5 efeitos das brigas em casa sobre as crianças

· 18 de setembro de 2018
Nós, pais, somos um exemplo para nossos filhos. Devemos aprender a solucionar os conflitos no casamento de forma pacífica e civilizada. Caso contrário, os filhos podem adotar a violência, agressão e medo como eixos em sua vida.

Por mais exemplar ou madura que seja a relação do casal, sempre existirão divergências e discussões em casa. No entanto, às vezes, o casal se esquece da presença dos filhos durante uma briga, assim como as implicações que isso pode ter no desenvolvimento deles. Por este motivo, compartilhamos 5 tipos de efeitos que as brigas em casa podem ter sobre as crianças.

A violência doméstica e seus efeitos

De acordo com a UNICEF, a família é a instituição social mais importante para a criação, educação e proteção de seus membros. No entanto, em algumas ocasiões, devido à falta de ferramentas de comunicação e de gestão emocional, os desentendimentos entre o casal tornam-se graves conflitos que ferem não só a eles, mas também aos filhos.

De fato, os especialistas apontam que, a nível mundial, é no ambiente familiar onde as crianças correm mais perigo, por causa da violência.

Talvez você ache que as discussões não têm impacto em seus filhos. No entanto, as brigas entre os pais, quer sejam do tipo verbal ou física, são consideradas parte da violência doméstica.

Adolescente sofrendo com brigas dos pais

Por essa razão, não é raro que as discussões em casa afetem de maneira indireta e profunda as crianças. Em seguida mostramos-lhe as razões.

Recomendamos este artigo: 7 formas de melhorar a comunicação entre o casal

5 efeitos das brigas em casa sobre as crianças

Nas relações de família intervêm vários fatores. Entre eles figuram os aspectos sociais, emocionais, comportamentais e de estrutura familiar.

Esses mesmos aspectos são alterados se houver violência em casa, autoritarismo, desconfiança e agressões como recursos comuns para “solucionar” problemas.

Como resultado, todos os membros da família vão entender a violência como a norma. Evidentemente, isso vai afetar cada aspecto de sua vida, principalmente o das crianças, que não têm a habilidade para fazer questionamentos ou críticas sobre o seu ambiente e situação familiar.

As repercussões são generalizadas, uma vez que afetam diversas áreas da vida de uma criança. Ainda assim, neste artigo falaremos de forma breve e pontual sobre alguns efeitos mais importantes.

1. Efeitos físicos

Os efeitos das brigas em casa também podem se manifestar de forma física sobre as crianças. Entre eles, podemos citar o atraso no crescimento, problemas de sono, distúrbios alimentares, sintomas ou doenças psicossomáticas, regressões, etc.

Menina triste com os pais brigando

2. Efeitos emocionais

É importante notar que quando as crianças não têm nos pais um modelo saudável, têm dificuldades para entender e compreender emoções. Por exemplo, será complicado para elas lidar com a frustração ou raiva, expressando-se através da agressão. Como resultado, poderão exercer a violência, tanto com os outros como consigo mesmas.

Da mesma forma, podem se sentir desamparadas e impotentes diante de experiências traumáticas. Isso as levaria a apresentar um comportamento retraído, marcado pela ansiedade e pelo medo.

3. Efeitos sociais

Outro dos efeitos das brigas em casa sobre as crianças é a pouca habilidade para se comunicar e estabelecer amizades ou relações mais próximas com as pessoas.

Isso se deve ao medo de experimentar novamente algum evento traumático. Ou ao uso da desconfiança como uma ferramenta para evitar sentimentos negativos associados lembranças traumáticas. Além disso, podem desenvolver a falta de empatia, a agressividade ou condutas criminosas.

4. Efeitos cognitivos

Frequentemente, as crianças que testemunham as brigas dos pais têm dificuldades de concentração. Para elas, é difícil prestar atenção, o que afeta seu desempenho acadêmico e desenvolvimento.

Por outro lado, é possível que apresente um comportamento de dissociação. A dissociação é um mecanismo de defesa em que a pessoa tenta se distanciar da realidade para minimizar o conflito e estresse.

Esta conduta é considerada como um transtorno, uma vez que altera a consciência, a identidade, a memória e a percepção do que está acontecendo ao seu redor.

Menina mostrando prova com nota baixa
Conheça: 6 discussões que todo casal feliz tem

5. Efeitos em sua autoestima

Por estarem numa fase de desenvolvimento, os pequenos podem desenvolver sentimentos negativos de si mesmos. Por exemplo, podem crer que eles são culpados ou responsáveis por maus-tratos. Como resultado, se isolam, devido à sua baixa autoestima e ansiedade.

Conclusões

A violência familiar está diretamente ligada ao comportamento agressivo e insensível que as crianças podem apresentar, inclusive durante a vida adulta. Se o problema não for tratado a tempo, pode se tornar uma ameaça para a segurança e bem-estar da sociedade.

Como pais, é preciso sermos responsáveis por nossos próprios atos e gerenciá-los da melhor maneira possível. Se passamos por uma vida difícil, ou se a cultura familiar está impregnada de traços de violência, não temos por que transmitir os mesmos problemas aos nossos filhos.

Procuremos mudar esses padrões e resolver os problemas matrimoniais com civilidade e amor. Se é difícil fazê-lo, podemos contar com a ajuda de um especialista. A saúde e bem-estar dos filhos são muito importantes. Vamos ajudá-los a serem felizes.