O que são os alimentos transgênicos e quais são os seus benefícios?

O que são os alimentos transgênicos? Como são produzidos? Que efeitos eles têm sobre as pessoas e o meio ambiente? Há muitas dúvidas em relação a este tópico. A seguir, esclareceremos as mais importantes.
O que são os alimentos transgênicos e quais são os seus benefícios?

Última atualização: 17 Janeiro, 2021

Os alimentos transgênicos estão sendo cada vez mais discutidos. Ainda assim, costumam ser vistos pelo público em geral como um produto de uma sociedade distópica e, por isso, tendem a ser rejeitados. É natural que o ser humano tema o que não conhece. Modificar algo tão estabelecido quanto o código genético daquilo que nos rodeia não pode ser bom, certo?

Diferentes pesquisas demonstraram que a rejeição destes alimentos é grande, pois 33,4 % dos entrevistados pensam que eles causam mais danos do que benefícios, enquanto a sua aceitação corresponde a apenas 22,8 %. Este tema está cheio de luzes e sombras a analisar, mas antes, é necessário esclarecer o que é um transgênico.

O que são os alimentos transgênicos?

São os alimentos que foram produzidos a partir de um organismo modificado pela engenharia genética e aos quais foram incorporados genes de outro ser vivo para produzir as características desejadas. Por isso, vemos que nem todos os alimentos industrializados se enquadram nessa definição.

Você precisa saber como diferenciar entre a seleção genética e a transgênica. Existem muitos alimentos que são produto do cruzamento intencional de plantas com a melhor genética possível (aquelas com as maiores sementes, com as frutas mais chamativas, as melhores cores, etc…), e essas não são consideradas transgênicas.

Para que essa condição seja atendida, seu genoma deve ter sido artificialmente modificado de alguma forma. Pode parecer complexo e, de fato, limitaremos a explicação de como um transgênico é produzido aos seus conceitos mais básicos.

A bactéria Agrobacterium tumefaciens é capaz de transferir informações genéticas para as plantas, entrando por lesões produzidas nas mesmas. Está localizada em seus espaços intercelulares e introduz informações genéticas na forma de um plasmídeo, que se integra em alguma área do genoma da planta.

Assim, esta bactéria atua como um veículo para a transmissão de DNA. O plasmídeo que transmite foi previamente modificado pela introdução de informações genéticas, aparentemente outras bactérias com a característica desejada.

Bactérias com a característica inicial – Plasmídeo no Agrobacterium – Genoma vegetal

Esta é uma maneira simples de entender um dos métodos mais difundidos de produção transgênica.

Alimentos feitos em laboratório
Os alimentos transgênicos são obtidos a partir de um organismo geneticamente modificado.

Quais benefícios os alimentos transgênicos oferecem?

Vários estudos, como um publicado no Journal of the Royal Society of Medicine, expõem os benefícios dos alimentos geneticamente modificados. Mas, antes de tudo, devemos ter em mente que em nosso planeta existem mais de 840 milhões de pessoas no limiar da pobreza, que não chegam a atingir uma ingestão calórica diária de 2.000 quilocalorias.

Por este e muitos outros dados, é necessária uma ação humana nas fontes de recursos.

  • Os transgênicos podem fornecer uma maior contribuição nutricional. Um exemplo claro disso é o arroz dourado, geneticamente modificado para facilitar a síntese de vitamina A, especialmente nos países em desenvolvimento onde não é possível manter um regime alimentar equilibrado. 72 gramas deste arroz representam 50% da dose recomendada de vitamina A para uma criança de 3 anos de idade.
  • Facilitam a produção de alimentos. Existem alimentos transgênicos com capacidade para resistir a doenças virais ou aos ataques de insetos, por isso, menos plantas são perdidas. Isso representa um maior benefício econômico para os agricultores e uma maior disponibilidade de alimentos.
  • Maior resistência às mudanças climáticas. Esse ponto ainda está em fase laboratorial, mas é necessário preparar geneticamente as culturas para combater os efeitos que ocorrerão como consequência das mudanças climáticas nos próximos anos.
Suplementação adequada
Alguns alimentos transgênicos fornecem uma maior contribuição nutricional. Portanto, representam uma opção para os países em desenvolvimento que não têm acesso a dietas balanceadas.

Quais são os seus perigos?

Para a saúde do público em geral, não se demonstrou com evidências científicas que existam perigos tangíveis nos transgênicos, tal como reconhece a Organização Mundial da Saúde (OMS) neste boletim.

Não, não há evidências de que eles causem câncer. Além disso, esses alimentos passam por testes extensivos, especialmente para evitar efeitos tóxicos ou alergênicos na população. Até agora, nenhum alimento transgênico aprovado e disponível para o público teve reações adversas.

Claro, nem tudo é positivo. Existe o risco de as plantas modificadas cruzarem com outros vegetais não cultiváveis, o que criaria desequilíbrios no ecossistema natural. As plantas que apresentam resistência a pestes também podem ter efeitos negativos em outras espécies que não constituem um problema.

Nem tudo é bom no mundo dos transgênicos. Eles podem causar efeitos negativos nos ecossistemas naturais e nas espécies que vivem neles. Além disso, existe o risco de monopolizarem os recursos alimentares, onde somente aqueles com acesso a essas técnicas terão sucesso no mercado no futuro.

Como vimos, os alimentos transgênicos são precedidos por uma má reputação que deve ser submetida a escrutínio. Apresentam benefícios e perigos, mas a questão é: em um planeta superpovoado e ameaçado pelas mudanças climáticas, seremos capazes de viver sem eles em um futuro próximo? O debate continua aberto.

Pode interessar a você...
Dieta paleolítica: confira tudo sobre ela
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Dieta paleolítica: confira tudo sobre ela

Por que a dieta paleolítica é considerada tão benéfica? Quais são as suas vantagens? Hoje revelaremos seus detalhes mais importantes para tiras as ...



  • Genetically modified plants and human health, Journal of the royal society of medicine. Recogido a 23 de mayo en https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2408621/
  • Bawa AS, Anilakumar KR. Genetically modified foods: safety, risks and public concerns-a review. J Food Sci Technol. 2013;50(6):1035‐1046. doi:10.1007/s13197-012-0899-1
  • Maghari BM, Ardekani AM. Genetically modified foods and social concerns. Avicenna J Med Biotechnol. 2011;3(3):109‐117.
  • Kamle M, Kumar P, Patra JK, Bajpai VK. Current perspectives on genetically modified crops and detection methods. 3 Biotech. 2017;7(3):219. doi:10.1007/s13205-017-0809-3