Metamizol: usos e efeitos colaterais    

08 Dezembro, 2019
Ao contrário de outros medicamentos analgésicos não opioides que atuam na síntese da prostaciclina, o metamizol não produz efeitos gastrointestinais importantes. Saiba tudo sobre esse famoso Nolotil.   

O metamizol é um medicamento que, além de ser um potente anti-inflamatório, também possui outras ações farmacológicas. Pertence à família das pirazolonas que, por sua vez, são um grupo de medicamentos com AINEs ou anti-inflamatórios não esteroides.

O metamizol é usado principalmente para o tratamento da dor e febre. Por outro lado, este medicamento é comercializado em duas formas diferentes: metamizol de sódio ou metamizol de magnésio.

A população em geral abusa de uma maneira considerada do uso de metamizol. Por ser um medicamento bastante potente, é recomendado para pacientes com cólica, dor de origem oncológica e interna, além de reduzir a dor pós-cirúrgica e combater a febre que não pode ser controlada por outros medicamentos.

Foi sintetizado em 1920, mas não foi comercializado até 1922, quando foi introduzido no mercado sob a marca ‘Novalgin’ na Alemanha.

Hoje, o metamizol é comercializado sob várias marcas comerciais, como ‘Nolotil’, em todo o mundo, e também é vendido sob nome genérico.

Aspectos gerais da febre 

Metamizol para a febre

A febre é um aumento temporário da temperatura corporal. Normalmente, é desencadeada devido à uma doença. Na verdade, a febre é um mecanismo de defesa que nos permite saber que algo fora do comum está acontecendo em nosso organismo.

A temperatura humana considerada normal é de 37 ºC, mas pode apresentar variação de até 1 º C em indivíduos saudáveis. As entidades americanas definiram a febre como uma temperatura central maior ou igual a 38,3 ° C, logo acima do limite superior da temperatura humana normal, independentemente da causa.

A geração da febre pirogênica ocorre através de vários mecanismos. A interação de pirogênicos externos, como microrganismos, ou endógenos, como as interleucinas IL ou fator de necrose tumoral TNF-alfa, juntamente com uma estrutura do hipotálamo chamada organum vasculosum da lâmina terminal, leva à formação da febre.

No entanto, a febre não é apenas desencadeada por uma infecção, mas também pode haver outras causas que desencadeiam esse sintoma, como:

  • Febre associada à inflamação.
  • Induzida por medicamentos.
  • Febre após uma lesão cerebral.
  • Febre endócrina

Leia também: Como tomar própolis ao sentir os primeiros sintomas de gripe e resfriado

Como o metamizol desencadeia seu efeito no organismo? 

O metamizol atua sobre a dor e a febre, como sabemos. Deve sua ação à capacidade de reduzir a síntese de prostaglandinas pró-inflamatórias. Consegue isso inibindo a atividade da prostaglandina sintetase, que é uma enzima que catalisa, como o nome sugere, a síntese de novas prostaglandinas.

As prostaglandinas são substâncias de natureza lipídica que participam, dentre outros numerosos processos, nas respostas inflamatórias, ao estimular os terminais nervosos da dor e na produção da febre.

No entanto, o metamizol, ao contrário de outros medicamentos anti-inflamatórios não-esteroides, também é capaz de inibir a febre induzida por lipopolissacarídeos. Assim como, além de inibir a síntese de prostaglandinas, é um inibidor não seletivo da enzima ciclooxigenase, e dessa inibição deriva sua ação analgésica.

Descubra: Os 5 melhores remédios anti-inflamatórios para eliminar a água no joelho

Reações adversas ao metamizol 

Comprimidos de metamizol

Embora o metamizol seja um medicamento muito seguro, em alguns países europeus não é comercializado por seus efeitos colaterais. Ao contrário de outros medicamentos analgésicos não opioides que atuam na síntese da prostaciclina, o metamizol não produz efeitos gastrointestinais importantes.

No entanto, como todos os medicamentos comercializados, o metamizol também pode desencadear outros tipos de efeitos colaterais, que devem ser levados em consideração no momento de sua administração.

O efeito adverso que se destaca no uso deste medicamento, e que deve ser monitorado com mais atenção, é a agranulocitose. Além disso, também pode desencadear a leucopenia e a trombocitopenia. Todos esses sintomas são reações de hipersensibilidade.

Além disso, alguns dos seguintes efeitos também podem ocorrer:

  • Síndrome de Lyell e Stevens-Johnson.
  • Crise asmática
  • Quedas críticas na pressão sanguínea, que dependem da dose.

Conclusão 

O metamizol é um medicamento amplamente utilizado pela população em geral para o tratamento da dor e da febre. No entanto, você não deve abusar dele, pois, como qualquer medicamento do mercado, pode desencadear uma série de efeitos adversos. Você deve consultar o médico sobre o uso de metamizol antes de iniciar um tratamento com esse medicamento.

  • vademecum. (2019). Metamizol sódico.
  • Bar-Oz, B., Clementi, M., Di Giantonio, E., Greenberg, R., Beer, M., Merlob, P., … Berkovitch, M. (2005). Metamizol (dipyrone, optalgin) in pregnancy, is it safe? A prospective comparative study. European Journal of Obstetrics and Gynecology and Reproductive Biology. https://doi.org/10.1016/j.ejogrb.2004.07.004
  • Escobar, W., Ramirez, K., Avila, C., Limongi, R., Vanegas, H., & Vazquez, E. (2012). Metamizol, a non-opioid analgesic, acts via endocannabinoids in the PAG-RVM axis during inflammation in rats. European Journal of Pain. https://doi.org/10.1002/j.1532-2149.2011.00057.x