Teste de sensibilidade: quando é usado e com quais medicamentos

· 20 de fevereiro de 2019
O teste de sensibilidade é a técnica mais utilizada para diagnosticar alergias. Existem vários tipos de exposição a alérgenos.

Como regra geral o teste de sensibilidade é um termo médico que se refere a um conjunto de procedimentos que permitem identificar alergias do paciente.

Eles podem ser feitos de maneiras diferentes. Entre os métodos mais comuns encontramos o prick test, ou teste de alergia cutânea, exames de sangue, e uma exposição controlada ao medicamento problemático. Da mesma forma, a equipe médica pode recorrer a testes epicutâneos, ou testes de contato.

Por um lado, podemos diferenciar os exames de sangue, os testes de laboratório, do resto das técnicas. Isso porque verificam a existência de substâncias na corrente sanguínea, causadas por uma reação alérgica. Geralmente são anticorpos IgE, células que participam da proteção do nosso organismo contra substâncias consideradas “perigosas”.

Além disso, encontramos os procedimentos in vivo (teste cutâneo, teste de contato, e exposição controlada à substância suspeita). Desta forma, a equipe médica comprovará se uma reação alérgica é desencadeada. Para identificá-la será analisado se o paciente apresenta algum sintoma semelhante à das reações alérgicas prévias. No caso de exposição ao medicamento, este pode ser administrado por via oral, nasal, bronquial, etc…. De acordo com as características do mesmo.

Quando se utiliza o teste de sensibilidade a medicamentos?

Teste de sensibilidade na pele

Geralmente, a equipe médica realiza esse grupo de técnicas se o paciente tiver apresentado uma reação alérgica devido a causas desconhecidas. Além disso, os medicamentos podem causar diferentes sintomas dependendo de suas propriedades.

Segundo estudos recentes, todos os medicamentos podem causar uma reação adversa nos pacientes. No entanto, existem compostos que podem gerar hipersensibilidade com maior frequência. Por exemplo, entre os sintomas de uma reação alérgica mais frequente podemos encontrar:

  • Urticária
  • Coceira generalizada na área da aplicação do medicamento.
  • Erupções cutâneas.
  • Febre, que pode variar em intensidade.
  • Lacrimejo, e ardor nos olhos.
  • Inflamação na área de administração do medicamento.
  • Anafilaxia, nos casos mais graves ou complicados.

Dentro dos exames de sensibilidade, podem ser verificados diferentes tipos de medicamentos. Portanto, incluímos anestésicos, antibióticos, etc…

De qualquer maneira, a equipe médica deve verificar a existência de alergia ou sensibilidade. Assim, os medicamentos mais adequados podem ser administrados para cada alteração, e são menos onerosos para o paciente.

Talvez você esteja interessado: Como proteger a pele no verão se você tem alergia ao sol

Como é realizado o prick test ou o teste de alergia cutânea?

Teste de sensibilidade: Como é realizado o prick test?

Normalmente, a pele do paciente é desinfetada com álcool, na área do antebraço do paciente. Em seguida, a equipe médica injetará uma pequena quantidade de medicamento na pele. Mais tarde, são marcadas as áreas onde as perfurações foram feitas, e as demais são limpas.

Após o teste, o sujeito deve esperar cerca de quinze minutos para verificar se ocorre uma reação alérgica. Durante este período de tempo não se poderá arranhar ou alterar as regiões onde as injeções foram aplicadas, de maneira nenhuma.

Como se realiza o patch test ou testes epicutâneos?

Nesse caso, as costas do paciente são desinfetadas, e é colocada uma série de adesivos impregnados com a substância a ser testada. Desta forma, o composto é liberado lentamente, por 48 horas.

Após este período de tempo, o sujeito deve voltar ao médico para remover o conjunto de adesivos. Também será verificado se existe alguma reação alérgica sob eles.

As recomendações mais comuns são evitar molhar a área com os adesivos, arranhões, exercícios físicos intensos que causam sudorese, ou a remoção dos adesivos etc… Também serão evitadas as ingestões de outros medicamentos, se possível, e o uso de esparadrapos.

Descubra: Como controlar os sintomas das alergias com estes 6 óleos essenciais

Exposição controlada a medicamentos suspeitos

Pode ser usada para comprovar diretamente a alergia a um medicamento, ou para verificar a tolerância do paciente a outras substâncias similares.

Por outro lado, uma desvantagem desse tipo de teste, é que os riscos são maiores do que das demais técnicas. Assim, a equipe de especialistas deve avaliar os benefícios possíveis diante desta classe, e também as desvantagens.

Em alguns casos é necessário repetir o procedimento, pois é possível que o resultado seja negativo, mesmo quando o paciente seja alérgico. Em qualquer caso, os especialistas decidirão qual será o melhor teste ou exame a ser aplicado, e comunicarão sua decisão ao paciente.

 

  • Charnot-Katsikas A, Beavis KG. In vitro testing of antimicrobial agents. In: McPherson RA, Pincus MR, eds. Henry's Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods. 23rd ed. St Louis, MO: Elsevier; 2017:chap 59.
  • Oberski, D. L. (2018). Sensitivity analysis. In Cross-Cultural Analysis: Methods and Applications, 2nd Edition. https://doi.org/10.4324/9781315537078
  • Frey, H. C., & Patil, S. R. (2002). Identification and review of sensitivity analysis methods. In Risk Analysis. https://doi.org/10.1111/0272-4332.00039