Quais são as consequências de comer fruta oxidada?

15 Novembro, 2019
Comer fruta oxidada não traria riscos para a saúde humana, mas poderia alterar as propriedades benéficas que a fruta fornece para a saúde. Portanto, é imprescindível aplicar bons métodos de conservação para atrasar este processo. Conheça-os!
 

Existe um grupo amplo de frutas que se oxidam com rapidez quando entram em contato com o ar. Esta oxidação não quer dizer que o alimento deixou de ser apto para o consumo, mas sim que acontecem certas mudanças que devem ser levadas em consideração. Veja o que implica comer fruta oxidada.

Existem mudanças organolépticas e mudanças também na composição nutricional que podem afetar a qualidade do produto ou sua função. Desse modo, é necessário tentar evitar a oxidação das frutas.

A primeira consequência da oxidação é o aparecimento dos radicais livres. Isso pode estar relacionado com uma piora da saúde humana, por isso que seu consumo deve ser limitado. Ainda que não haja evidência clara de que o consumo de frutas oxidadas seja um fator de risco para o desenvolvimento de determinadas doenças, é melhor evitar consumir alimentos neste estado.

Além disso, cabe destacar que a oxidação é uma reação em cadeia. Uma vez iniciada, continua acelerando até a oxidação completa de todas as substâncias susceptíveis. As frutas com mais tendência à oxidação são as maçãs e os abacates.

Fenóis na fruta oxidada

 

O contato com o oxigênio gera uma redução dos níveis de compostos fenólicos da fruta. Estes apresentam uma capacidade antioxidante e de redução dos radicais livres. Portanto, a primeira consequência de comer fruta oxidada é que os benefícios fornecidos são menores.

Os próprios compostos fenólicos entram em contato com a enzima polifenol oxidase ao cortarmos a fruta. Nesse momento, começa o processo de oxidação que ocasiona o aparecimento da pigmentação marrom na polpa.

Nesse sentido, é bom considerar que os radicais livres causam graves efeitos celulares e têm um papel importante nas doenças degenerativas. Por isso, é importante manter um elevado consumo de antioxidantes, para prevenir o dano oxidativo.

Talvez te interesse: Sucos antioxidantes – melhores aliados

Vitaminas na fruta oxidada

Por outro lado, é produzida também a oxidação das vitaminas. No caso da vitamina C, a oxidação transforma a molécula na forma inativa. Este processo anula sua efetividade nos processos relacionados com a saúde humana.

Desse modo, conclui-se que a oxidação das frutas reduz notavelmente muitas de suas características benéficas. A perda da funcionalidade das vitaminas é uma das mais importantes, além de sua capacidade antioxidante.

Como evitar a oxidação?

As frutas que contêm ácido cítrico não se oxidam. Portanto, aplicar suco de limão nos pedaços de uma fruta susceptível à oxidação, reduzirá e atrasará este processo.

Por outro lado, existe a possibilidade de evitar o contato das frutas com o oxigênio. A embalagem a vácuo ou em bolsas de plástico previnem o processo da oxidação de maneira muito eficiente.

 

Na indústria, normalmente os alimentos são introduzidos em atmosferas modificadas com menor quantidade de oxigênio para atrasar a oxidação e aumentar a vida útil do produto. Além disso, a refrigeração deixa o processo mais lento. Desse modo, guardar a fruta na geladeira é uma excelente opção para prevenir a oxidação.

Leia também: Uso de papel-alumínio para conservar alimentos é seguro?

Outra opção é cozinhar

A oxidação é um processo que pode ser prevenido com o tratamento térmico. Dessa forma, são destruídas as enzimas que causam este resultado. Portanto, o cozimento das frutas e, inclusive, as receitas feitas com elas impedem que estas sofram uma oxidação e deteriorem sua qualidade nutricional.

Desse modo, por exemplo, é muito comum que aconteça oxidação em uma maçã crua. No entanto, quando esta maçã é submetida a um processo térmico no forno, aguenta muito mais tempo sem sofrer estragos em sua polpa.

Conclusão

Comer fruta oxidada não apresenta um risco para a saúde humana, em princípio. De todos os modos, são reduzidas as propriedades benéficas que fruta traz para a saúde.

Por isso, é imprescindível aplicar bons métodos de conservação para atrasar este processo. Tanto o frio, o suco de cítricos e a embalagem a vácuo são opções corretas na hora de evitar a oxidação.

 
  • Sharma GN., Gupta G., Sharma P., A comprehensive review of free radicals, antioxidants, and their relationship with human aliments. Crit Rev Eukaryot Gene Expr, 2018. 28 (2): 139-154.
  • Hung PV., Phenolic compounds of cereals and their antioxidant capacity. Crit Rev Food Sci Nutr, 2016. 56 (1): 25-35.
  • Dewhirst RA., Fry SC., The oxidation of dehydroascorbic acid and 2,3-diketogulonate by distinct reactive oxygen species. Biochem J, 2018. 475 (21): 3451-3470.