Por que é bom consumir alimentos fermentados?

26 Janeiro, 2020
Um campo de estudo atual é direcionado para o conhecimento dos benefícios dos alimentos fermentados. Esses probióticos fornecem nutrientes e podem proteger seu sistema imunológico.
 

Atualmente, no mundo é cada vez mais comum o consumo de alimentos fermentados, constituindo entre 5% e 40% da dieta humana.

Muitas regiões têm seus próprios alimentos fermentados tradicionais, como iogurte, queijos, crème fraîche ou molho de soja. Também várias bebidas, como kefir (leite fermentado), a kombucha (chá fermentado), a cerveja ou o vinho.

Outros exemplos são o missô do Japão (soja fermentada), o kimchi da Coréia do Sul (repolho picante fermentado) ou o chucrute (repolho fermentado) da Alemanha. E esses são apenas alguns!

Conheça os benefícios de consumir esse tipo de alimentos.

Benefícios de comer alimentos fermentados

O microbioma intestinal

Os possíveis benefícios da inclusão de diferentes tipos de fermentos são múltiplos:

  • Alimentos mais nutritivos e digeríveis: uma vez que as bactérias fazem parte da digestão dos alimentos que ingerimos.
  • A fermentação aumenta a presença de vitaminas importantes, como a vitamina K, difíceis de encontrar em alimentos não fermentados. Que é uma vitamina essencial para a saúde óssea e coronária, bem como para a prevenção de certos tipos de câncer.
  • Promovem a modulação do sistema imunológico. Lembre-se de que 70% de suas defesas estão no intestino. Uma microbiota deficiente aumenta o risco de muitas doenças.
 
  • Diferentes alimentos fermentados fornecem bactérias diferentes, aumentando nossa diversidade bacteriana. E uma maior diversidade da microbiota está ligada a menores riscos à saúde.

Leia também: 12 sinais que indicam uma flora intestinal danificada

Quais os benefícios dos alimentos fermentados para a saúde?

Iogurte é um alimento fermentado

Os alimentos que passaram por um processo de fermentação podem ter múltiplos benefícios à saúde, não apenas do ponto de vista da nutrição básica. Os cientistas continuam a investigar exatamente como estes influenciam  no corpo e na saúde.

Produtos lácteos fermentados podem ajudar a reduzir o risco de doença cardiovascular. O consumo de iogurte também está associado a um peso corporal saudável e proteção contra o diabetes tipo 2. 

A fermentação pode melhorar a qualidade e digestão de proteínas e aumentar o conteúdo de vitamina B e vitamina C. Além de melhorar a absorção de diferentes minerais, como o ferro e  o zinco.

Além disso, para algumas pessoas os alimentos fermentados são mais fáceis de digerir. Por exemplo, pessoas que sofrem de síndrome do intestino irritável, ou no caso de intolerância à lactose. As bactérias usadas para elaborar  o iogurte facilitam a digestão da lactose.

 

Alguns alimentos levedados ou fermentados contêm micro-organismos vivos, alguns dos quais são probióticos e podem favorecer a saúde intestinal. A quantidade de micro-organismos presentes no intestino aumenta quando os alimentos fermentados são ingeridos, o que é possivelmente benéfico.

Leia também: Três alimentos fermentados que não podem faltar na sua dieta

Então, é recomendado consumir esse tipo de alimentos?

Alimentos fermentados

Os alimentos levedados fazem parte da dieta humana há séculos e se diz influenciar positivamente na saúde de muitas maneiras diferentes. Assim, cada vez mais as guias sobre alimentos incidem no consumo habitual desses alimentos.

Se você nunca experimentou alimentos levedados, para começar a consumi-los, coloque iogurte nos seus batidos, tome uma sopa de missô no almoço ou acompanhe o jantar com o chucrute, pique um pouco de pão torrado com queijo ou beba um refrescante kefir.

Lembre-se de que esses alimentos  podem adicionar sabores e texturas diferentes e interessantes à sua dieta.

Finalmente, consumir esse tipo de alimentos pode ter efeitos benéficos, embora ainda seja um campo de estudo hoje. Portanto, para garantir um equilíbrio adequado, devemos simplesmente tentar nos alimentar de forma saudável com uma dieta equilibrada.

 
  • Parra Huertas Ricardo Adolfo. Yogur en la salud humana. Rev. Lasallista Investig.  [Internet]. 2012  Dec [cited  2019  Feb  03] ;  9( 2 ): 162-177. Available from: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1794-44492012000200017&lng=en.
  • CALDERÓN, O.; et al. Evaluación del efecto del cultivo probiótico Lactobacillus rhamnosus adicionado a yogur natural y con probióticos comerciales sobre poblaciones de Staphylo-coccus aureusEscherichia coli O157:H7, Listeria monocytogenes Salmonella enteritidis. EnArchivos Latinoamericanos de Nutrición. 2007.Vol. 57, p. 51-55.
  • UYENO, Y.; SEKIGUCHI, Y. & KAMAGATA, Y. Impact of consumption of probiotic lactobacilli-containing yogur on microbial composition in human feces. En: International. Journal of Food Microbiology. 2008. Vol. 122, p.16-22.
  • Hutkins RW (2008). Microbiology and technology of fermented foods. Wiley-Blackwell.