Taquipneia: respiração rápida e superficial

A taquipneia é uma respiração rápida e superficial, de mais de 20 vezes por minuto. Ela difere da hiperventilação por não ser profunda.
Taquipneia: respiração rápida e superficial

Última atualização: 19 maio, 2022

A frequência respiratória basal é um dos sinais vitais que devem ser monitorados em uma consulta médica. A taxa normal de respiração depende da idade e condição individual, mas varia de 12 a 20 por minuto. A taquipneia é uma frequência respiratória acima deste intervalo, correspondendo a um valor superior a 20 respirações por minuto.

A taquipneia transitória do recém-nascido (TTN) é a variação mais comum e investigada dessa condição, ocorrendo em aproximadamente 1% dos neonatos, principalmente se eles forem prematuros ou nascidos por cesariana. Se você quer saber tudo sobre esse assunto, continue lendo!

O que é taquipneia e como ela é caracterizada?

Conforme indicado pela Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, uma frequência respiratória normal em um adulto varia entre 8 e 16 respirações por minuto. No bebê isso é muito mais rápido, chegando a cerca de 44 respirações por minuto. Isso ocorre porque o sistema respiratório deles ainda não está totalmente amadurecido.

A taquipneia é observada quando a frequência respiratória é superior a 20 respirações por minuto. Este termo é ainda mais relevante quando o paciente apresenta respiração rápida e superficial devido a uma doença pulmonar ou outra causa.

Hiperventilação e taquipneia são a mesma coisa?

Essa pergunta não tem uma resposta fácil, pois há discrepâncias dependendo das fontes consultadas. De qualquer forma, o paradigma pode ser resumido na seguinte frase: a taquipneia não se trata de uma respiração rápida e profunda.

Ou seja, na hiperventilação o ar chega aos alvéolos e é eliminando mais dióxido de carbono (CO2) do que o corpo é capaz de produzir. Isso gera hipocapnia, uma redução na concentração de CO2 no sangue. Por outro lado, na taquipneia, a frequência respiratória aumenta, mas o ar não chega ao trato respiratório inferior.

Sintomas relacionados à taquipneia

Os sintomas da taquipneia dependerão da causa subjacente. Por exemplo, uma criança com uma doença viral apresentará febre, tosse, espirro e coriza. De qualquer forma, alguns dos sinais clínicos gerais da condição são os seguintes:

  • Falta de ar. Pode causar tontura, confusão e sensação de angústia.
  • Um tom azulado nos lábios e pontas dos dedos, abaixo das unhas.
  • Segurar o peito ao respirar e mostrar retrações. Neste último evento, a área abaixo das costelas afunda toda vez que a pessoa tenta inalar.

Por sua vez, a taquipneia transitória do recém-nascido (TTN) apresenta alguns sinais clínicos acessórios relacionados, uma vez que o bebê não pode comunicar seu estado de forma direta. O neonato pode grunhir e apresentar uma dilatação anormal das narinas, dar cabeçadas e mostrar retrações e pele azulada.

Quando ir ao médico?

No caso de sentir uma retração no peito a cada respiração e apresentar as áreas descritas com uma coloração azulada, é urgente procurar um profissional médico. Se você nunca teve respiração rápida antes ou os sintomas estão piorando com o tempo, também deve procurar ajuda.

Quais são as possíveis causas da taquipneia?

O site Kids Health mostra quais são as causas mais comuns de taquipneia, tanto em recém-nascidos como em adultos. Começamos mostrando a etiologia dos pacientes idosos e dedicamos a última seção aos recém-nascidos. Não perca!

Asma

Conforme indicado pela Academia Americana de Asma, Alergia e Imunologia (AAAAI), a asma é uma doença pulmonar crônica que consiste na inflamação e hiperatividade das vias aéreas. Um paciente desenvolve a variação grave desse distúrbio quando precisa de doses médias ou altas de corticosteroides inalatórios para sobreviver.

Os sintomas de asma grave podem incluir tosse crônica e recorrente, sibilos, falta de ar, aperto no peito, taquipneia e muitos outros sinais metabólicos. Em casos raros, a asma pode ser fatal para o paciente se não for controlada.

Asma em uma mulher adulta com taquipnéia.
A asma é uma patologia frequente que se apresenta com taquipneia. Alguns casos exigem o uso de corticosteroides em altas doses.

Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)

Esta doença é uma condição crônica que causa a obstrução do fluxo de ar nos pulmões, de acordo com a Clínica Mayo. Seus sintomas incluem falta de ar, sibilos, taquipneia e produção de muco nos canais respiratórios.

A exposição à fumaça (como a do tabaco) e outras substâncias tóxicas favorecem muito o seu aparecimento a longo prazo.

Ansiedade e pânico

O estresse contínuo ao longo do tempo resulta em um quadro de ansiedade generalizada que mantém o corpo do paciente em alerta de forma inconsciente e sem base racional.

