Os benefícios das avelãs e seus nutrientes

20 de novembro de 2019
Sempre que forem consumidas de forma moderada, as avelãs são um alimento muito saudável. Ao mesmo tempo que adicionam sabor aos pratos, os potencializam nutricionalmente. Conheça mais sobre os grandes benefícios que trazem para a saúde.

Sempre que consumidas cruas, poderá desfrutar dos benefícios das avelãs. Além disso, contêm nutrientes importantes para a saúde, como vitaminas, minerais, proteínas, fibras e gorduras saudáveis.

Ao mesmo tempo que adicionam sabor aos pratos, os potencializam nutricionalmente. Tudo isso explica os grandes benefícios que as avelãs fornecem para a saúde. Por isso, é uma excelente ideia incluí-las na dieta.

No entanto, é bom comer este fruto seco com moderação, devido ao seu alto valor calórico. Dessa maneira, deve-se racionar seu consumo.

Valor nutricional das avelãs

Vitaminas e minerais

Avelã

Os benefícios das avelãs se devem as suas vitaminas, micronutrientes e gorduras ômega 3.

A avelã tem uma importante quantidade micronutrientes, como as vitaminas A, B (B1, B2 e B9), C e E. Ainda, fornece minerais, como o potássio, o cálcio, o magnésio, o fósforo e o manganês.

Flavonoides

Os flavonoides contidos neste fruto seco são capazes de melhorar a circulação, assim como favorecer a saúde do cérebro.

Portanto, o simples gesto de consumir um punhado de avelã no lanche pode proporcionar grandes benefícios para a saúde.

Talvez te interesse: Os 6 melhores antioxidantes naturais

Gorduras saudáveis

Placas de olesterol na artéria

Este fruto seco possui uma rica quantidade de gorduras que contribuem para que o coração se mantenha saudável.

Isso se deve ao fato da maioria das gorduras presentes serem poli-insaturadas e monoinsaturadas; ou seja, saudáveis. Por outro lado, as gorduras saturadas são potencialmente prejudiciais para o organismo.

Além disso, as avelãs são uma valiosa fonte de ácidos graxos ômega 3 e ácido oleico, que ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue.

Tudo isso explica seu alto teor calórico; assim como, a recomendação para o seu consumo moderado.

Proteínas

Ainda que em menor quantidade do que as gorduras, a avelã crua também fornece proteína vegetal.

Estas são fontes de energia física para o corpo e de agilidade mental para o cérebro. Ademais, contribuem para reparar as células dos ossos, dos músculos, bem como de órgãos danificados.

Talvez te interesse saber: Como melhorar a dieta para ter mais energia

Os benefícios das avelãs para o organismo

Leite de avelãs

  • Umas 20 avelãs contêm aproximadamente uns 6 gramas de carboidratos, dos quais 3 gramas provêm da fibra dietética. Dessa maneira, estas podem ajudar a reduzir o risco de sofrer certas afecções crônicas, como a prisão de ventre, diabetes tipo 2, doenças e o câncer. 
  • Dado que são muito calóricas, recomenda-se somente consumir um punhado de avelãs, umas 3 vezes por semana. No caso de pessoas com baixo peso ou transtornos alimentares, seria um complemento muito efetivo, graças ao seu teor de gorduras saudáveis e o restante dos benefícios.
  • Contribuem para reduzir o risco de sofrer colesterol alto, coágulos no sangue e doenças do coração, devido aos esteróis vegetais, os ácidos graxos ômega 3 e a L-arginina contidos.
  • O leite de avelã é hoje muito consumido, especialmente por pessoas vegetarianas e veganasSaborosa e muito nutritiva, esta bebida constitui para muitas pessoas, um saudável substituto do leite de origem animal.
  • Borda, M., y otros. (2009). “Prevención de los trastornos de la conducta alimentaria (TCA) en chicas preadolescentes : eficacia de un programa multisesión e interactivo en el seguimiento a un año”, Revista de Psicología conductial, 17 (3): 499-521.
  • Casanueva, E. (2008). Nutriología Medica. México: Medica Panamericana.
  • Martínez-Flórez, S.; González-Gallego, J.; Culebras, J. M., y Tuñón, M. J. (2002). “Los flavonoides: propiedades y acciones antioxidantes”, Nutr. Hosp., XVII (6): 271-278.
  • Volta, U.; Caio, G.; De Giorgio, R.; Henriksen, C.; Skodje, G., and Lundin, K. E. (2015). “Non-celiac gluten sensitivity: a work-in-progress entity in the spectrum of wheat-related disorders”, Best Pract Res Clin Gastroenterol, 29 (3): 477-491.