Pular corda pode afetar os joelhos?

Uma das dúvidas mais frequentes ao pular corda é o impacto que esta atividade exerce sobre os joelhos. Ela pode ser prejudicial? Descubra a seguir!
Pular corda pode afetar os joelhos?

Última atualização: 19 Novembro, 2021

Há quem evite pular corda por considerá-lo um exercício que afeta a saúde dos joelhos. Inclusive, alguns afirmam que sua prática causa dores nessas articulações. No entanto, a causa geralmente não é a atividade em si, mas alguns erros que são cometidos ao fazê-la.

Incluir este exercício na rotina de treino pode ter benefícios interessantes na perda de peso, equilíbrio e saúde metabólica. Você está interessado em saber mais sobre isso? A seguir, iremos informá-lo sobre as condições em que pular corda pode ser prejudicial.

Razões pelas quais pular corda pode afetar seus joelhos

Em primeiro lugar, é essencial quebrar um mito muito difundido: pular corda não machuca os joelhos. Na verdade, um estudo recente divulgado pela Gait & Posture descobriu que esse exercício impõe uma carga menor aos joelhos em comparação com a corrida.

Somado a isso, sua prática também supõe um gasto calórico maior (até 30% a mais), o que se traduz em benefícios metabólicos adicionais. Então, quando isso pode ser ruim para a saúde das articulações?

Doenças ou lesões pré-existentes

Uma das razões pelas quais pular corda pode afetar a saúde dos joelhos é porque existe uma doença subjacente. Quer se trate de artrite, desgaste dos ligamentos ou problemas ósseos, são condições nas quais não é conveniente saltar ou fazer movimentos repetitivos.

Mulher com artrite no joelho
Diante da artrite anterior do joelho, pular corda pode causar um aumento da dor.

Técnica errada

Como mencionamos, a atividade em si não costuma ser a razão pela qual o desconforto nos joelhos ocorre após o salto. O problema, na maioria das vezes, está em como isso é feito. A técnica inadequada tem um impacto maior nas articulações.

Os saltadores iniciantes costumam pular muito alto e atingir o solo bruscamente em vez de dar saltos leves e ágeis. Isso é algo que deve ser corrigido com a prática, pois será decisivo para a redução do risco de lesões.

Overtraining

Às vezes, com o objetivo de melhorar a resistência física e os resultados esportivos, algumas pessoas caem no overtraining. Porém, devido ao impacto e aos movimentos repetitivos, essa situação prejudica as articulações.

Por sua vez, causa aumento da fadiga muscular, que posteriormente compromete o desempenho. O melhor é fazer a atividade de forma moderada e deixar espaço para o descanso.

Superfícies duras demais

O espaço escolhido para pular corda também influencia os seus efeitos. Quando as superfícies são muito duras, o impacto é mais forte cada vez que os pés tocam o solo.

Portanto, é aconselhável pular em locais que os amortecem um pouco, como um piso de madeira ou uma quadra de basquete. Mesmo que não seja possível ter este tipo de espaço, pode-se optar por um tapete.

Como evitar o desconforto no joelho ao pular corda?

A melhor maneira de evitar transtornos após pular corda é implementando medidas preventivas. Nesse sentido, é necessário identificar se existe alguma doença ou lesão que possa impedir a correta execução. Nesse caso, é melhor encontrar outras atividades.

Como pode ser difícil fazer os saltos corretamente no início, é aconselhável ter o acompanhamento de um treinador profissional. Este poderá orientar para saltos mais precisos, a um nível de acordo com o estado físico. Outras dicas são as seguintes:

  • Mantenha a corda baixa: isso significa que os saltos serão leves, sem levantar excessivamente os pés. Um salto pequeno é suficiente para mitigar o impacto nos joelhos.
  • Encontre uma superfície adequada: como mencionamos, você deve procurar espaços que amortecem os saltos de uma certa maneira. Um tapete firme ou tapete de ioga pode funcionar.
  • Escolha um calçado adequado: não é aconselhável o uso de sapatos baixos para fazer este exercício. Dado o impacto, o melhor é optar por um calçado desenhado para correr. Eles possuem suporte de arco e outras características que garantem conforto e segurança.
  • Frequência de treino: em vez de treinar por longos períodos ou todos os dias, o que importa é manter uma rotina eficaz. Não adianta gastar muito tempo treinando se, no final, seus músculos e articulações forem danificados. Você tem que ter tempo para descansar 2 ou 3 vezes por semana. Também é bom progredir gradativamente com os exercícios, dependendo da sua condição física.
  • Alongar e aquecer: exercícios de alongamento e aquecimento preparam o corpo para atividades mais extenuantes. Isso otimiza o desempenho e reduz as chances de lesões. Portanto, antes de começar a pular, você pode dedicar alguns minutos a essas atividades.
Pular corda sem danificar as articulações
Vários fatores influenciam o efeito do exercício com corda no corpo. É importante aquecer e regular a intensidade.

Pular corda traz benefícios interessantes

Não há evidências que demonstrem que pular corda regularmente afeta a saúde do joelho. Pelo contrário, determinou-se que é uma atividade que causa um impacto menor em comparação com outras disciplinas, como a corrida.

O mais interessante é que ela otimiza o gasto de energia e contribui para uma maior perda de gordura. Assim, tanto o peso quanto a saúde tendem a melhorar. Sem dúvida, é uma forma divertida de fazer atividade física, fácil de praticar e com importantes benefícios.

Pode interessar a você...
5 esportes para pessoas com dores nos joelhos
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 esportes para pessoas com dores nos joelhos

Dores nos joelhos é um incômodo que pode afetar a sua qualidade de vida se você não resolver a tempo e procurar tratamento.



  • McDonnell, J., Zwetsloot, K. A., Houmard, J., & DeVita, P. (2019). Skipping has lower knee joint contact forces and higher metabolic cost compared to running. Gait & Posture, 70, 414–419. https://doi.org/10.1016/j.gaitpost.2019.03.028
  • Getchell B, Cleary P. The Caloric Costs of Rope Skipping and Running. Phys Sportsmed. 1980 Feb;8(2):55-60. doi: 10.1080/00913847.1980.11948561. PMID: 29278062.
  • Fountaine CJ, Schmidt BJ. Metabolic cost of rope training. J Strength Cond Res. 2015 Apr;29(4):889-93. doi: 10.1519/JSC.0b013e3182a35da8. PMID: 23897017.