Níveis baixos de progesterona: sintomas e tratamentos

Além dos tratamentos hormonais, também é possível recorrer a medidas como o aumento da ingestão de vitamina B para aumentar os níveis de progesterona no organismo.
Níveis baixos de progesterona: sintomas e tratamentos
Isbelia Esther Farías López

Escrito e verificado por o filósofo Isbelia Esther Farías López.

Última atualização: 27 maio, 2022

A progesterona é um hormônio sexual feminino produzido principalmente nos ovários após a ovulação. Ela é uma parte crucial do ciclo menstrual e da manutenção da gravidez. Se houverem níveis baixos de progesterona, a saúde do bebê é colocada em risco.

Especificamente, esse hormônio ajuda a regular o ciclo menstrual. No entanto, principal função dele é preparar o útero para a gravidez. Continue lendo para aprender mais a esse respeito!

Como a progesterona funciona ?

Molécula de progesterona.

Os níveis desse hormônio variam ao longo do ciclo menstrual. Eles atingem o ponto máximo sete dias antes da menstruação e podem variar bastante ao longo de um único dia. Os níveis de progesterona geralmente são mais elevados que o normal durante a gravidez.

Após a ovulação a progesterona ajuda a engrossar o revestimento do útero, preparando-o para a chegada de um óvulo fecundado. Se não houver um óvulo fertilizado, os níveis de progesterona caem novamente e a menstruação começa.

Se um óvulo fertilizado se implanta na parede uterina, esse hormônio ajuda a manter o revestimento do útero durante a gravidez. Da mesma forma, ele é necessário para outros processos:

  • Desenvolvimento das mamas e lactação.
  • Complementa alguns dos efeitos do estrogênio, outro hormônio sexual.
  • Além disso, ela desempenha um papel importante junto com a testosterona. Ambas são precursoras dos hormônios suprarrenais.

O mau funcionamento dos ovários pode levar a uma produção deficiente. Durante a menopausa é natural que os níveis de estrogênio e progesterona caiam. Mulheres na pós-menopausa possuem níveis mais baixos desses hormônios do que as mulheres em idade fértil.

Sintomas de níveis baixos de progesterona

A progesterona é especialmente importante nos anos férteis. Se o nível desse hormônio estiver muito baixo, podem surgir problemas caso a mulher tente engravidar. Todos os meses após a ovulação, os níveis desse hormônio devem aumentar. Isso é explicado por pesquisadores brasileiros em um estudo publicado em 2016.

Esse hormônio ajuda o útero a engrossar antes de receber o óvulo fecundado. Se não ele não estiver espesso o suficiente, a implantação não ocorre. Um nível baixo de progesterona em mulheres que não estão grávidas pode levar aos seguintes sintomas:

  • Ondas de calor.
  • Dor de cabeça.
  • Alterações no humor.
  • Ansiedade e depressão.
  • Sangramento uterino anormal.
  • Diminuição da libido sexual.
  • Irregularidade no ciclo menstrual.
  • Períodos irregulares ou ausentes.

Mesmo durante a gravidez esse hormônio é necessário. Ele ajuda a manter a integridade do útero. Se os níveis de progesterona estiverem excessivamente baixos, é possível que a gravidez seja interrompida.

Níveis baixos de progesterona durante a gravidez podem ser indicadores de toxemia ou gravidez ectópica.  Podem ser provocados os seguintes sintomas em mulheres grávidas:

  • Fadiga.
  • Hipoglicemia.
  • Dor abdominal.
  • Secura vaginal.
  • Seios excessivamente sensíveis.

Nesses casos o estrogênio pode se tornar o hormônio sexual dominante. Isso pode desencadear uma série de problemas, entre os quais se destacam:

  • Depressão.
  • Endometriose.
  • Aumento de peso.
  • Disfunção tireoidiana.
  • Diminuição da libido sexual.

Como analisar os níveis de progesterona?

Um exame de sangue pode ajudar o médico a determinar se os seus níveis estão muito baixos. Isso explicaria a existência de problemas para engravidar. Esse exame também pode confirmar se a ovulação ocorreu no ciclo menstrual correspondente ou não.

Além disso os exames de sangue podem ser usados para monitorar a terapia de reposição hormonal, e também para o cuidado de gestações de alto risco.

Com que frequência é necessário fazer um exame de sangue?

Níveis baixos de progesterona podem desencadear o que é conhecido como defeito de fase lútea. Isso ocorre quando o endométrio não suporta a implantação e o desenvolvimento de uma gravidez. Desta forma, essa deficiência se reflete em infertilidade e abortos espontâneos.

A presença de sangramentos no início da gravidez costuma ser sinal de um baixo teor de progesterona, e a terapia com esse hormônio é indicada para prevenir a perda do feto. Por outro lado, um nível elevado de progesterona, embora seja incomum, é registrado nos casos de hiperplasia adrenal congênita, na presença de cistos e no caso de existirem tumores ovarianos.

Qual é o tratamento para níveis baixos de progesterona?

Níveis baixos de progesterona nem sempre provocam sintomas, portanto, às vezes nenhum tratamento é necessário. No entanto, se você está tentando engravidar, a terapia hormonal pode tornar esse processo mais fácil, tanto antes quanto durante a gravidez.

