Óleos não comedogênicos: efeitos na pele oleosa

Os óleos não comedogênicos são uma boa opção para hidratar e cuidar da pele sem o risco de provocar o aparecimento de cravos ou excesso de oleosidade. No artigo de hoje detalharemos algumas opções.
Óleos não comedogênicos: efeitos na pele oleosa

Última atualização: 09 junho, 2022

Os óleos não comedogênicos são os que têm a capacidade de manter a pele livre de cravos ou qualquer forma de acne. Eles são considerados “não comedogênicos” porque estão classificados abaixo de dois no estudo científico de 1989 do Dr. FultonComedogenicidade e irritação de ingredientes comumente usados em produtos para cuidados com a pele.

Esse estudo estabeleceu uma classificação numérica de 0 a 5 como medida que determina o tamanho dos poros após a aplicação de ingredientes cosméticos individuais na pele. Assim, a classe 0 tem uma chance zero de obstruir os poros, a classe 1 uma chance baixa e a classe 2 uma chance moderadamente baixa.

A partir da classe 3 a substância passa a ser considerada comedogênica, pois a probabilidade de obstrução é moderada. Os tipos 4 e 5 são de classe alta, pois a probabilidade de obstrução é maior. Mas então, existem óleos não comedogênicos? Te convidamos a descobrir a resposta!

O que são produtos não comedogênicos?

Os óleos não comedogênicos são os que não provocam acne quando aplicados, pois estão abaixo da classe 2. Os graus comedogênicos são avaliados a partir de diversos processos. O primeiro é delimitar uma área da pele; em seguida, é aplicada uma quantidade definida da substância a ser analisada.

Essa aplicação deve ser repetida 3 vezes ao dia, durante 4 semanas. Da mesma forma, é necessário observar se existe uma obstrução dos poros ou o aparecimento de cravos. Portanto, um produto não comedogênico, segundo a Alcade M, é um cosmético que demonstra nas análises que sua aplicação não provoca o aparecimento de cravos.

Mulher cuidando da pele com óleos essenciais.
Os produtos não comedogênicos são aqueles cuja composição não obstrui os poros nem provoca o aparecimento de cravos.

Leia também: Tratamentos para a acne

Efeitos dos óleos não comedogênicos na pele oleosa

A pele oleosa apresenta um excesso de sebo em diferentes áreas, que podem parecer mais brilhantes. Ela também apresenta poros dilatados e uma textura cutânea irregular. Um problema comum entre as pessoas com esse tipo de pele é a acne.

No entanto, também é comum que a pessoa sofra infecções, inflamações e outros efeitos indesejados associados ao excesso de gordura. Mas, é recomendável usar óleos não comedogênicos? Vejamos seus principais efeitos:

Regulação do sebo

As glândulas sebáceas são encontradas na derme. A função do sebo é lubrificar e proteger a superfície da pele. Normalmente, os adultos produzem 1 mg por 10 cm de pele a cada 3 horas. Quando ocorre hipersecreção, poros dilatados e acne podem aparecer.

Felizmente, como mostra um artigo publicado no Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology, existem óleos com características não comedogênicas que reduzem o excesso de oleosidade. Assim, a pele é mantida limpa e em ótimas condições.

Livre de acne

A acne é um distúrbio de pele no qual os folículos capilares ficam obstruídos com óleo e células mortas. Portanto, aparecem cravos e espinhas. Como é resultado da superprodução de sebo, trata-se de um problema comum para pessoas com a pele oleosa. No entanto, como discutimos, os óleos não comedogênicos ajudam a regular o nível de oleosidade.

Hidratação

Uma boa hidratação ajuda a manter os níveis de água equilibrados. Desta forma, esses óleos fortalecem a barreira protetora da pele, além de prevenir o ressecamento e o envelhecimento.

Antissépticos e antifúngicos

Os óleos antissépticos e antifúngicos são capazes de destruir microrganismos ou reduzir seu crescimento. As principais infecções de pele são as celulites e infecções por estafilococos. As causadas por fungos produzem pé de atleta e infecções por cândida.

Nesse sentido, esses tipos de produtos se tornam adjuvantes contra os microrganismos que afetam a pele. Sua aplicação regular limpa os poros e reduz a presença de patógenos em sua superfície.

Lista de óleos não comedogênicos

Os óleos devem ser usados de acordo com as necessidades de cada tipo de pele. No entanto, o ideal é testar o produto antes de aplicá-lo de forma integral. Isso é feito aplicando um pouco de óleo na área interna do pulso; se após algumas horas não houverem reações desfavoráveis, o produto pode ser aplicado sem nenhum problema.

Óleo de semente de girassol

O óleo de semente de girassol é um tipo de óleo vegetal saudável que pode ser usado em cosméticos. Ele contém ácidos graxos e vitamina E que ajudam a manter a pele saudável e livre de manchas. A sua aplicação regular parece reduzir a presença de cravos. Ainda assim, faltam evidências para apoiar essa afirmação.

Óleo de argan

O óleo de argan é um óleo comestível obtido a partir das sementes maduras da baga da árvore de argan. Ele é indicado para vários tipos de pele, e sua classificação comedogênica é 0. Portanto, pode ser usado para reparar a barreira cutânea e reduzir a acne.

Óleo de argan.
O óleo de argan ajuda a proteger a barreira cutânea. Além disso, reduz o excesso de sebo.

Óleo de sementes de cânhamo

O óleo de cânhamo faz bem para a maioria dos tipos de pele. É eficaz para peles sensíveis e oleosas, devido às suas propriedades hidratantes. Além disso, ajuda a reduzir a inflamação e vermelhidão que a acne provoca.

Óleo de rosa mosqueta

O óleo de rosa mosqueta é recomendado para peles oleosas, pois não provoca a obstrução dos poros; ao contrário, favorece sua limpeza. Entre outras coisas, seu conteúdo de antioxidantes e gorduras saudáveis parece contribuir para a prevenção do envelhecimento e das estrias.

Os óleos não comedogênicos complementam a rotina de beleza

Os óleos com propriedades não comedogênicas são ideais para complementar a rotina de beleza, principalmente quando a pele é oleosa. Eles não são agressivos e proporcionam outros benefícios como hidratação e prevenção do envelhecimento precoce.

De qualquer forma, seu uso não deve ser o tratamento de primeira escolha quando se trata de combater o excesso de sebo na pele ou as espinhas. Para isso se recomenda consultar um profissional de dermatologia.

Pode interessar a você...
9 causas das espinhas no rosto
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
9 causas das espinhas no rosto

As causas das espinhas no rosto, ao contrário da crença popular, não estão associadas à sujeira ou à falta de higiene. Saiba mais aqui!