O movimento slow: viver sem pressa

15 Fevereiro, 2020
Às vezes nos sentimos sobrecarregados pelo estilo de vida agitado que levamos. Por isso, nesse artigo queremos te contar o que significa a filosofia de vida chamada slow. Descubra!

Movimento slow, viver sem pressa, mais do que um movimento, pode ser definido como uma atitude ante a vida. Nesse sentido, continue lendo para que descubra o momento de viver cada segundo com a calma que é requerida.

Hoje em dia, vimo-nos imersos em milhões de tarefas e obrigações que somente nos obrigam a viver mais depressa, sem poder realmente desfrutar os momentos. O dia parece não ter suficientes horas para a quantidade de responsabilidades que devemos cumprir.

No entanto, isso é realmente benéfico para a saúde? Um autor, chamado Carl Honoré, escreveu um livro que se tornou um dos mais vendidos, e que nos mostra uma ideia contrária a isso. Sua obra se chama “Devagar”.

Talvez esteja se perguntando: “para que preciso viver com lentidão se justo o que preciso é o contrário para poder cumprir com tudo?” O certo é que levar um ritmo acelerado de vida todo o tempo somente traz consigo consequências negativas para a saúde, tal como demonstram várias pesquisas.

Movimento slow: viver sem pressa

O autor mencionado adverte que este tipo de dinâmica na vida termina por nos destruir. Ademais, adiciona:

A velocidade é divertida, uma descarga de adrenalina… somos viciados nela. 

Provavelmente, isso poderia explicar o motivo de resistirmos a viver com calma. No entanto, não o fazer também nos impede de viver momentos com qualidade e desfrutar do presente. 

Honoré percebeu isso em uma noite que lia contos para seu pequeno filo. Nesse dia, notou que em sua leitura da Branca de Neve faltavam inclusive anões. Todos os dias estava pulando alguns, e assim fazia com o resto de sua vida.

Foi assim que disse a si mesmo:

O que aconteceu? Ora, o mesmo que acontece com outros aspectos de minha vida. Percebi que devia desacelerar o passo, mas não era fácil em um mundo cheio de ocupações e impaciência.

Não perca: Hábitos simples que melhorarão a qualidade de vida

Em que consiste a filosofia Slow?

Relaxe no trabalho

O slow é um movimento que ensina a importância de viver sem pressa para ter momentos de qualidade.

Esse movimento ou tendência, que na realidade embarca uma filosofia e uma forma de compreender a realidade e vivê-la, não se trata de viver com máxima lentidão. De fato, o que o slow verdadeiramente consiste é viver cada momento no tempo correto ou justo.

Frear um pouco permite viver cada instante do presente com consciência, além de alcançar um verdadeiro usufruto dos minutos, ao invés de uma conta acelerada do tempo. Ou seja, que o slow se traduz em qualidade de vida.

Ainda em situações em que somos muito exigidos, sentir calma pode ser a resposta requerida ou que nos aproxime do sucesso. Por isso, não devemos nos deixar contagiar pela velocidade que impera no ambiente.

O que ganhamos com o slow?

Com o aparecimento das redes e a possibilidade de ter notícias instantaneamente, as notificações do correio eletrônico no celular, entre outros, muitos começaram a entrar nessa filosofia de vida com a finalidade de reduzir a velocidade de sua vida. Mas, o que obtemos em troca?

A seguir, mencionamos uma série de benefícios que são possíveis obter com essa filosofia.

  • Dar mais valor às relações pessoais.
  • Conceder espaço para a criatividade para que essa aumente.
  • Descobrir mais aspectos de si mesmo.
  • Quebrar a rotina.
  • Ver a realidade com outros olhos.
  • Viver com intensidade cada momento.
  • Observar elementos que antes passavam desapercebidos.
  • Conhecer-se melhor.
  • Sentir maior grau de satisfação.
  • Sentir-se relaxado.
  • Sentir mais plenitude, harmonia e bem-estar.
  • Viver com menos angústia.
  • Ter mais produtividade.

Descubra: Saiba por que se sentir bem é a melhor atitude

O que precisamos para viver sem pressa?

Para viver sem pressa ou no movimento slow é necessário trabalhar nos seguintes pontos:

  • Reiniciar a maneira com a qual se pensa. Em suma, aprender a acalmar os pensamentos e deixar de se obrigar a responder ante todos os estímulos que provêm do exterior.
  • Meditar para conseguir a quietude dos pensamentos.
  • Fazer um pouco de yoga para que a energia flua e o sistema nervoso trabalhe de maneira mais controlada.
  • Trabalhar com menos excesso, porque no final, no excesso existe menos rendimento e mais chances de adoecer. Às vezes, trabalhar menos, significa trabalhar mais.
Alongue os músculos no trabalho

Reduzir a carga de trabalho e dedicar alguns minutos em alguma técnica de relaxamento são medidas simples para viver sem pressa.

Outros pontos

  • Dedicar o tempo necessário. Às vezes fazemos tudo depressa, mas isso não quer dizer que o estamos fazendo melhor. Tome o tempo necessário para resolver cada um de seus assuntos.
  • Entre na cozinha. Porque Honoré descobriu que na cozinha tudo requer seu tempo e velocidade exata, assim que cozinhar é um modo de sentir-se relaxado e deixar que tudo culmine no momento preciso.
  • Evite a rapidez. Em suma, tome um momento para si, comece a pintar ou a fazer algum trabalho manual, bem como algum passatempo que goste muito e que possa desfrutar.
  • Desfrute do ócio. Esse é bom, ajuda a despejar a mente. Por isso, desfrute desses breves momentos em que não faz nada e pratique a detenção do pensamento ou o relaxamento.
  • Caminhe devagar. Não se preocupe em se apressar, o mundo não deixará de girar se caminhar com um pouco mais de lentidão. Nesse sentido, pode caminhar uns quinze minutos pelas manhãs ou tardes e desfrutar da paisagem.
  • Lentidão também no sexo, e mais dedicação para fazer o amor, olhar nos olhos profundamente, despertar cada sentido e sentir o contato verdadeiro da pele.

Seguindo essas simples dicas, não só conseguirá entrar no movimento slow, como também estará adotando outra filosofia de vida e um estilo que permitirá viver com mais harmonia.

  • Corredor, C. (1986). Estres. Colomb. Med.
  • Estrés, E. D. E. L., & Merino, G. (2007). Efectos del estrés laboral. Efectos Del Estres Laboral.
  • López-Pérez, B., & Fernández-Pinto, I. (2010). Ansiedad y Estrés. Ansiedad y Estrés.
  • Luceño Moreno, L., & Martín García, J. (2008). Estres laboral. EduPsykhé: Revista de Psicología y Psicopedagogía.
  • Salinas., D. (2012). Estrés. In Prevención y afrontamiento del estrés laboral.