As irregularidades menstruais e sangramentos anormais podem melhorar com este tipo de tratamento. Para sintomas graves da menopausa, Terapias de Reposição Hormonal (TRH) são realizados para suplementar a produção de progesterona. Isso é conseguido com a combinação de estrogênio e progesterona, uma fórmula sintética semelhante à progesterona natural. No entanto, nem sempre isso ocorre como o esperado, criando alguns problemas como sangramento, acne ou hirsutismo.

Como consequências mais graves, o tratamento com estrogênio e progesterona, comum nos anticoncepcionais, está associado a doenças coronárias, eventos tromboembólicos e câncer de mama. Em particular, a TRH não é recomendada para mulheres com um histórico pessoal de câncer de mama.

A terapia hormonal, no entanto, ajuda a aliviar os sintomas provocados por baixos níveis de progesterona. Ela também pode diminuir o risco de osteoporose e diabetes. A progesterona oral pode oferecer um efeito calmante, facilitando o sono.

Os níveis de progesterona podem ser aumentados? Como?

Além dos tratamentos hormonais, existem algumas medidas que podem ajudar a aumentar os níveis de progesterona, incluindo:

  • Aumentar a ingestão de vitaminas do complexo B com nozes, cereais e grãos inteiros.
  • Consumir mais alimentos com zinco, como mariscos e carne de peru.
  • Consumir ovos, pois eles são uma grande fonte de progesterona.
  • É aconselhável aprender a controlar o estresse.

Que danos podem ser provocados por um baixo nível de progesterona?

Mulheres com baixos níveis de progesterona correm um maior risco de morrer de doenças cardíacas, e são mais propensas a desenvolver doenças cerebrais ou ósseas. No caso de quem se submeteu a histerectomias (retirada total ou parcial do útero), essas chances podem aumentar.

Portanto, o ideal é ir sem falta a todas as consultas de controle com a periodicidade indicada. Desta forma o médico poderá monitorar se é necessário receber tratamento de reposição hormonal para evitar as complicações mencionadas acima.

Se você está tentando engravidar e não teve sucesso, ou se está experimentando os sintomas descritos, recomendamos que você consulte o seu ginecologista. Um profissional pode determinar de que você precisa para um diagnóstico adequado.

Pode interessar a você...
Cuidados diários para uma gravidez de alto risco
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Cuidados diários para uma gravidez de alto risco

Os cuidados diários de uma gestação de alto risco visam proporcionar bem-estar à vida intrauterina do bebê e proteger a saúde da mãe.



  • Brañez Garcia, C. A., Pardo Novak, A., & Ordoñez Maygua, J. (2009). Progesterona como factor pronóstico en amenazas de aborto. Gaceta Médica Boliviana, 32(2), 11-16. http://www.scielo.org.bo/scielo.php?pid=s1012-29662009000200003&script=sci_arttext
  • De Villiers, T. J., Pines, A., Panay, N., Gambacciani, M., Archer, D. F., Baber, R. J., … & Lobo, R. A. (2013). Updated 2013 International Menopause Society recommendations on menopausal hormone therapy and preventive strategies for midlife health. Climacteric, 16(3), 316-337.
  • Ectopic Pregnancy. (2018). Retrieved 11 June 2020, from https://www.acog.org/patient-resources/faqs/pregnancy/ectopic-pregnancy
  • Fonseca, E. B., Celik, E., Parra, M., Singh, M., & Nicolaides, K. H. (2007). Progesterone and the Risk of Preterm Birth among Women With a Short Cervix. Obstetrical & Gynecological Survey. https://doi.org/10.1097/01.ogx.0000291202.67521.d46
  • Joshi, P. A., Jackson, H. W., Beristain, A. G., Di Grappa, M. A., Mote, P. A., Clarke, C. L., … Khokha, R. (2010). Progesterone induces adult mammary stem cell expansion. Nature. https://doi.org/10.1038/nature09091
  • Sanchez, E. G. M., Giviziez, C. R., Sanchez, H. M., Agostinho, P. L. S., Barros, P. S., & Approbato, M. S. (2016). Low progesterone levels and ovulation by ultrasound assessment in infertile patients. Jornal Brasileiro de Reproducao Assistida. https://doi.org/10.5935/1518-0557.20160004
  • MedlinePlus. (2019). Serum progesterone: MedlinePlus Medical Encyclopedia. Retrieved 11 June 2020, from https://medlineplus.gov/ency/article/003714.htm
  • Shifren, J. L., Gass, M. L., & NAMS Recommendations for Clinical Care of Midlife Women Working Group. (2014). The North American Menopause Society recommendations for clinical care of midlife women. Menopause, 21(10), 1038-1062.
  • Stuenkel, C. A., Davis, S. R., Gompel, A., Lumsden, M. A., Murad, M. H., Pinkerton, J. V., & Santen, R. J. (2015). Treatment of symptoms of the menopause: an endocrine society clinical practice guideline. The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, 100(11), 3975-4011.
  • Sanchez, E., Giviziez, C. R., Sanchez, H. M., Agostinho, P., Barros, P. S., & Approbato, M. S. (2015). Low progesterone levels and ovulation by ultrasound assessment in infertile patients. J Bras Reprod Assist, 20(1), 13-16.