O que faz um padrinho de casamento?

· 23 de maio de 2019
Escolheram você como padrinho de casamento e não sabe o que fazer? Nesse artigo, você será o protagonista. Contaremos tudo o que deve saber para ser um bom padrinho.

O fato de nos escolherem como padrinho ou madrinha de um casamento é uma grande honra. No entanto, ainda que em um primeiro momento não pensemos, antes do previsto nos virá à mente a pergunta: o que realmente faz um padrinho de casamento? Por isso, dedicaremos este artigo a responder esta questão tão importante.

Obrigações dos padrinhos de casamento

Para começar, é importante deixar claro que os padrinhos de casamento podem ser qualquer pessoa que os noivos escolherem. Apesar de que, normalmente, é algum parente do casal, também podem escolher amigos. O fato é que geralmente é alguém muito próximo ao casal.

Além disso, é necessário especificar que não há um limite exato de pessoas que possam ser os padrinhos do casamento. Isso é algo que será escolha do casal e que comunicarão às pessoas correspondentes para que, ademais, saibam se podem ou não estar presentes no dia da cerimônia.

Participar dos detalhes do casamento

Bolo de casamento

Os padrinhos poderão participar na escolha dos detalhes do convite.

Uma das principais obrigações do padrinho é participar em todos os detalhes que tenham relação com o casamento. Por exemplo, na escolha do traje ou do vestido, qual tipo de cardápio será servido no restaurante ou na degustação do bolo que será servido no final.

Outro dos aspectos nos quais o padrinho terá uma grande importância será na decoração do lugar onde se celebrará o casamento. Nesse ponto, contribuirá para que tudo esteja pronto no momento da cerimônia.

Talvez te interesse ler também: Decoração das unhas para o casamento

Encarregados da despedida de solteiro

Amigas na despedida de solteira

Esta é uma das partes mais divertidas dos padrinhos de casamento que é celebrar a despedida de solteiro. Talvez o primeiro dos pontos seja o mais tedioso e é o que mais causa estresse. No entanto, esta parte traz muita diversão, farra e alegria.

Além disso, o noivo ou a noiva não devem ficar sabendo nem quando será sua despedida, nem sequer se os padrinhos estão preparando algo para eles. Será completamente uma surpresa e, dependendo de como for o casal, pode-se organizar uma despedida individual ou conjunta.

Ao organizar a despedida, os padrinhos devem considerar os gostos da pessoa. Por exemplo, se for alguém tranquilo talvez seja melhor celebrar um fim de semana em um spa. Igualmente, se o casal gosta de cantar no karaokê, é possível reservar uma sala para que possam fazê-lo em companhia dos entes queridos.

Não deixe de ler ademais: Casamento: escolha a melhor estação

Sua presença durante o grande dia

Quando chegar o dia do casamento, os padrinhos do casamento ainda terão mais obrigações. Suas “obrigações” não terminam nos pontos anteriores. Veja, a seguir, alguns últimos aspectos nos quais sua presença é requerida:

  • Ajudar a vestir os noivos: acompanharão o casal não só para ajudá-los a se vestir, como também para trazer palavras de ânimo, para acalmar os nervos que possam ter nesse momento.
  • Acompanhá-los até o altar: cada padrinho acompanhará um dos membros do casal até o altar ou até o lugar onde se celebrará a união do enlace matrimonial.
  • Realizar o brinde: logo após o matrimônio e durante a festa, dedicarão algumas palavras ao casal. Pode-se fazer anedotas divertidas, palavras emocionantes e, principalmente, um agradecimento pode tê-lo escolhido para fazer parte desta união.

Esperamos que, caso se encontre preparando uma cerimônia matrimonial ou tenha sido escolhido como padrinho de casamento, esse artigo tenha servido de ajuda para tirar todas as suas dúvidas.

Lembre-se de que ser escolhido como padrinho do casamento significa que o casal tem um afeto especial com você. Você é alguém importante para eles; e, por isso, que melhor do que ajudá-los para que a celebração do matrimônio seja o dia mais feliz da vida deles.

  • del Picó Rubio, Jorge. (2009). EL MATRIMONIO RELIGIOSO EN EL RÉGIMEN JURÍDICO CHILENO: EL SISTEMA MATRIMONIAL CONSAGRADO POR EL ARTÍCULO 20 DE LA LEY N° 19.947. Ius et Praxis15(2), 51-77. https://dx.doi.org/10.4067/S0718-00122009000200003
  • Hipp, R. (2017). Orígenes del matrimonio y de la familia modernos. Revista Austral de Ciencias Sociales, (11), 59-78.
  • Mendoza Ontiveros, Martha Marivel. (2010). El compadrazgo desde la perspectiva antropológica. Alteridades20(40), 141-147. Recuperado en 15 de febrero de 2019, de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0188-70172010000200011&lng=es&tlng=es.
  • Osornio, Arturo Miranda, & Cisneros, Héctor Favila. (2012). La comida y su protocolo: Sentido y significado de los modales de mesa entre los otomíes de la comunidad de San Gregorio Macapexco – México. Estudios y perspectivas en turismo21(6) Recuperado en 15 de febrero de 2019, de http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S1851-17322012000600012&lng=es&tlng=es.