O que é síndrome pós-férias?

30 de outubro de 2019
A síndrome pós-férias, longe de ser considerada uma depressão, refere-se a um conjunto de sintomas que as pessoas podem sofrer após um período de descanso ou férias.

A síndrome pós-férias se refere a um conjunto de emoções que as pessoas sofrem depois de voltar das férias – ou por um longo período de tempo sem trabalhar – quando voltam aos seus locais de trabalho e retomam suas responsabilidades.

Esse desequilíbrio emocional é caracterizado por causar apatia, tristeza e fadiga, tanto física quanto psicológica. Portanto, às vezes é chamado de depressão pós-férias. Você já teve esse problema? Contamos tudo no espaço a seguir.

A síndrome pós-férias é um distúrbio?

Nenhum dos manuais de psiquiatria ou psicologia – como o DSM-5 ou a CID-11 – reconhece a síndrome pós-férias como uma doença ou um tipo de depressão. No entanto, isso não significa que possa ser uma fonte de desconforto para as pessoas que retornam das férias ou de um período de descanso.

A síndrome pós-férias, portanto, não é considerada um distúrbio psicológico, mas um desequilíbrio temporário no qual a pessoa precisa se adaptar novamente às suas tarefas após um período de folga.

Segundo os doutores Herrero e Esquirol (2016), a comunidade científica não encontrou consenso sobre a síndrome pós-férias, pois consideram que:

“É um produto do fato de que em grande parte do nosso ambiente, o trabalho é considerado uma atividade negativa, forçada e sacrificada.

Eles acrescentam que se em uma sociedade diferente o trabalho fosse considerado uma atividade para aumentar a criatividade e o desenvolvimento pessoal, a síndrome pós-férias não existiria. Voltar a algo que você não gosta depois de desfrutar de algo que sim te dá prazer é, e sempre foi, problemático, não apenas quando se trata de férias.

Retomar o trabalho pode provocar a síndrome pós-férias

A síndrome pós-férias não é considerada um distúrbio. No entanto, é uma alteração emocional que pode desencadear sintomas físicos e psicológicos.

A adaptação como o principal problema

O professor Michael Baigent garante que o grande problema da síndrome pós-férias é a adaptação. Portanto, ele diz que é normal sentir-se triste, desanimado ou nostálgico quando se volta do verão.

Ele argumenta que, durante as férias, as pessoas se enchem de atividades agradáveis ​​que não realizam em sua rotina. Então, quando você para de fazer o que gosta e começa a fazer o que não desfruta tanto, sente nostalgia ou perturbação.

Sendo um problema de adaptação ao local ou à atividade de trabalho e aos estímulos diferentes além dos recebidos nas férias, a síndrome pós-férias geralmente não dura mais de dez ou quinze dias, até que a pessoa consiga adaptar os pensamentos, comportamentos e emoções.

Leia também: Como motivar seu filho a estudar depois das férias

Sintomas da síndrome pós-férias

Sendo um distúrbio que ainda não está definido, os sintomas não são concretos e nem específicos. No entanto, pessoas que sofrem de estresse pós-férias podem ter sintomas tanto físicos quanto psicológicos.

Sintomas físicos

Outros sintomas menos frequentes incluem:

  • Taquicardia
  • Dores de cabeça
  • Falta de apetite
  • Insônia
  • Problemas digestivos

Sintomas emocionais

  • Apatia
  • Melancolia
  • Nostalgia
  • Irritabilidade
  • Tristeza

Se os sintomas não desaparecerem no prazo máximo de duas semanas, poderíamos estar falando de um quadro de estresse agudo, ansiedade generalizada, ataques de pânico etc., dependendo das características da pessoa.

Nesse caso, existem outras variáveis ​​que foram omitidas, ou fatores de risco ambientais ou disposicionais, que levaram ao desenvolvimento desse distúrbio. Se isso acontecer, seria importante pedir ajuda psicológica, pois estamos falando de um distúrbio que pode afetar o desempenho geral da pessoa.

Angústia depois do período de férias

Viver por e para as férias

A treinadora Shannah Kennedy, em entrevista à revista Traveler, considera como uma possível causa da síndrome pós-férias a abordagem vital da maioria das pessoas de culturas europeia e americana.

Ela argumenta que a maioria das pessoas vive por e para as férias, esperando por elas como o grande evento do ano. Sendo assim, não aproveitam, vivem ou apreciam o período de trabalho. Parece que as férias são a única coisa de que precisam para ser felizes e desfrutar.

