem é de vital importância. Assim, fortalecerá as capacidades e habilidades que permitirão um correto desenvolvimento futuro.

Se você for um dos pais que considera obediência sinônimo de respeito, saiba que isso não é verdade. Uma pessoa obediente não é necessariamente respeitosa. Porém, a obediência que nasce da compreensão é uma forma muito saudável de promover a convivência familiar e social.

A criança deve ser muito clara sobre os benefícios de seguir certas regras ou diretrizes. Quando não está claro, o pequeno vai querer ir além das normas para se provar. É aí que você deve evitar gritar ou ameaçá-lo.

Recomendações para educar seu filho em amor e confiança

Quando nos iniciamos na educação de nossos filhos tratamos de difundir condutas que, em geral, são baseadas em nossa própria criação. Entretanto, devemos nos esforçar em aplicar cada regra com total ternura, carinho e compreensão que nossos filhos precisam.

Não use o medo para educar, estabeleça limites

Aqui estão algumas recomendações que servirão de base para educar seu filho no amor e na confiança.

Estabeleça limites para educar sem medo

É importante instaurar normas de convivência familiar, mas devem ser estabelecidas de uma maneira clara e simples. As normas poderiam ser, por exemplo, limitar o número de horas diárias que seu pequeno poderá assistir televisão ou acessar a internet.

Explique a ele as consequências de ignorar as regras, sem cair em ameaças, gritos ou condutas intimidantes. Assim, a criança aprenderá a organizar seu tempo e a se responsabilizar por sua conduta. Seus filhos compreenderão melhor as regras se forem ditas de forma clara, concisa e simples. Isso é o que promove a paternidade ou a disciplina positiva. E isso é evidenciado por este estudo publicado em Ciências Psicológicas.

Seja um modelo de como fazer isso bem

É importante ter claro que a melhor maneira de educar é com o exemplo. Os pais são o melhor modelo que as crianças têm para determinar como devem se comportar em família e na sociedade.

Se você tentar incutir neles um comportamento que você mesmo viola, eles não entenderão por que deveriam obedecê-lo. Poderíamos tomar a linguagem chula como exemplo. Se as crianças quiserem usar o vocabulário apropriado, os pais também devem usá-lo.

Atribua responsabilidades

Atribua responsabilidades aos seus filhos

Dependendo da idade de seu filho é essencial inculcar certas responsabilidades. Isso lhe ajudará a fomentar sua autonomia e confiança, o que beneficiará seu crescimento. Da mesma forma, a criança irá formando seu próprio critério sobre o que é bom e mau, reconhecendo se está cumprindo com a responsabilidade atribuída.

Neste caso, não deve fomentar o medo na hora de educar seu filho. Ao contrário, aproveite para falar com ele sobre a ética e outros valores. Isto lhe permitirá reconhecer seus erros de forma adequada e assumir as consequências, as quais não devem ser castigos que promovem o medo no pequeno.

Sobre o medo ao educar

Ninguém disse que educar uma criança é uma tarefa simples. Porém, a criação que se baseia em sanções faz com que o pequeno permaneça focado só no reconhecimento exterior.

O objetivo principal de evitar o medo, na hora de educar, é desenvolver em seu filho a habilidade de entender o caminho a seguir. Quanto mais cedo o comportamento reflexivo e consciente for reforçado na criança, mais ela aprenderá e desfrutará do processo de aprendizagem e seu desenvolvimento implícito .

Pode interessar a você...
8 dicas para educar seus filhos
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 dicas para educar seus filhos

Por mais que você estude, educar seus filhos é uma tarefa para a qual nunca estará completamente preparado. Compartilhamos algumas dicas aqui.