Ansiedade, pânico e outros sentimentos negativos podem levar à taquipneia. De qualquer forma, lembre-se de que, a nível médico, ela não é exatamente o mesmo que hiperventilação.

Outras causas de taquipneia em adultos

Reunimos 3 das causas mais comuns de taquipneia em adultos, mas devemos citar muitas mais, a fim de explorar toda a etiologia da condição.

Entre as outras doenças subjacentes que podem desencadear o transtorno, encontramos as seguintes:

  • Coágulo de sangue em uma artéria ou no pulmão: o aumento da frequência respiratória é um sinal clínico típico que ocorre durante uma embolia pulmonar.
  • Insuficiência cardíaca: o coração não consegue bombear sangue rico em oxigênio suficiente para todos os tecidos do corpo. Portanto, inconscientemente, a frequência respiratória é aumentada para tentar reter mais oxigênio do ambiente.
  • Infecção das vias respiratórias pequenas: Esta condição é conhecida como bronquiolite.

Taquipneia transitória do recém-nascido (TTN)

Conforme indicado nos Manuais MSD, o TTN ocorre em recém-nascidos quando eles tentam expelir os líquidos que ficaram alojados em seus pulmões durante o período de gestação. Nascer antes do tempo, passar por cesariana, ser do sexo masculino e ser gêmeo são fatores de risco para desenvolvê-la.

A TTN em recém-nascidos não é uma condição séria. A grande maioria deles se recupera por conta própria em 2-3 dias, quando o corpo se acostuma a respirar fora do útero da mãe.

Diagnóstico da taquipneia

A taquipneia pode ser causada por situações relativamente normais, como fazer exercícios ou passar por um período estressante. Caso seja um evento transitório e não vá além, geralmente não é necessário procurar um profissional médico. Nem sempre existe uma doença por trás de uma respiração rápida e profunda.

De qualquer forma, se ela for grave ou persistir e piorar com o tempo, o médico realizará uma série de exames no paciente com base em várias suspeitas. Entre todos os métodos de diagnóstico destacamos os seguintes:

  • Hemograma completo e hemocultura: realizados para descartar uma infecção sistêmica, uma vez que septicemia e bacteremia também podem levar à taquipneia.
  • Radiografia de tórax: para procurar ou descartar problemas respiratórios crônicos a nível pulmonar.
  • Eletrocardiograma: como dissemos, uma deficiência cardíaca pode levar ao aparecimento de taquipneia.

Tratamento da taquipneia

O tratamento da taquipneia dependerá inteiramente da causa subjacente. Se a respiração rápida e superficial está enraizada em um problema emocional, o cuidado psicológico é sempre o caminho a seguir. Se, por outro lado, está ligada a certas condições médicas, é hora de recorrer a abordagens farmacológicas.

De qualquer forma, devemos enfatizar a seguinte ideia: a menos que seja uma patologia emocional, a taquipneia sustentada é sempre uma emergência médica.

1. Infecções pulmonares

Se a respiração rápida e superficial é produto de uma infecção no trato respiratório, é necessário prescrever ao paciente medicamentos gerais ou específicos, dependendo do que o patógeno exige. O albuterol e outros medicamentos também podem ser usados simultaneamente, a fim de abrir as vias aéreas do paciente.

2. Condições pulmonares crônicas

A asma e a DPOC não podem ser curadas, mas podem ser mantidas sob controle. Broncodilatadores, esteroides inalados e inaladores combinados podem ser usados para diminuir a irritação no tecido brônquico e abrir as vias aéreas.

Nebulização para tratamento de taquipneia.
O suprimento artificial de oxigênio se torna necessário quando a saturação sanguínea diminui devido à taquipneia.

3. Transtornos de ansiedade

Se a taquipneia é produto de estresse, ansiedade, depressão ou outras condições clínicas emocionais, a melhor opção é sempre consultar um psiquiatra e um psicólogo. Além da terapia, o paciente pode receber medicamentos antidepressivos e ansiolíticos para controlar esses sintomas.

A taquipneia deve ser verificada

Como você pôde comprovar, a etiologia da taquipneia é muito extensa e variada. De ansiedade a problemas cardíacos graves, a respiração rápida e superficial pode ter muitas causas subjacentes.

Embora às vezes não haja uma explicação, se a taquipneia for sustentada é necessário ir rapidamente a um pronto-socorro.

Por outro lado, esse aumento na frequência respiratória pode ser resultado de exercícios físicos ou certos distúrbios emocionais. Se você acha que sua respiração está estranha, por mais leve que seja, consulte um médico.

Pode interessar a você...
Respiração controlada: características e como praticá-la
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Respiração controlada: características e como praticá-la

A respiração controlada traz os processos respiratórios à nossa esfera consciente e nos permite observar as suas características.