Essa maneira de encarar a vida faz com que as pessoas esperem um ano inteiro para desfrutar apenas um mês de férias. Portanto, é normal que, depois de esperar tanto tempo, sintam nostalgia, tristeza e apatia, pois é preciso esperar outro ano para descansar novamente.

O ideal, portanto, é incluir pequenos períodos de descanso e “mini férias” durante o ano, nos fins de semana ou feriados. Indo para a montanha para um dia de excursão, visitando a praia se você morar perto e, em geral, preparar projetos para os quais não é necessário esperar um ano para que causem a mesma satisfação.

Causas da síndrome pós-férias

Embora, como explicado acima, a síndrome pós-férias se deva à falta de adaptação ao retorno ao trabalho, existem certas variáveis ​​que podem motivá-lo. Essa incompatibilidade ou dificuldade de adaptação à rotina após as férias pode ser exacerbada por:

  • Problemas de imagem corporal: durante as férias, as pessoas tendem a comer mais do que o normal e até a serem mais sedentárias. Portanto, a aparência pode mudar, e os quilinhos a mais modificam o antes e o depois das férias. Isso pode levar a problemas de imagem corporal que tornam a rotina muito mais complexa.
  • Cansaço: os hábitos de sono também tendem a mudar no verão, pois as pessoas fazem mais atividades noturnas e dormem menos. A fadiga acumulada pode causar a sensação de letargia e fadiga no local de trabalho.
  • Aumento da ingestão de álcool: como mencionado acima, as pessoas costumam abusar do álcool durante as férias. Isso também pode influenciar o cansaço e fadiga da pessoa.
  • Fazer muitos planos: durante o verão, também é comum fazer muitas atividades e não descansar. Portanto, e para não sentir a devastação de uma agenda excessivamente ocupada nas férias, é aconselhável dar tempo para o ócio e para o lazer.

 

Isso também pode te interessar: Melhores dicas para perder peso depois das férias

Dicas para superar a síndrome pós-férias

Voltar ao trabalho sem estresse depois das férias

Como muitos poucos casos de estresse após as férias precisam de intervenção psicológica – e os que ocorrem são porque existe um distúrbio definido com diferentes sintomas e características – somos nós que devemos regularizar as atividades para nos adaptar o mais rápido possível à rotina.

Algumas dicas para isso são:

  • Tenha uma higiene adequada do sono, dormindo cerca de oito horas. Nem mais nem menos.
  • Planeje novos projetos e desafios, desta vez ao longo do ano e não apenas nas férias do próximo ano.
  • Cuide-se através da alimentação e da hidratação. Também seria aconselhável se exercitar, o que pode mudar o humor pós-férias.
  • Planeje a volta ao trabalho para que seja gradual. Não comece com uma intensidade esmagadora desde o início, assim, facilitará a adaptação.
  • Não comece o trabalho imediatamente após retornar das férias, mas considere o retorno alguns dias antes.
  • Tenha cuidado com álcool e cafeína. Enquanto o álcool pode agravar sentimentos de apatia e nostalgia, a cafeína pode fazer o mesmo com sentimentos de estresse e ansiedade.
  • Repense o trabalho. O que é trabalho, por que é considerado um fardo, repensá-lo em outros termos e, na medida do possível, encontrar uma atividade laboral satisfatória que promova o crescimento pessoal.

Por tudo isso, para todos aqueles que acreditam estar sofrendo de uma síndrome pós-férias, recomenda-se calma e paciência. A apatia e a nostalgia desaparecerão, na maioria dos casos, naturalmente e em poucos dias.

Além disso, se você passar por isso, será mais fácil criar coisas diferentes para que, nas próximas férias, possa chegar renovado e cheio de energia, em vez de apático, estressado e ansioso.

  • Herrero y Esquirol (2016). Síndrome postvacacional. canalSALUD, Canales Mapfre, en: https://www.salud.mapfre.es/cuerpo-y-mente/psicologia/sindrome-post-vacacional/
  • ISEP (2019). El síndrome postvacacional, en: https://www.isep.es/actualidad-psicologia-clinica/sindrome-postvacacional/
  • Unknown Traveller redactor (2012). How to beat post-holidays blues. Planning section, Traveller, en: http://www.traveller.com.au/how-to-beat-the-postholiday-blues-1qd0v
  • Alejandra Salazar (2018). Post-Holiday Blues: Is it real? Can I prevent it? CogniFit, Health, Brain & Neuroscience, en: https://blog.cognifit.com/post-holiday-blues/